18/06/2018 - 19:00

Sete perguntas para Paulo Reis (sobre “Vale Tudo”)

paulo-reis-b

Todo mundo já sabe quem matou Odete Roitman (Beatriz Segall), mas a novela “Vale Tudo”, escrita há 30 anos por Gilberto Braga, Agnaldo Silva e Leonor Bassères, continua tão atual com o discurso sobre ética e honestidade, que volta com tudo – literalmente –, em uma nova reprise no Canal Viva, a partir desta segunda-feira (18/06). A hashtag “estreiaValeTudo30anos” foi uma das mais usadas no Twitter na tarde desta segunda, com muitos memes – detalhe que, em 1988, as redes sociais não existiam. Entre os personagens inesquecíveis, Raquel (Regina Duarte), Heleninha Roitman (Renata Sorrah), a ambiciosa Maria de Fátima (Glória Pires) e o mau-caráter César (Carlos Alberto Riccelli); já entre os coadjuvantes, Paulo Reis, amigo cafajeste de bom coração de César, que fez tanto sucesso que chegou a receber o prêmio de Ator Revelação pela Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) na época.

Aliás, o personagem ficaria apenas duas semanas na trama, mas ganhou espaço até o fim. “Muita gente jovem me parava na rua para falar sobre a novela. É muito bom ver a importância de um trabalho antigo, mas, ao mesmo tempo, é muito triste constatar que nosso País mudou tão pouco depois de tanto tempo”, avalia Paulo. O ator fez quase 30 novelas depois do novelão, entre elas, “Rainha da Sucata”, “Lua Cheia de Amor” e “Pátria Minha”. Atualmente, grava a minissérie “Mais leve que o Ar”, sobre o aviador Santos Dumont, do canal HBO; acaba de fazer uma participação especial no programa infantil “Detetives do Prédio Azul (DPA)”, do canal Gloob, que irá ao ar em outubro; e aguarda a estreia de três filmes, ainda para 2018: “A Divisão”, de Vicente Amorim, “O Paciente”, de Sérgio Rezende, e “Macabro”, de Marcos Prado. Além disso, Paulo ensaia uma peça como ator e ainda toca sua produtora, como diretor.

1
Como vê esse sucesso depois de 30 anos?  

Com um misto de orgulho, por ter participado de um trabalho tão marcante, e de tristeza, por ver que o Brasil mudou tão pouco nesse tempo todo… É muito bom ver a importância de um trabalho antigo, mas, ao mesmo tempo, é muito triste constatar que nosso país mudou tão pouco depois de tanto tempo. Estamos vivendo um momento muito difícil, de verdadeira purgação nacional, mas acredito que isso é uma fase necessária, e que dias melhores virão. Eu sou otimista.

2
Acredita que o público de “Vale Tudo” vai crescer nesta nova reprise?  

Muita gente jovem me parava na rua para falar sobre a novela, quando reprisou pela primeira vez no Viva, e acho que também vai fazer muito sucesso agora, aposto. Até porque a TV a cabo aumentou muito a audiência nesses últimos anos. Teremos muito mais público, tenho certeza.  

3
O que a novela mudou na sua vida?

A novela me apresentou como ator para o grande público brasileiro, e isso muda a vida de qualquer um. Foi inesquecível e sinto os efeitos até hoje. Ganhei o prêmio de Ator Revelação da APCA, pelo qual eu agradeço a todos os meus colegas de elenco e ao Dennis Carvalho (diretor da novela). Eu já tinha feito televisão, tanto como ator como diretor, mas ‘Vale Tudo’ foi uma novela diferente, tudo ali era superlativo e inesperado. Até hoje, sou muito grato ao Gilberto Braga, um autor extremamente generoso, por ter dado impulso ao meu personagem, e essa grande chance. Depois dessa novela e do prêmio, trabalhei 10 anos quase que ininterruptamente.  

4
Qual era seu personagem preferido ? 

Eram dois: César Ribeiro e Maria de Fátima porque a ambição deles fazia a trama andar, com reflexos em todos os outros personagens, principalmente Olavo.  

