04/12/2016 - 16:03

MAM abre duas exposições: ‘Atensão’ é remontada 40 anos depois

Foto de:

Duas exposições foram abertas, nesse sábado (03/12), no MAM. Carlos Zilio, um dos mais importantes artistas da cena contemporânea brasileira, teve remontada a exposição “Atensão’, de 1976, com coordenação de Vanda Klabin e Jaime Vilaseca. As oito peças, uma instalação com materiais de construção em equilíbrio precário, com o som de um metrônomo acentuando a tensão, estão no mesmo lugar da montagem original, no terceiro andar do museu.

Segundo Vanda, a individual “foca uma produção estética investida de alto teor político”. Nesta quinta-feira (08/12), aliás, às 16h, vai ter uma conversa aberta ao público sobre o contexto político da época, com Zílio, os curadores do MAM Fernando Cocchiarale e Fernanda Lopes e o crítico Ronaldo Brito.

A outra mostra inaugurada foi a de Eloá Carvalho, “Todo ideal nasce vago”, criada a partir de pesquisas no acervo fotográfico das exposições que aconteceram no MAM desde os anos 50.  Na tela “O regador”, o homem curvado com um regador na mão é Juscelino Kubitschek, então presidente da República, fotografado na solenidade de plantio das palmeiras do Parque do Flamengo, no final dos anos 50. “Achei interessante a pessoa que se curva, em uma ação simples, diferente da atitude formal e solene de um chefe de Estado”, explica a artista. Eloá também fez uma pintura em grande formato do artista Heitor dos Prazeres, a partir de uma imagem dele num coquetel no museu – presença rara de um negro num evento desse tipo na época. Veja fotos na Galeria.

Enviado por: Marcia Bahia
04/12/2016 - 12:31

Ferreira Gullar vai ser velado na Biblioteca Nacional

Ferreira Gullar, que morreu neste domingo 04/12), aos 86 anos, em foto de outubro deste ano / Foto: Cristina Granato (acervo do site Lu Lacerda)

Ferreira Gullar, que morreu neste domingo (04/12), aos 86 anos, em foto de outubro deste ano / Foto: Cristina Granato (acervo do site Lu Lacerda)

Considerado um dos maiores poetas brasileiros, Ferreira Gullar morreu por volta das 10h deste domingo (04/12), aos 86 anos, no Copa D’Or, de insuficiência respiratória por causa de uma pneumonia que teve há 20 dias. Eleito para a Academia Brasileira de Letras em 2014, seu velório não poderá ser na sede da instituição: todo o quarteirão da ABL, no Centro do Rio, está sem luz, em razão de uma manutenção que está sendo feita pela Light.  Por isso, a Biblioteca Nacional foi escolhida como alternativa.

Intelectual que atuou nas mais variadas frentes – foi crítico de arte, artista plástico, escritor de livros infantis, tradutor e colaborador de novelas e séries da Globo – Gullar deixa viúva a também poeta Claudia Ahimsa. Sobre a morte, o poeta falou várias vezes, abertamente, inclusive a respeito da morte de seu filho Marcos, que era esquizofrênico. “Eu vou morrer, né? Todo mundo morre. A consciência de que você é perecível, mortal. Isso é uma coisa. Outra coisa é a morte real, perder um filho. Não é teoria, o conceito de que se morre. Não. É perder seu filho. É diferente. Perder um amigo querido. É pesado, difícil. Mas a vida é isso”.

Aparentemente não muito efusivo nas demonstrações de carinho, para os amigos e conhecidos era muito generoso, gostava de ajudar. Disse o irmão, Newton, numa entrevista à Folha: “Se alguém perto tem problema, é problema dele também”. Gullar também falou sobre a vida: “O sentido da vida são os outros. Você trabalha para os outros, cria para os outros… Não só para teu filho, teu amigo, mas para todos os outros. É o sentido que eu acho que a vida tem”.  Numa das Flips, provocou polêmica quando disse: “Eu não quero ter razão, eu quero é ser feliz”. Ano passado, recebeu várias homenagens pelos seus 85 anos. Da filha Luciana teve oito netos e sete bisnetos.

