16/07/2018 - 19:00

Cirurgião está de mudança para São Paulo, pela violência

2018-07-16-photo-00000046

Rodrigo Mangaravite com a mullher, Tati Dyskant e os filhos Henrique e Sara: família do cirurgião plástico muda-se para a capital paulista

O cirurgião plástico Rodrigo Mangaravite, muito bem cotado no mercado, estava há dois anos operando um dia por semana em São Paulo; o resto do tempo, no Rio. Agora, está invertendo seu modo de vida: muda-se para a capital paulista, vindo à cidade carioca uma vez por semana. Ele é pai de dois filhos, de 3 e 10 anos (Sara e Henrique), do casamento com Tati Dyskant. A família parte em agosto: “Amo o Rio, sou carioca, mas o mercado está estagnado e tenho muita preocupação com a violência”, diz o médico. Vão morar no Jardim Paulistano. Nesse domingo (15/07) o Padre Jorjão disse em entrevista aqui: “Cada vez mais, as famílias me falam que estão indo embora do Rio”.

Enviado por: Lu Lacerda
16/07/2018 - 18:00

ONG cria abaixo-assinado “Quem sou eu na fila?”

fila-sus

ONG Meu Rio: abaixo-assinado para pressionar vereadores na Câmara /Foto: Reprodução

A ONG Meu Rio – formada por cariocas e moradores que se mobilizam para participar das decisões da cidade – criou a página de abaixo-assinado “Quem sou eu na fila?”, nesta segunda-feira (16/07), para acabar com os privilégios na fila da saúde, depois que o prefeito Marcelo Crivella supostamente ofereceu vantagens para lideranças evangélicas passarem à frente nas filas de cirurgias de catarata e varizes, além da falta de controle e transparência do Sistema de Regulação (Sisreg). “Os usuários do SUS (Sistema Único de Saúde) podem acessar seus prontuários e consultas via Internet, mas não conseguem saber qual é sua posição na fila de cirurgias. Isso abre um enorme precedente para práticas como as que Crivella insinuou na reunião: passar pessoas na frente sem que ninguém tenha o controle”, diz o texto da petição, que, em poucas horas, já conta com quase oito mil assinaturas para pressionar os vereadores.

Enviado por: Redação
16/07/2018 - 17:00

Luiz Carlos Lacerda: cineasta é novo membro do MnBA

bigode-e-monica-xexeo

Luiz Carlos Lacerda, o Bigode, e Monica Xexéo: cineasta é novo membro do Conselho Científico de Política de Exposições do Museu Nacional de Belas Artes /Foto: Divulgação MnBA

O cineasta Luiz Carlos Lacerda, o Bigode, tomou posse, nesta segunda-feira (16/07), do Conselho Científico de Política de Exposições do Museu Nacional de Belas Artes, no Centro do Rio. O convite foi de Monica Xexéo, diretora do local e o conselho é responsável pelas exposições temporárias do museu. “Frequento o MnBA desde a minha adolescência, pela excelência de suas exposições e por seu acervo fundamental na formação artística dos brasileiros. Por isso, sempre levo meus alunos de cinema para conhecerem a produção da nossa pintura e a fazerem exercícios a partir da experiência dos personagens dos quadros históricos”, diz Bigode.

Enviado por: Redação
16/07/2018 - 15:57

Paula Klien rodou, rodou e chega ao Rio

paulaklien-foto-mariama-prieto

Paula Klien: artista abre nova exposição na Laura Alvim sob a curadoria de Marcus Lontra /Foto: Divulgação

E a Paula Klien? Rodou por Berlim, Nova Iorque, Buenos Aires, Londres e São Paulo, mas uma hora chegaria ao Rio. E chegou! A artista, carioca de Ipanema, inaugura a individual “Extremos Líquidos”, com curadoria de Marcus Lontra, na Casa de Cultura Laura Alvim, a partir de 2 de agosto. São 20 trabalhos assim definidos por Lontra: “É uma pintura que, em certo momento, parece quase querer flutuar, quase querer sumir. Ao mesmo tempo em que é um desenho, é uma coisa que não se consegue precisar. Em Extremos Líquidos, teremos uma artista surpreendentemente madura e, ao mesmo tempo, tensa e provocativa.”