5
Conte alguma curiosidade de bastidor daquela época. 

Era tanta comoção que várias vezes precisamos ser escoltados por seguranças para ir embora das externas. Eram multidões em volta da gente, fãs e repórteres. Tem uma curiosidade legal. O clima de gravações era incrível, tanto que teve uma época em que o camarim masculino se tornou uma espécie de cassino: entre uma cena e outra, a gente jogava sete e meio em pé, com dinheiro vivo, ao redor de uma mesa (risos)! E no último dia de gravação, uma sexta-feira, quando ia ao ar o último capítulo, o estúdio estava totalmente cercado por fãs e repórteres, e o elenco, munido de roteiros falsos para despistar todo mundo, inclusive a nós mesmos.  

6
Já esbarrou com algum Olavo por aí? 

A injustiça reinante no País propicia o surgimento de inúmeros sujeitos levados a tentar sobreviver sem ética alguma, e já esbarrei com vários por aí, sim. Infelizmente, a questão que a novela levanta – sobre valer a pena ser honesto em um país onde todos são desonestos – continua viva.  

7
Se tivesse que mandar um recado para o Gilberto Braga, nos dias de hoje, qual seria? 

Obrigado por tudo, querido, mas não deixe de escrever ‘Vale Nada’, uma continuação da nossa novela nos dias de hoje, 30 anos depois…  

Enviado por: Redação
18/06/2018 - 17:40

“Circuitinho”: evento para a criançada com jeitão de festival

circuiitinho

“Circuitinho”: evento para a criançada faz terceira edição na Casa Rosa, na Gávea. Na foto, a segunda edição que aconteceu em março /Foto: Divulgação

Neste fim de semana (23 e 24/06), acontecerá a terceira edição do “Circuitinho”, evento de recreação para crianças na Casa Rosa, na Gávea, com entrada revertida para o INCA Voluntário. Idealizado e produzido pelas irmãs Joana e Júlia Mendes, do atelier “Lá na Ladeira”, e pela empresária Tati Bonaparte Dorf, o programão já faz parte do calendário carioca, com muita música, diversão, arte e educação lúdica. No sábado, o tema será “Futebol”, para deixar a garotada no clima Copa do Mundo, com desafio de embaixadinhas com professores da FCBEscola (Escola de Futebol do Barcelona), além de palestra com dicas de viagens, oficina de gastronomia, aula com os 12 passos do Fortnite Dance (a febre do momento) e show com o grupo Violúdico. No dia seguinte, programação inspirada nos festejos juninos, além de aula de Pilates para pais e filhos, palestra sobre “Sustentabilidade e Alimentação Saudável”, oficina com tinta orgânica comestível, laboratório de ciências, Oficina de Artes, além do Arraiá do Circuitinho. A entrada para os adultos é uma lata de leite em pó ou R$ 10.

Enviado por: Redação
18/06/2018 - 16:30

Tela sobre tortura é acervo permanente do MHN

tortura_claudiovalerio2_mhn_divulgacao-a

“Tortura”: tela de Cláudio Valério Teixeira vai fazer parte do acervo permanente do Museu de História Natural /Foto: Divulgação MHN

O quadro “Tortura”, do artista plástico carioca Cláudio Valério Teixeira, passa a fazer parte da exposição permanente do Museu Histórico Nacional a partir deste mês. No início do ano, ele doou o trabalho ao museu, que fez parte de uma série exposta em 1978, no Rio. A tela está numa sala bem sugestiva para o tema: “A cidadania em construção”. “O apoio de doadores mantém o acervo do MHN atualizado”, diz Paulo Knauss, diretor do museu.