Enviado por: Marcia Bahia
04/12/2016 - 12:00

Seis perguntas para: Raphaela Severiano Ribeiro, empreendedora jovem

kitchen-470

Raphaela Severiano Ribeiro faz parte do time de jovens empreendedores cariocas, que poderia não trabalhar, ou começar mais tarde, se quisesse – sua família, ligada ao cinema, é uma mais conhecidas do Rio – mas nunca passou por sua cabeça não ter uma carreira. Pelo contrário, desde os 10 anos de idade Rapha decidiu ser confeiteira, se dedicar aos doces e chocolates, investiu seus estudos nessa direção e, aos 19 anos (agora tem 24), já estava entregando as primeiras encomendas. Nesta época do ano, uma das mais movimentadas na sua área, ela está a toda  – para quem não sabe, não é só na Páscoa que os cariocas dão presentes com chocolates.

1
O Rio e o Brasil andam doces? Acha que as pessoas estão descontando mais suas frustrações no chocolate?

“Só se for de chocolate amargo! (rs). Estamos vivendo momentos difíceis no Rio e no Brasil como um todo, mas acredito que tempos melhores virão. Apesar da crise e do aumento de violência no nosso dia a dia, as pessoas não pararam de consumir doces. Podem pedir menos quantidade, mas não deixam de encomendar.

2
Com que idade você descobriu que queria trabalhar e por quê?

“Desde pequena sempre adorei criar sobremesas, doces e bolos para minhas amigas. Então, resolvi fazer faculdade de gastronomia e, depois, me especializar em pâtisserie. Aos 19 anos, senti que tinha um espaço no mercado que eu poderia preencher e decidi abrir a Raph’s.

3
Tendo tudo à mão poderia ser uma garota mimada, mas é sabido que você trabalha muito, principalmente nesta época do ano. Por que essa escolha?

“Quando a gente ama e acredita no que faz, o trabalho vira um prazer. E também acho que, hoje em dia, ninguém pode se dar ao luxo de não trabalhar.

4
Quantos funcionários trabalham com você?

“Tenho dez funcionários que trabalham comigo atualmente”.

5
De onde vem o cacau que é ingrediente dos seus doces? O que você tem de diferente para apresentar na sua marca?

“Tenho uma variedade enorme de chocolates e ingredientes para cada produto, com propósitos diferentes. Estou sempre procurando usar o que tem de melhor no mercado e buscando coisas novas. O que me diferencia é a qualidade, as ideias e um toque pessoal”.

6
Tem sempre uma descoberta médica surgindo a favor ou contra o consumo de chocolate. Você, pessoalmente, recomendaria o produto por quê?

“Eu recomendo o chocolate porque acredito que a vida é para ser comemorada e nada melhor que um doce para alegrar o dia. E tudo que é feito com alegria não faz mal!”.

Enviado por: Lu Lacerda
03/12/2016 - 15:12

Gilberto Gil: homenagem do Afoxé Filhos de Gandhi no carnaval

Gilberto Gil vai ser o tema do desfile

Na imagem, o desenho do rosto de Gilberto Gil que vai estar reproduzido nas roupas dos integrantes do Afoxé Filhos de Gandhi / Foto: reprodução

Gilberto Gil vai ser o grande homenageado do carnaval de 2017 do bloco da Bahia Afoxé Filhos de Gandhi, que este ano tem como tema “Diáspora africana: a travessia não me abateu, tornou-me forte”. Pela primeira vez uma pessoa viva vai ter sua imagem reproduzida nas roupas dos integrantes e nos carros de apoio e no trio. Antes, só os orixás tiveram esse destaque. Gil, que todos os anos sai, pelo menos, um dia com o bloco, reagiu falando: “Que coisa mais linda! Emocionante!”