Enviado por: Redação
16/07/2018 - 13:50

3º Circuito Arte Búzios está chegando

buzios

Búzios: cidade recebe seu 3º Circuito Arte com mais de 80 atividades pelas ruas /Foto: Reprodução

Mais de 80 artistas plásticos vão estar com seus trabalhos, de 20 a 29 de julho, no 3º Circuito Arte Búzios, na Região dos Lagos, aproveitando as férias coletivas nas escolas, quando a cidade lota. “Nesta edição, a cidade recebe em 15 pontos turísticos, ruas, restaurantes, pousadas e galerias, grande variedade de exposições e performances”, explica a artista plástica Flory Menezes, uma das organizadoras. Espera-se que mais de 1.500 pessoas circulem pela cidade, nos dias do evento.

Enviado por: Redação
16/07/2018 - 12:30

“Muro do Neymar Jr.” não tem uma pichação

DCIM100MEDIADJI_0948.JPG

Instituto Neymar Jr.: não há pichação e nenhum risco nas pardes dos muros branquinhos que envolvem o prédio em Praia Grande /Foto: Divulgação

Alguns dos convidados a apresentar a 2ª edição do Leilão Beneficente do Instituto Neymar Jr., no Hotel Unique, em São Paulo, nesta quinta-feira (19/07), foram conhecer a sede do instituto, em Praia Grande, na Baixada Santista, até para saber realmente do que vão falar nesta noite. Todos que lá estiveram acharam impressionante o que viram: além dos cursos oferecidos, que vão de aulas de informática, inglês, jiu-jitsu, futebol, cabeleireiro, capoeira etc., chamou atenção o muro branco enorme, em volta dos 8.400 m², sem uma pichação sequer, nem um risquinho: “Nestes tempos, em que ninguém preserva nada, aquela fachada não ter uma pichação demonstra respeito. Achei incrível!”, diz Glória Maria, que faz parte do grupo formado por Pedro Bial, Tom Cavalcante, Serginho Groisman, Patrícia Abravanel, Sabrina Sato…. O Instituto Neymar Jr. é uma organização beneficente que ajuda pessoas vulneráveis através de atividades esportivas, educativas e sociais. Foi lá que o mais famoso jogador brasileiro da atualidade passou sua infância.

Enviado por: Lu Lacerda
16/07/2018 - 11:40

Mona Lisa “francesa”: italianos não curtem brincadeira

mona-lisa

Mona Lisa: museu do Louvre veste seu quadro mais famoso com a camisa da Seleção Francesa e italianos não gostam muito /Foto: Reprodução Twitter

Para mostrar que os tempos são outros, o Museu do Louvre vestiu a Mona Lisa — o mais famoso retrato do mundo, pintado por Leonardo da Vinci no século XVI — com a camisa da Seleção Francesa, campeã da Copa do Mundo da Rússia. O post do museu no Twitter teve mais de 13 mil compartilhamentos e 30 mil curtidas. No entanto, a maioria dos comentários foi de italianos revoltados com a homenagem “infantil”; em resposta, colagens com a bandeira do país onde nasceu Da Vinci ou com a camisa da Seleção Italiana. A propósito, o local fechou mais cedo nesse domingo (15/07), por causa da circulação limitada no transporte público e das centenas de pessoas comemorando pelas ruas de Paris. E, para demonstrar respeito ao time adversário, a Torre Eiffel também foi iluminada com as cores da Croácia, segunda colocada no mundial.

Enviado por: Redação
15/07/2018 - 13:00

Quatro perguntas para: Padre Jorjão (atuais aflições cariocas)

padre-jorjao

Padre Jorjão, da Paróquia Nossa Senhora da Paz, em Ipanema, fala de maneira direta com o morador do Rio, numa linguagem clara e coloquial, sobre qualquer problema da cidade. Não há nada que ele não saiba; até sobre o que se recusa a falar fica subentendido, como você pode ver nesta pequena entrevista. Consegue também inserir temas do interesse de todo mundo nas missas. E, até no comportamento, age como os cariocas: usa tênis e redes sociais, usa iPad e está sempre participando de eventos importantes, principalmente aqueles em defesa de assuntos de interessa geral. Sempre foi assim, nos mais de 25 anos nesse caminho.

1
As aflições dos cariocas aumentaram nos últimos tempos?

 Percebo que as pessoas estão muito mais aflitas: é desemprego e falta de dinheiro, e isso tudo afeta até a vida conjugal. Cada vez mais, as famílias me falam que estão indo embora do Rio.

2
 O senhor percebe isso durante as confissões?  

 No atual momento, as confissões antigas se transformaram em desabafo. Mais do que confessar, as pessoas querem desabafar.

3
 O que achou do episódio do prefeito Marcelo Crivella se reunindo com pastores evangélicos para oferecer serviços que deveriam abranger toda a todos?

 Eu, como padre, não me cabe falar sobre política.