Enviado por: Redação
18/06/2018 - 15:15

A gataria não deixou no zero a zero

joao-paulo-abdalah-mario-bulhoes-e-daniel-erthal

bruno-toledo-e-juliano

joao-renato-eduardo-juca-e-gabriel-dolabella

rodrigo-scorzelli-felipe-scorzelli-e-raphael-gandara

nando-rodrigues-e-marcos-pitombo

“Vibra Brasil”: na primeira foto, João Paulo Abdalah, Mário Bulhões e Daniel Erthal; na segunda, Juliano Laham e Bruno Toledo; na terceira, João Renato, Eduardo Jucá e Gabriel Dolabella; na quarta, Rodrigo Scorzelli, Felipe Scorzelli e Raphael Gandara; na quinta, Nando Rodrigues e Marcos Pitombo /Foto: Camila Uchoa

Faltou empolgação em campo no primeiro jogo do Brasil, contra a Suíça, na Copa do Mundo, nesse domingo (17/06), que terminou em 1 x 1. No entanto, sobrou animação para os 1.500 convidados do evento “Vibra Brasil”, do complexo Village 2018, no Sheraton Grand Rio, Leblon, e o placar para muitos ali não terminou em empate e muito menos no zero a zero. Enquanto o jogo rolava, a gataria desfilava num vaivém interminável; deve ter sido a testosterona, entre todos. A maioria usava camisa do Brasil, e foi eleita até uma nova equipe: o “time colírio”, puxado pelos amigos do ator Marcos Pitombo, que comemorou aniversário. O próximo evento será no dia 27 de junho, no Brasil X Sérvia, com apresentação de Zeh Pretim, Mc Marcinho, Mixed Squad, dentre outros. Detalhe: os ingressos já estão quase esgotados.

Enviado por: Redação
18/06/2018 - 13:40

Ithamara: 30 anos de carreira no Blue Note

ithamara-koorax-2

Ithamara Koorax: cantora comemora 30 anos de carreira com show no Blue Note, no Rio /Foto: Reprodução

Mais reconhecida internacionalmente do que por aqui, Ithamara Koorax – eleita pela revista DownBeat uma das três melhores cantoras do mundo, ao lado de Diana Krall e Cassandra Wilson, – vai se apresentar no Blue Note, no dia 7 de julho. Koorax, que comemora 30 anos de carreira este ano, vai aproveitar e lançar o álbum “All Around the World”, gravado ao vivo durante turnês pelos EUA, Europa e Ásia. No palco, ela terá a companhia de Paula Faour (piano), Jorge Pescara (baixo) e César Machado (bateria). No repertório, músicas de Miles Davis, Cole Porter, Richard Rodgers, Tom Jobim, Michel Legrand, John Coltrane.

Enviado por: Redação
18/06/2018 - 12:21

Bruna Marquezine pode ganhar fama de pé-quente

neymar-bruna

Neymar e Bruna Marquezine: a atriz embarca ao encontro do namorado – se a seleção ganhar, adivinha fama….. / Foto: reprodução IG

Bruna Marquezine, no ar na novela “Deus Salve o Rei” (da Globo), afivela as malas para ir à Rússia, ao encontro do jogador Neymar, nesta quarta-feira (20/06). Na próxima sexta, a atriz vai assistir ao jogo Brasil X Costa Rica. Se a Seleção vencer, a namorada de Neymar vai ganhar um pouco mais de fama, desta vez, como pé-quente – pode ter certeza. Da mesma forma, se estivesse lá, no empate contra a Suíça, nesse domingo (17/06), teria sido chamada de pé-frio – brasileiro tem sempre de tentar arrumar uma desculpa. Muita gente não acredita nessa história de pé-frio, não, mas, neste caso, uma aquecida pode mesmo pegar bem. Rsrs! A viagem da atriz à Rússia foi publicada pela colunista de TV Patricia Kogut.

Enviado por: Lu Lacerda
18/06/2018 - 12:00

Toz Viana: novo mural em Copacabana

toz-viana-boca-do-lobo-c

Toz Viana: novo trabalho na Boca do Lobo, no Bairro Peixoto /Foto: Reprodução

Quem passar pela Boca do Lobo, travessia em Copacabana para o Bairro Peixoto, vai dar de cara com um mural novíssimo de Toz Viana, artista plástico e um dos grafiteiros mais bacanas do Rio. O trabalho foi finalizado nesse domingo (17/06) e os moradores já aprovaram o resultado – antes do mural de arte, estava degradado, todo pichado e sujo, mas foi recuperado pela equipe da Comlurb “Rio Novo Olhar”, que deixou as paredes branquinhas para receber os artistas. Além de Toz, Leandro Tick também deixou seus traços por lá. A ação foi uma parceria com o projeto Erê e canais Gloob/Gloobinho e Associação de Moradores e Amigos do Bairro Peixoto (Oásis).