O presidente do Afoxé, Francisco Lima, conta: “A contribuição de Gil nos remete aos anos 70, quando, chegado de Londres  e  ao lado de Camafeu de Oxóssi e outros, ajudou a reerguer uma instituição carnavalesca de forte apelo cultural, que se encontrava em franca decadência. Nos anos que se seguiram sempre esteve por perto, fisicamente ou através de suas músicas”.

O bloco desfila nos dias 26,27 e 28 de fevereiro, em Salvador, e todos esperam contar com a presença do cantor e compositor. “O que mais nos encanta em Gil é a simplicidade com que ele desfila no carnaval, tocando seu agogô com os membros da bateria. Vida longa ao Mestre Gilberto Gil. Ajayo! “, finaliza Francisco.

Enviado por: Marcia Bahia
03/12/2016 - 14:28

Uerê passo a passo: Yvone Bezerra de Mello lança livro sobre método de ensino

Yvonne Bezerra de Mello com uma das crianças assistidas pelo Projeto Uerê / Foto: reprodução

Yvonne Bezerra de Mello com uma das crianças assistidas pelo Projeto Uerê, cujo método incentiva a afetividade e a comunicação / Foto: reprodução

Fundadora do Projeto Uerê, que utiliza um método de ensino dirigido para crianças com bloqueios de aprendizagem  e emocionais, Yvonne Bezerra de Mello lança, neste domingo (04/12), às 17h, na Argumento do Leblon, o livro “Aprender para viver, viver para aprender”. “É um livro de compreensão muito fácil, para ser lido por professores, educadores e também pelas mães – o número de crianças com déficit de atenção é enorme”, diz Yvonne, que direcionou o método para atender crianças vítimas de traumas e violência.

A educadora ficou conhecida durante a Chacina da Candelária, quando protegeu os menores sobreviventes. Em seguida, ela começou a dar aulas sob o Viaduto de São Cristóvão; em 1998, a escola Coqueirinho se transformou no projeto Uerê, que hoje funciona na Baixa do Sapateiro, no Complexo da Maré.

Yvonne é da opinião que as crianças do Rio, de todas as camadas sociais, vivem amedrontadas. “As que moram nas comunidades estão mais próximas da violência física, dos tiroteios, mas as outras também vivem com medo de sair e ter o tênis roubado, o celular, todas estão ficando muito presas”, conta. “O resultado são crianças agressivas ou apáticas”, diz.

Enviado por: Marcia Bahia
03/12/2016 - 13:37

Doria está a toda com seu secretariado. Vamos copiar, Crivella?

O prefeito eleito de São Paulo João Dória

O prefeito eleito de São Paulo João Doria está em reunião com sua equipe que começou, neste sábado (03/12), às 7h30 e está prevista para acabar só às 19h30 / Foto: reprodução do Instagram

O prefeito eleito de São Paulo, João Doria, comunicou pelo seu Instagram, neste sábado (03/12), que começou às 7h, no WTC Center, o 1º Seminário de Integração e Gestão da Cidade de São Paulo, com previsão para acabar só às 19h30. Doria já anunciou 13 secretários e está trabalhando a toda.

Já o prefeito eleito do Rio, Marcelo Crivella, mal tem aparecido em público. O volume de problemas que tem pela frente – o Estado do Rio está falido, queda de receita do município, déficit da previdência, aumento do serviço da dívida pública, etc., etc., sem falar nos hospitais e escolas – é digno de uma agenda 24h. Em sua defesa, a equipe de Crivella diz que está se reunindo sem alarde. E que Doria, eleito em primeiro turno, teve um mês a mais para eleger seu secretariado. A expectativa é que Crivella anuncie seus secretários daqui a duas semanas.