4
  Percebe maior intolerância da população?

 Percebo, sim. Nosso povo é tolerante; ultimamente é que isso vem mudando. Todos nós sabemos de onde vem essa intolerância. Eu é que não vou citar – não convém misturar religião com política. Existem aqueles que, em vez de querer unir, querem separar. Nunca me esqueço de quando Dom Eugênio chamou um governador e esclareceu que nunca perguntamos a religião de quem ajudamos, que pouco importa. O pior e mais triste é quando a religião é usada para separar. A igreja vê o ser humano: todo mundo é filho de Deus.

Enviado por: Lu Lacerda
15/07/2018 - 12:00

Adriana Bechara: novo passo da jornalista

img_1861-1

Adriana Bechara: jornalista está deixando o Brasil – afivelando as malas para Lisboa

Depois de um ano sabático com uma volta ao mundo, a jornalista Adriana Bechara, seu marido, Fernando Franco Filho, e Rosa, a filha de 3 anos do casal, dão novo passo: vão embora pra Lisboa. O novo projeto de vida é uma guesthouse alinhada com os conceitos de sustentabilidade e consumo consciente. Ainda está sendo feita captação de recursos junto ao Turismo de Portugal e eventuais investidores. Adriana atuou no mercado editorial por 20 anos, sete deles como editora de moda da Vogue Brasil e cinco como diretora de moda da Revista Glamour, ambas na Globo Condé Nast. Essa carioca-paulista entra em cena em Lisboa, a partir de setembro, levando seu “‘diploma” de graduação-e-pós-graduação em elegância (além do figurino), sobretudo pelas suas qualidades, puxadas pela lealdade – é raro, mas existe! Todos os amigos sabem bem disso, principalmente os 30 que participaram do almoço-de-despedida nesse sábado (14/07), na casa da sua mãe, a relações-públicas Cláudia Fialho, no Jardim Botânico.

Enviado por: Lu Lacerda
14/07/2018 - 12:00

De Próprio Punho, por Claudia Mota: “Minha carreira de bailarina”

claudia-mota-bailarina-a
“A primeira vez que descobri uma lesão, eu tinha apenas 13 anos. Foi um derrame no joelho, que me tirou da atividade por quatro meses. Eu não entendia o porquê de tanto tempo; isso me deixou muito desestimulada. Precisei muito do apoio da minha família e dos meus professores. E agora, há uns cinco anos, descobri uma protusão na coluna; até hoje, tenho que passar por tratamentos semanais de RPG e fisioterapia, para continuar dançando. Graças à minha fisioterapeuta Roberta Lomenha, conseguimos manter minha rotina de bailarina, mesmo nas temporadas, quando as dores aumentam pelo excesso de trabalho.

Às vezes acordo e tenho a sensação de que não vou conseguir fazer nenhum movimento naquele dia; mas a força de vontade e o amor me fazem levantar da cama e seguir em frente. A carreira de uma bailarina, ao mesmo tempo que é viver um sonho na vida real, é também um mundo de privações… Ao longo do tempo, posso sentir na pele o que é não poder ter uma vida “normal”, como as minhas amigas de infância e adolescência, mas sabia que tudo isso era consequência de algo que eu tinha como meta: a minha carreira de bailarina.

Sempre muito dedicada, fui aprendendo que a disciplina rígida do balé me levaria além dos palcos; era algo que seria para o resto da minha vida. Se um dia pensei em desistir? Em algum momento, sim. Mas não tenho ideia do que teria me tornado se isso tivesse acontecido… Não mesmo. Nasci para a dança, para a arte – a ela dediquei e dedico minha vida. Não foram poucos os momentos de frustração, dor, angústia e incertezas, mas posso afirmar, com toda convicção, que estar em cena é uma das coisas mais incríveis deste meu mundo!

Comecei os estudos de balé aos 4 anos, na Academia Valéria Moreira e, aos 8 anos, prestei exame para ingressar na Escola Estadual de Dança Maria Olenewa, onde o “sonho” de entrar para o Corpo de Baile era apenas um sonho… Ao longo dos anos, fui me dando conta do que realmente queria para a minha vida. Aos 14 anos, ainda na Escola de Dança, comecei um estágio no Corpo de Baile. E foi aí que me dei conta do que realmente estava acontecendo: o sonho se tornando realidade. Aos 16, me formei e fui fazer intercâmbio de Ballet na Europa – uma experiência incrível! Passei por Cuba, a convite do grande maestro Fernando Alonso e, voltando ao Brasil, comecei a me preparar para a audição pública, a fim de ingressar no Corpo de Baile. Sob a direção artística de Jean Yves Lormeau, ex-Etoile da Ópera de Paris, me tornei bailarina do Theatro Municipal, onde estou até hoje! Passei pelo Corpo de Baile, solista, dancei muitos primeiros papéis, aprendi outros… Trabalhei com grandes nomes da dança e interpretei grandes obras. Até que, por fim, me tornei Primeira Bailarina.