Enviado por: Redação
17/06/2018 - 18:00

Arraial da Arara: começou cedo e acabou cedo: das 8 às 8

Foto de:

Foi o primeiro Arraial da Arara, mas certamente não será o último: tanto para o deleite dos organizadores (Malu Barreto e Pedro Igor Alcântara) quanto dos convidados. A noite foi uma loucura, com chuva, com lama, com frio – quem disse que isso desanimou? Pilha geral, todos-todas-todes: quadrilha, comidinhas típicas e, claro, os casamentos: o ‘padre’ foi Paula Lavigne e tava inspirada: “Casamento que eu faço dá sorte, dinheiro, foda, dá tudo”, disse de entrada – o público (800 convidados) foi ao delírio.

Desde damas-da-melhor-hierarquia-local até as mais incríveis atrizes do momento, como Alice Wegman (chamada ali no salão de irresistível, em todos os sentidos); Reynaldo Giannechini (um dos melhores figurinos, como Estevâo Ciavatta e outros tantos); Dudu Bertholini (por si, um show dentro da festa); enfim, uma gente ótima, figurinos incríveis, que poderiam tudo, menos passar indiferentes.

Todo mundo caiu no forró pela voz Mariana Aydar, Moraes Moreira, Mart’nalia, Maria Gadú, Mestrinho, Maíra Freitas e Duani, sob a decoração de fotos de São João enormes nas paredes e cenografia de Gringo Cardia. Segundo Pedro Igor, criador junto à Malu do Baile da Arara (sucesso no carnaval) amigos pediram mais uma festa anual; e aí está, na mesma condição da outra, esperada por todo mundo. A festa começou cedo (às 8 da noite) e acabou cedo (às 8 da manhã) – rsrsrs. Mariana Ximenes conseguiu chegar antes do fim, sempre trazendo consigo duas coisas que muitos desejam antes de tudo na vida: beleza e magreza. Veja fotos.

Enviado por: Lu Lacerda
17/06/2018 - 12:00

Seis perguntas para David Brazil (a paixão da Seleção)

david-brazil-e-camisas

Recentemente, David Brazil ficou hospedado por duas semanas, na casa de Neymar Jr., em Paris, enquanto o craque da Seleção Brasileira e do Paris Saint-Germain já estava no Brasil para os treinos da Copa do Mundo. O produtor foi mimado pelo mordomo, Marcos, e funcionários do jogador. “Me senti a própria Bruna Marquezine, a primeira-dama da mansão”, diz ele. David ficou íntimo de Juninho (apelido carinhoso) há 9 anos, através de um amigo em comum, Timotinho Silva, sobrinho de Agnaldo Timóteo. “A gente firmou na amizade, e ele é meu fechamento até hoje”. Mas Neymar é apenas um na enorme lista de íntimos do futebol: Daniel Alves, Marcelo Silva, David Luiz, Thiago Silva, Douglas Costa. Brazil, inclusive, é o único que tem livre acesso, além das famílias, à Granja Comary, QG dos meninos do Brasil, em Teresópolis, e detalhe: convidado pelos próprios jogadores. Em 2014, foi eleito o muso dos craques da Seleção. “E sou muso eleito por um só não: pelo Neymar, Daniel Alves e Thiago Silva. Também sou a titia de todos, das mães, mulheres, irmãos, sobrinhos e filhos.”

A admiração aos jogadores – e não ao futebol, que fique claro – vem de 1993, quando trabalhava como promotor de eventos num restaurante carioca e ganhou a simpatia de dois deles, que abriram as portas para várias outras amizades: Renato Gaúcho e Romário. Desde então, David coleciona não só amigos como também camisetas autografadas; são 50, entre assinaturas de Lionel Messi, Kaká, Cristiano Ronaldo, Léo Moura e Alexandre Pato. Mesmo com uma agenda de dar inveja a qualquer “Maria Chuteira”, David não vai à Rússia e prefere não assistir aos jogos pela TV, porque fica “muito nervoso”.