Enviado por: Lu Lacerda
03/12/2016 - 12:26

Prêmio Cariocas do Ano chega à 10ª edição no Copacabana Palace

Diego Hypólito e Débora Bloch:

Diego Hypólito e Débora Bloch: paulista e mineira vão ser premiados nas categorias Esporte e Teatro / Fotos: reprodução e Daryan Dornelles

Um dos prêmios mais democráticos do Rio, que destaca tanto personalidades conhecidas como anônimos que contribuíram para a imagem da cidade carioca acontece, pela 10ª vez, terça-feira (06/12), no Copacabana Palace. O “Cariocas do Ano”, com curadoria da Veja Rio, vai destacar 12 categorias, em noite apresentada pela jornalista Fernanda Gentil.

Entre os que vão receber as homenagens tem aqueles que nem nasceram no Rio, mas estão mais do que identificados com os cariocas: a atriz Débora Bloch, mineira, vai ter seu trabalho reconhecido, na categoria Teatro, pela atuação na peça “Os Realistas”; já o paulista de Santo André Diego Hypólito recebe seu troféu em Esporte, pela história de superação que viveu e resultou na medalha de prata na Olimpíada do Rio.

Enviado por: Marcia Bahia
03/12/2016 - 11:41

Guru que participou do acordo de paz com as Farc está chegando ao Rio

Sri Sri Ravi Shankar

Sri Sri Ravi Shankar: Luciano Huck e Angélica e as atrizes Juliana Paes, Giovana Antonelli e  Vera Zimmerman participaram dos eventos da Arte de Viver no Brasil / Foto: divulgação

O guru indiano Sri Sri Ravi Shankar vai fechar sua passagem pelo Brasil, que começa dia 14, em Brasília, com uma grande meditação coletiva no Rio, aberta ao público, dia 17, no Boulevard Olímpico, na Praça Mauá.

Considerado uma espécie de diplomata de conflitos internacionais, eleito um dos homens mais influentes da Índia pela revista Forbes, Shankar participou, ano passado, das articulações pela paz com as Farc na Colômbia e defendeu junto ao presidente colombiano Juan Manuel Santos a adoção do princípio gandiano de não-violência.

A Arte de Viver, organização fundada por ele há 35 anos, atua em vários estados do nosso país, onde implementou os programas “Prison Smart”, de resgate dos valores humanos nos presídios, e o “Respiração, Água e Som”, que leva técnicas de respiração e meditação a comunidades carentes. A principal filosofia de Shankar pode ser resumida na frase: “Um corpo livre de doenças, uma mente livre de estresse e um mundo livre de violência são direitos de todos os seres humanos. Em 2012, no Rio,  reuniu mais de 7 mil pessoas na Cinelândia.

Enviado por: Marcia Bahia
02/12/2016 - 19:30

Teatro, por Claudia Chaves: Esperando Godot

??????????????????

O ator Claudio Fontana, é Wladimir e Elias Andreato, interpreta o personagem Estragon na peça Esperando Godot  / Foto: João Caldas

A espera é a essência do humano. Esperamos para nascer. Somos esperados para nascer. Esperamos crescer. Aspiramos. Até que um dia expiramos. Esperando Godot, de Samuel Beckett, trata desse tema: o relógio que anda, marca e a vida que  não sai do lugar. A vida, cujo maior aventura, é ficar esperando. Nada além disso.

Dois vagabundos, Estragon  representando por  Elias Andreato – também diretor e Wladimir, por Claudio Fontana, vivem em um lugar não identificado, desértico e trocam impressões sobre o que fazem ali. Esperam Godot, é claro, mas também falam em se matar, em se amparar.  Clóvys Torres, Raphael Gama, e Guilherme Bueno representam as vidas circunstanciais que aparecem no marasmo.

“Minha parceria com Elias Andreato nasceu da profunda admiração de um ator pelo trabalho de outro e cresceu pelo meu respeito ao respeito dele pelo teatro. Elias sabe o que é o ofício de ser ator. E como diretor empresta a sensibilidade do ator e intuitivamente cria cenas belas e poéticas. comenta Fontana.

Os atores atuam de forma clássica, como exige o texto, mas são os figurinos de Gabriel Villela, absolutamente espetaculares que impõem o sentido do texto: somos meio vagabundos, meio clownes, meio gente, meio vida, meio morte.   Só esperamos o desfecho esperado.