Nesse dia 14 de julho, comemoramos, com muita alegria, os 109 anos do nosso amado Theatro. Sou privilegiada de poder fazer parte da sua história gloriosa, de altos e baixos, mas gloriosa. Pode ser que, quando me aposentar dos palcos, eu não esteja lá todos os dias, para alguma outra função, mas o amarei, com toda certeza, para sempre, pois tudo que tenho e sou foi através do meu trabalho de bailarina que ele me proporcionou. Espero que todos os problemas que tivemos em 2017 fiquem no passado. Lutamos muito, muito! Fomos além do nosso limite! Passamos por situações jamais imaginadas, mas conseguimos! Temos uma missão e acredito que ela esteja sendo cumprida. Precisamos do nosso Theatro, do nosso maior templo de artes do nosso país. Fomos ovacionados na nossa volta aos palcos no dia 23 de junho, depois de um ano sem a temporada oficial de balé – uma das maiores emoções que já vivi ali: inexplicável e inesquecível. A vida continua. O balé continua, e eu, continuo o meu sonho real de ser bailarina do meu Theatro Municipal”

Claudia Mota é 1ª bailarina do Theatro Municipal, que comemora 109 anos neste sábado (14/07). 

Enviado por: Lu Lacerda
13/07/2018 - 18:18

Programe-se: agenda para o fim de semana

agenda

Está com alguém pra aquecer você neste inverno? Não há do que se queixar na vida, amor! 

Esta sexta-feira 13 é o Dia Mundial do Rock: no Teatro Rival, vai ter o Bloco Exagerado em homenagem a Cazuza, a partir das 21h; o guitarrista Fernando Vital Trio vai homenagear o lendário Jimi Hendrix no Blue Note, na Lagoa, a partir das 22h30; já no sábado, a banda Mais do Mesmo, que toca sucessos do Legião Urbana, é atração principal da noite, que também conta com a apresentação das bandas Queens Visions e Licor do Canavial, no Leviano Bar, na Lapa; Di Ferrero, ex-vocalista do NX Zero, vai fazer seu primeiro show solo na Arena Rio Sport Center, na Barra, também neste sábado (14/07).           

Rolando na rede montagens, com Mick Jagger apoiando a candidatura de Bolsonaro. Como se sabe, o vocalista do Rolling Stones é considerado o maior pé-frio que existe, pelo menos em Copa do Mundo.  

Teatro? Temos. Oportunidade para assistir à Nathalia Timberg em “Chopin ou tormento do ideal”, com texto de Philippe Etesse e direção de José Possi Neto, no Teatro Maison de France, no Centro, de sexta a domingo (13 a 15/07), até dia 29 de julho.   

As férias chegaram e, com elas, o suplício para despachar os filhos para algum lugar divertido e deixá-los exaustos no fim do dia. O Lagoa Aventuras, no Parque da Catacumba, é boa opção para a criançada que gosta de esporte e natureza, com arvorismos, tirolesa e parede de escalada. Mas agende com 24 horas de antecedência, pelo tel. 4105-0079. 

O Arena Park, montado ao lado do Maracanã, também pode deixar seu filho bem cansadinho – e esvaziar sua carteira – com os brinquedos de parque de diversão de antigamente, como kamikaze, barco viking, rotor e montanha-russa. Até domingo (15/07), das 17h às 22h.   

Ah, você quer ficar sem filhos? Por R$ 350 – praticamente a diária de um hotel duas estrelas -, a criançada pode participar do “Dormindo no Aquário”, no AquaRio, que funciona como um acampamento com visitas guiadas e caça ao tesouro. Mais informações no 3613-0700. 

Tá a fim de curtir uma bossa nova, um sambajazz, um sambalanço? Só chegar ao Bottle’s Bar, ao Beco das Garrafas, em Copa, neste sábado (14/07), para um show com o grupo Conexão Rio e participações especiais da cantora Patricia Mellodi e Vinícius Cantuária, às 21h30.

Paulista no Rio quer saber onde tem programa com peito grande, bunda grande e cabelão. “O resto dá pra resolver”, diz.

Desejamos um fim de semana com alguém que você não precise ter cuidado com o que fala – ainda mais nestes tempos em que qualquer palavra mal colocada pode significar dois anos atrás das grades. 