1
Por que não vai à Rússia?  

Li a notícia de que o Itamaraty (Ministério das Relações Exteriores do Governo Brasileiro) recomendou discrição dos gays brasileiros (a lei russa proíbe qualquer manifestação pública que tenha ligação com a causa LGBTQI+). Lá, a bicha tem que ficar bem durinha, quietinha, e eu não consigo – sou pintosa e espalhafatosa. Eu seria deportada ou presa. E tem mais: fui à África do Sul, em 2010, e deu ruim, fui à final de 2014 e deu ruim; então nem vou para esta para ver se eu sou mesmo o pé-frio da Seleção.  

2
Nestas épocas de Copa, as pessoas invejam essa ligação com os jogadores?  

Ihh, meu amor, muita! Quando posto foto só com Neymar, então, tem sempre uns comentários babacas nas redes sociais, dizendo que sou ‘babão’ e ‘puxa-saco’. A coisa que os jogadores mais detestam são os puxa-sacos. O segredo é que sou assim mesmo, do meu jeito, vou à casa deles e trato o caseiro do mesmo jeito. Isso são pessoas infelizes que, com certeza, queriam ter amigos como Neymar, que me dá a maior moral. E as amigas ficam dizendo ‘desgraçado, que inveja’. Eu digo para elas morrerem e nascerem de novo como uma bicha gaga, paraíba e divertida. 

3
Qual o segredo para ficar amigo dos jogadores?  

Eu acho que é uma questão de caráter, de confiança e respeito. Sei o meu lugar e não fico de mimimi. Eles caem na brincadeira porque sabem que eu tenho limite.  

4
Já sofreu preconceito nesse meio tão machista?  

Nunca, e olha que isso vem lá de 1993, com o Romário e o Renato, numa época em que era muito difícil um gay ter acesso e moral com algum jogador. Mas vejo que ainda existe muito preconceito com as mensagens nas redes sociais quando Thiago Silva, o Marcelo ou Neymar postam fotos comigo – xingando, dizendo ‘pô, tu tá pegando esse viado?’, entre as mais leves. A gente não pode se abalar. Eu enfrento esses filhos da mãe de cabeça erguida e com spray de purpurina.  

5
Aliás, você gosta de futebol?  

Gosto dos jogadores; não entendo nada de futebol, nada. Gosto mesmo é de torcer e babar por eles. Para ser sincero, eu até prefiro não assistir aos jogos porque eu sofro; só gosto de saber o resultado.  

6
Tem um predileto?

Amizade é Neymar, Marcelo e Thiago Silva; tesão é o Douglas Costa, um negão que é meu tipo, com cara de homem, pernão, coxão, bundão, tudo ão. E tem jogador de um time africano, bocudo, estiloso, forte, um negão foda. Com esse eu até deixaria de ser piranha na hora e casava.

 

Enviado por: Redação
16/06/2018 - 16:56

Restauração: Biblioteca Nacional – a mesma cara de 1910

9b90010f-479c-4556-8a1d-10130018b1f9

Biblioteca Nacional: prédio volta a ter a cara de 1910, depois da restauração / Foto: Marcos Gusmão

Helena Severo, presidente da Biblioteca Nacional, recebe convidados nesta segunda-feira (18/06) para comemorar a restauração do prédio da Biblioteca Nacional, na Avenida Rio Branco, depois de um ano e meio de obras, com concerto da Orquestra sinfônica da Petrobras. Quando Helena assumiu a presidência, em 2016, o prédio estava coberto por tapumes há quase cinco anos: partes do reboco da fachada estavam caindo na calçada, e o governo não tinha verba para a obra. Depois de muitas idas e vindas a Brasília, finalmente conseguiu R$10,7 milhões do Fundo Nacional de Cultura e, em dezembro de 2016, os operários começaram a trabalhar na restauração. A obra não atrasou um dia sequer e foi concluída na data marcada. Das janelas à cor das paredes, o prédio voltou ao aspecto original, de 1910.