Serviço:
Teatro de Arena –Sesc Copacabana
Quintas, sextas e sábados às 20:30
Domingos às 19:00

tarja.claudiachaves

Enviado por: Redação
02/12/2016 - 18:00

Leblon: grupo foi salvo de assalto por seguranças de Procurador

Antonio Neves da Rocha e Tininha Machado Coelho: depois de jantar com amigos, salvos de assalto por segurança de Procurador / Foto: arquivo Site Lu Lacerda

Antonio Neves da Rocha e Tininha Machado Coelho: depois de jantar com amigos, salvos de assalto por segurança de Procurador / Foto: arquivo Site Lu Lacerda

Antonio Neves da Rocha, Tininha Machado Coelho, Sandra Fernandes e Ester Lima saíram do bistrô Formidable, esquina da Rua Humberto de Campos com João Lyra, no Leblon, nessa quinta-feira (01/12), por volta da meia-noite. Na calçada em frente, seis assaltantes (divididos em dois grupos de três), os esperavam. Eis que dois carros de seguranças estavam parados na porta, ali jantava, no mesmo horário, Marfan Vieira, Procurador-geral do Ministério Público do Rio. Ao avistar a situação, gritaram, e os bandidos correram.

Enviado por: Lu Lacerda
02/12/2016 - 17:42

Livro de Maria Eugênia: influência benéfica dos astros e bênçãos dos Budas

????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

No alto, Luiz Augusto Figueira, Maria Eugênia de Castro. Celisa Beranger e Fernanda Miguel; abaixo, Alexandra Marzo beija a mão da astróloga; acima, a editora Lenir Santos com Arlete Salles / Fotos: Michael Meneses

No alto, Luiz Augusto Figueira, Maria Eugênia de Castro. Celisa Beranger e Fernanda Miguel; abaixo, Alexandra Marzo beija a mão da astróloga; acima, a editora Lenir Santos com Arlete Salles / Fotos: Michael Meneses

Astróloga de muitos empresários e gente bem sucedida, Maria Eugênia de Castro colocou seu conhecimento para trabalhar em benefício próprio: escolheu o melhor horário e data para o lançamento do oitavo livro, “Certezas provisórias” , e o resultado foram mais de 300 exemplares vendidos nessa quinta-feira (01/12), com uma comprida fila para autógrafos na Travessa do Shopping Leblon.

O livro foi escrito em parceria com Luiz Augusto Figueira e Fernanda Miguez e traz reflexões sobre a mente humana, a partir dos estudos da Astrologia e do Budismo. “Quando Maria Eugênia fala dessa loucura que é a vida eu me entendo melhor, porque me reconheço na angústia humana de procurar respostas para algumas perguntas. E vou me encontrando, revisitando minhas inseguranças, enxergando por outras perspectivas”, disse a escritora Adriana Falcão, sua cliente, na contracapa.

Colegas de profissão estiveram por lá, como os astrólogos Waldemar Falcão e Celisa Beranger, presidente do Sindicato dos Astrólogos do Rio de Janeiro. Também passou na livraria a atriz Alexandra Marzo, que é aluna de astrologia de Maria Eugênia – a autora, aliás, estava bem satisfeita: “Foi uma noite sob a influência benéfica dos astros e abençoada pelos Budas”, definiu.

Enviado por: Marcia Bahia
02/12/2016 - 17:00

Chás do Eloi Nascimento – até com insetos, que tal? Não, não dão onda….

Foto de:

Eloi Nascimento mostrou os novos sabores de chás artesanais recém-lançados da Casa Bon Ton, nessa quinta-feira (01/12), na loja Dona Coisa, na Rua Lopes Quintas. Chamados de Ornitovesânia (Oi?), os oito tipos exóticos vão de frutas, flores e, creia, até insetos, como gafanhotos, grilos e larvas da cana-de-açúcar. Teve convidado perguntando se algo, digamos, assim exótico, dá alguma onda – pra tirar os brasileiros da realidade. Ohhhh, não! Ali, estava a estilista Constança Basto, atualmente morando na Itália, país do marido Lucio Salvatore. E adorando! Amigos de Eloi, Virgílio Bahde, Cris Porto, Alfredo Grosso e Bruna Pegurier criaram a cenografia com móveis e curiosidades dos séculos XVI e XVII. Que tal? Veja fotos na Galeria.