Você, que manda mensagem na madrugada, depois de algumas tacinhas, já pode ficar menos culpado. Todo mundo está sujeito a uma situação parecida, como a curtida de Eduardo Bolsonaro, filho do presidenciável Jair, na foto de Lula sem camisa e de calção vermelho numa praia no Piauí.  

”Se você adora a frase ‘o amor não tem hora, tem diamantes’, não perca seu tempo vindo pro fim de semana no Rio”, disse uma carioca a amiga de outra cidade. Maldade dizer que os cariocas são pobres….. 

Ilustração: Edgar Moura

Enviado por: Lu Lacerda
13/07/2018 - 18:00

Carioquices: criatividade para vender serviços

lava-jato-a

Operação Lava Jato: criatividade do brasileiro para propagandas chama atenção /Foto: Reprodução Facebook

Leitor da página “Rio de Nojeira” postou a foto de um lava jato, daqueles que lavam carro mesmo, de um bairro carioca, na tarde desta sexta-feira (13/07): sucesso total, pelo menos na peça de publicidade. Na placa “Operação Lava Jato”, nomeia-se o tipo de limpeza no veículo com os nomes de José Dirceu, Aécio Neves, Eduardo Cunha e Lula (repara na cotação).

Enviado por: Redação
13/07/2018 - 15:50

Professor sofre ameaças nas redes sociais

marx-vive-nelson

Nelson Costa: professor de história usa camisa com a inscrição “Marx Vive” e vira alvo de ódio e solidariedade nas redes sociais /Foto: Reprodução Facebook

Um post da página “Politicamente Incorreto”, do Facebook, está dando o que falar desde essa quinta-feira (12/07), com mais de 1.700 comentários e 1.900 compartilhamentos. É que o professor de história Nelson Costa, trabalhando há mais de 20 anos no Centro Educacional de Niterói – CEN, foi dar aula para uma turma do 6º ano (11 anos) e foi fotografado por um deles usando uma camiseta vermelha com o símbolo da foice e o martelo (que geralmente representa o comunismo) e a inscrição “Marx Vive”. O pai do aluno publicou a foto nas redes e foi uma loucura, com mensagens de ódio, mas a maioria defendendo o educador. “Fiquei, primeiro, indignado como um pai submete um filho do 6° ano a tal tipo de exposição. E se os colegas descobrirem? Se perseguirem a criança? Se baterem no filho dele? Essa ainda é a minha maior preocupação. Depois fiquei muito feliz com as centenas de reações, dezenas de ligações, centenas de oferta de ajuda (pelos menos quatro alunos, hoje juízes ou advogados, se propuseram a advogar de graça). Isso não tem preço. Terminei o dia preocupado, pois houve ameaça e intimidação a mim e minha família, mas feliz e emocionado. Construí uma rede de amor e solidariedade”, diz ele.

Enviado por: Redação
13/07/2018 - 14:51

“Desafio das pizzas”: quase tantos quesitos como uma escola de samba

img_1833-1-1

Luciana Fróes e José Hugo Celidônio: a jornalista e o chef no “Desafio das Pizzas”, na Capricciosa

Anna e Bruno Tolpiakow receberam jornalistas, chefs e amigos para o “Desafio das Pizzas”, nessa quinta-feira (12/07), no Jardim Botânico, e quem quisesse poderia eleger a sua favorita, considerando visual, consistência da massa, sabor, harmonia (quase tantos quesitos como numa escola de samba, digamos assim). Entre os convidados, a jornalista de gastronomia Luciana Fróes e o chef José Hugo Celidônio. Sabe qual era a preferida deles? Todas. O maior sucesso da noite talvez tenha sido Fiore di Zucca, com flor de abobrinha – essa é sazonal.

Enviado por: Lu Lacerda
13/07/2018 - 13:50

Laila Garin: show no Rio com direção de Ney Matogrosso

laila-b

Laila Garin: show no Rio com direção de Ney Matogrosso para lançar DVD /Foto: Divulgação

A atriz e cantora Laila Garin faz show de lançamento do DVD “Laila Garin e A Roda”, no Teatro Bradesco, na Barra, na próxima quarta-feira (18/07), sob a direção de Ney Matogrosso. No repertório, músicas de Caetano Veloso, Alceu Valença, Roberto e Erasmo e Chico Buarque, além de novos compositores. “Quando eu canto, me sinto como uma espécie de porta-voz de uma alma comum. Vivemos num tempo onde ninguém mostra muito suas emoções, suas fragilidades. Este show é pra ficarmos todos à flor da pele. No palco e na plateia”, diz Laila, conhecida pela atuação em “Elis, a musical”.

Enviado por: Redação