Enviado por: Lu Lacerda
16/06/2018 - 15:50

“Os Leite Barbosa”: sem o Marcel Telles, mas com muitos nomes

foto-6

Marcello e Maurício Leite Barbosa: uma das imagens do livro “Os Leite Barbosa”, a ser lançado nesta segunda-feira (18/06), no Rubaiyat

Antonia Leite Barbosa, que divide a produção de “Os Leite Barbosa – a saga da corretora que revolucionou o mercado” com George Vidor (pela Edições de Janeiro), lança o livro nessa segunda-feira (18/06), a partir das 6 da tarde, no Rubaiyat, com uma curiosidade: por que Marcel Telles, tendo trabalhado na corretora, negou-se a dar depoimento? Isso a gente não sabe, mas não desanimou Antonia – a jornalista seguiu buscando personagens variados, muitos deles bem conhecidos: de Jorge Paulo Lemann a Antonio José Carneiro, o Bode, passando por Salvatore Cacciola e Fábio Nahoum. Todos fazem parte, de alguma maneira, da história da família: de como Marcello e Maurício Leite Barbosa (avô e pai da co-editora) ajudaram a transformar o mercado de capitais. Pelo talento de Vidor, estão amores, sacadas em negócios, pioneirismo, ambição, descontrole e muitas paixões.

Enviado por: Lu Lacerda
16/06/2018 - 12:00

Ipanema – rua movimentada à noite: coisa rara

thomas-troisgros-gilson-val-e-andre-meisler-0263

pauliho-vilhena-e-amanda-beraldi-0395

andre-e-juliana-meisler-0371

victoria-oliveira-e-natasha-pugliese-0392

Na primeira foto, Thomas Troisgros e Gilson Val; na segunda, Paulo Vilhena e Amanda Beraldi; na terceira, André e Juliana Meisler; nesta foto, Victoria Oliveira e Natasha Pugliese / Fotos: Renato Wrobel

Quem passava na esquina da Barão da Torre com Maria Quitéria, nessa sexta-feira (15/06), viu grande vaivém na rua, o que ultimamente é raro no Rio – o povo anda medroso de pôr a cara na rua à noite. Se é assunto do Thomas Troisgros, aí muda a conversa, digamos assim. O chef estava ali recebendo com o sócio Deco Meisler, para inaugurar o segundo piso do T.T. Burger.

Enviado por: Lu Lacerda
15/06/2018 - 19:38

Programe-se: agenda para o fim de semana

agenda

Segundo Mário Maluco, no Palaphita, na Lagoa, transformada na Casa da Suíça para a Copa, vai ter tanto bofe, quase a ponto de ter de pedir: que-a-máscara-de-oxigênio caia-automaticamente. Rsrsrs  

Para você, que não viu “Caetano Moreno Zeca Tom Veloso”, a família se apresenta no Vivo Rio, nesta sexta e sábado (15 e 16/06).

O Londra, bar do Hotel Fasano, vai ter DJ nos intervalos dos jogos do Brasil e, depois, também. Logo na chegada, o torcedor ganha um drinque (o “Capitão Bellini” (vodka, suco de manga e xarope de maçã verde). Se quiser repetir à exaustão, tudo certo, desde que você pague, claro. Quanto a couvert artístico, não vai ser cobrado. Não vai chegar de motorista, e o cara ficar lá plantado sem poder ver os jogos, mandando uma energia braba pra você e pra Seleção – pela sua parte, pode ser que muitos não se incomodem – brincadeira! Vá de táxi, criatura.

Dirigido por Miguel Falabella, o musical “O homem de La Mancha” está no Teatro Bradesco, no Village Mall, com ótimas críticas.

E tem Nelson Rodrigues: “A mentira”, estreia nesta sexta (15/06), no Teatro Gláucio Gill, em Copacabana. A trama conta a história de uma família ao descobrir que a caçula, de 14 anos, está grávida. Está em cartaz de sexta a segunda, às 20h, e o ingresso custa $40.

Arnaldo Antunes (paulistano querido no Brasil inteiro) faz show no Circo Voador: o “RSTUVXZ” (os títulos dele são ótimos!), neste sábado (16/06).