Enviado por: Lu Lacerda
02/12/2016 - 15:30

GQ: 6ª edição do Homem do Ano no Copa

Foto de:

A 6ª edição do Men of The Year (MOTY – o título é em inglês mesmo), prêmio da revista masculina GQ que escolhe os homens e uma mulher que se destacaram em 15 categorias durante o ano -, celebrou, na noite dessa quinta-feira (02/12), os 100 anos do samba em cerimônia seguida de festa no Copacabana Palace.

O prêmio foi apresentado por Marcelo Serrado e Marcos Veras (com até um mini-chupão) e teve vencedores em 15 categorias: Personalidade, Mulher, Cinema, Televisão, Gastronomia, Esporte, Música, Artes, Empreendedorismo, Responsabilidade Social, Estilo, Revelação, Moda Internacional, Moda e Liderança. Sim, alguns LPMs (Loucos Pela Mídia) desfilavam por ali, graças a Deus, o que seria de nós sem eles?

Taís Araújo foi premiada na categoria Mulher e recebeu o troféu das mãos do marido, o ator Lázaro Ramos. José Loreto se destacou na categoria Cinema, com o filme “Mais Forte que o Mundo” e recebeu o prêmio da mulher, Débora Nascimento, e do lutador José Aldo, a quem interpreta no longa. O nadador paralímpico Daniel Dias foi o grande vencedor da categoria Esportes; recebeu o prêmio do ator Cauã Reymond, fã do atleta. Isaquias Queiroz, destaque dos Jogos Olímpicos 2016, ganhou na categoria Revelação e recebeu o troféu da cantora Anitta. São alguns exemplos de uma noite de mulheres sensuais, montadas, produzidas, enceradas, cada uma mais incrível que a outra. Decote no umbigo é para poucas, pra sorte geral, quem usou estava podendo: Mariana Goldfarb e Isabella Santoni – à apresentadora não faltam razões para ser feliz, além do talento físico, como sabido, é namorada do Cauã; a atriz, chatíssima na novela “A Lei do Amor”, é o oposto na realidade. Nesse desfile de “traje passeio completo”, chega a bela Narcisa Tamborindeguy, com figurino bem simplezinho, mas com todo o seu espírito e espontaneidade (coisa rara) nessas noites de carão. É ou não é?

Carlos Henrique Schroder, diretor do Grupo Globo, estava entre os premiados, acompanhado da filha, a joalheira Luísa Schroder. Alguns acharam que ele não iria, costuma sair pouco, mas deu as caras. Também premiado na categoria Televisão, o diretor da Globosat, Alberto Pecegueiro.

Além de homenagear os destaques do ano, a festa celebrou o Rio, que foi palco dos Jogos Olímpicos 2016, e o ano do centenário do samba carioca. Veja algumas fotos na Galeria.

Enviado por: Lu Lacerda
02/12/2016 - 14:23

Câmara Portuguesa: aniversário no Country

_46q8314-nuno-rebelo-de-sousa-e-o-consul-jaime-van-zeller-leitao

unnamed-13

No alto, Nuno Rebelo de Sousa e o novo cônsul geral de Portugal no Rio, Jaime Leitão; em seguida, Connie Lopes, o presidente da Câmara Portuguesa de Comércio e Indústria, Ricardo Coelho, e Olga de Lena; acima, Laura Simões e Tor Janer / Fotos: Vera Donato

No alto, Nuno Rebelo de Sousa e o novo cônsul geral de Portugal no Rio, Jaime Leitão; em seguida, Connie Lopes, o presidente da Câmara Portuguesa de Comércio e Indústria, Ricardo Coelho, e Olga de Lena; depois, Laura Simões e Tor Janer; acima, a fadista Maria Alcina e a consulesa Maria Eduarda Leitão / Fotos: Vera Donato

No alto, Nuno Rebelo de Sousa e o novo cônsul geral de Portugal no Rio, Jaime Leitão; em seguida, Connie Lopes, o presidente da Câmara Portuguesa de Comércio e Indústria, Ricardo Coelho, e Olga de Lena; depois, Laura Simões e Tor Janer; acima, a fadista Maria Alcina e a consulesa Maria Eduarda Leitão / Fotos: Vera Donato

A Câmara Portuguesa de Comércio e Indústria deu jantar, nessa quinta-feira (01/12), no Country Club, em Ipanema, para festejar seus 105 anos. De São Paulo veio o presidente da Federação das Câmaras Portuguesas, Nuno Rebelo de Sousa, filho do atual presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa. A homenageada da noite, a fadista Maria Alcina, foi quem animou o evento, que também teve trilha sonora da Banda Lusófona.

Enviado por: Marcia Bahia
02/12/2016 - 13:42

‘Cazuza voltou ao Baixo Leblon’: Lucinha Araújo comemora inauguração de escultura

unnamed-1

unnamed-9

unnamed-4

unnamed-3

No alto, Marina Mattoso Sodré, filha de Gilda Mattoso, que foi assessora de imprensa de Cazuza, com a escultura feita por Christina Motta / em seguida, Teresa Cristina e Rogério Flausino; depois, Guto Goffi, sua mãe, Ani Goffi, e Lucinha Araújo; acima, à esquerda, Paula Lavigne; ao lado, o cover de Cazuza,

No alto, a escultura de Cazuza feita por Christina Motta; em seguida, Gilda Mattoso Sodré; depois, Teresa Cristina e Rogério Flausino; abaixo, Guto Goffi, sua mãe, Ani Goffi, e Lucinha Araújo; acima, à esquerda, Paula Lavigne; ao lado, o cover de Cazuza,  Cazu Barros / Fotos: Daniel Delmiro e divulgação

A inauguração, nessa quinta-feira (01/12), da estátua de Cazuza na Ataulfo de Paiva esquina com a Dias Ferreira pelo secretário de Conservação, Marcus Belchior, deu à Lucinha Araújo, mãe do cantor que morreu em 1990, uma certeza: “Cazuza voltou ao Baixo Leblon, local que ele gostava de frequentar e onde foi muito feliz”. Lucinha estava acompanhada das crianças da Sociedade Viva Cazuza, vestidas com camisetas onde podia-se ler frases das músicas do ex-Barão Vermelho, como “O nosso amor a gente inventa”. Do antigo grupo de rock do compositor estava, aliás, o baterista Guto Goffi, com a mãe, Ani, cuja casa, no Flamengo, o autor de “Pro dia nascer feliz” adorava visitar. Também foram até a Praça Cazuza George Israel e Nilo Romero, parceiros de composições.

Rogério Flausino apareceu de surpresa e animou ainda mais o ótimo show de Teresa Cristina. A Secretaria Municipal de Saúde e a Sociedade Viva Cazuza distribuíram panfletos sobre a Aids – a data de inauguração da escultura foi proposital, no Dia Mundial de Combate à Aids. “As pessoas ainda ficam sem graça de receber camisinhas”, comentou Lucinha, “mas é o único jeito de prevenir a doença”.  Depois de uma espera de mais de 10 anos, desde o primeiro pedido feito à Prefeitura por uma estátua de Cazuza, Lucinha estava bastante feliz: “Agora, quando eu for embarcar para encontrar o Cazuza, posso dizer que ele está eternizado”.

Veja abaixo, Teresa Cristina e Flausino cantando “Exagerado”, um dos maiores sucessos de Cazuza (vídeo de Luciana Dantas):

Enviado por: Marcia Bahia