Carioca linda e solteira está louca pra alugar apartamento no ex-prédio do Sérgio Cabral, no Leblon, desde que viu o novo inquilino do ex-governador saindo do seu escritório, na Dias Ferreira, no mesmo bairro. Vizinha diz que o paulista é tipo não-tá-pra-jogo!

Se você está cagando pra Copa do Mundo, mas os hormônios estão em ebulição, coloca a TV no mudo, abra um vinho e mire nos homões em campo: um verdadeiro desfile de superlativos. No mínimo, pode servir de inspiração para você fazer um curso de algum idioma.

 Para as crianças, o espetáculo “O Maravilhoso Mundo de Disney on Ice” fica até este domingo (17/06), no Jeunesse Arena, na Barra. Os mais de 40 personagens encenam trechos dos clássicos da Disney, como “Alladin”, “A Pequena Sereia” e “O Rei Leão”. O ingresso custa a partir de $80, e o show pode ser visto sexta, às 19h30; sábado, às 11h e 15h e domingo, às 10h e 18h.

Neste sábado (16/06), o bloco Mulheres de Chico se apresenta no Teatro Rival Petrobras, às 19h30. O show é em homenagem ao aniversário de Chico Buarque, que completa 74 anos nesta terça-feira (19/06). Os ingressos custam $70 (inteira). 

Precisa de mais motivação? Você tem duas escolhas: espere a dor chegar para sair da cama ou, simplesmente, pule e diga “vou fazer”. Do professor de Cabala Shmuel Lemle.

Ilustração: Edgar Moura

Enviado por: Lu Lacerda
15/06/2018 - 18:00

Palaphita, na Lagoa: até as capivaras fantasiadas de suíças

mario-1

Mario de Andrade, o Mario Maluco: o Palaphita, na Lagoa, virou a Casa da Suiça – até as capivaras estão usando fantasias do país / Foto: Armando Araújo (arquivo Site Lu Lacerda)

Que situação se a Suíça, digamos, pagar algum mico no jogo com o Brasil (cruz credo se for diferente!), neste domingo (17/06) no Palaphita, na Lagoa. Ali, Mário de Andrade, o Mário Maluco, montou praticamente uma sucursal daquele país: o cônsul Rudolf Wyss vai, oficialmente, “abrir os trabalhos”, com o hino do país e tudo. Até as capivaras estão fantasiadas de suíças, enquanto rolam só comidinhas típicas e até cinema ao ar livre no pôr do sol e um teleférico que simula a neve do clima suíço. E o mais importante: a transmissão dos jogos, segundo Mário, no telão de maior definição de toda a Copa. Ele vai aproveitar para dar uma impulsionada na cerveja nova, que está lançando em sociedade com Cesário Mello Franco e Beto Londres. Mário já tem experiência no assunto: na Copa de 2014 e nas Olimpíadas, ali foi também o Espaço da Suíça.

Enviado por: Lu Lacerda
15/06/2018 - 16:40

Cariocas: manifesto pela legalização do aborto

aborto-legal-b

Cena da manifestação a favor do aborto na Argentina: cariocas também vão sair às ruas pela legalização do aborto /Foto: Prensa Obrera

Mais de três mil pessoas confirmaram que vão à manifestação “Nossa hora de legalizar o aborto RJ”, criada pela ativista carioca Priscilla Marques, que vai acontecer numa passeata entre a Candelária e Cinelândia, na próxima sexta-feira (22/06). “Mulheres do Rio, negras, indígenas, brancas, jovens, adultas e idosas, sinto que temos uma missão para cumprir, que é garantir a legalização do aborto no Brasil. Vamos continuar nossa luta, que tomou o mundo, continuando o legado de lutas por direitos que Marielle Franco começou”, diz Priscilla. Em agosto, a ministra do Supremo Tribunal Federal Rosa Weber vai fazer uma audiência pública sobre o assunto, para elaborar seu voto como relatora de uma ação protocolada pelo PSOL. A votação ainda não tem data para acontecer, mas é vista pelo movimento feminista como a maior chance de legalizar a prática no País. A julgar pelas redes sociais, muita gente acha que a aprovação na Argentina pode dar uma força no Brasil.

Enviado por: Redação