21/05/2018 - 16:30

Padres Omar e Jorjão: os novos “Cavaleiros da Ordem do Santo Sepulcro”

colagem-sem-titulo-1

346q9813-padre-jorja%cc%83oeliana-moura-e-padre-omar-raposo

346q9776-gilson-araujo-junior-dara-araujo-e-paula-lemos-leite

346q9781-isis-penido-eliana-moura-e-fernando-bicudo

Na primeira foto, o Monsenhor André Sampaio (da Paróquia Nossa Senhora da Misericórdia), seguido por Glória Severiano Ribeiro; na segunda, Padre Jorjão, Eliana Moura e Padre Omar Raposo; na terceira, Gilson Araújo Júnior, Dara Araújo e Paula Lemos Leite; na quarta, Fernando Bicudo (há três anos nomeado Cavaleiro da Ordem), Eliana Moura (também uma das Damas) e Isis Penido (na função de “Lugar Tenente” da Ordem no Rio) / Fotos: Vera Donato

As tradições religiosas para alguns cariocas é coisa muito séria – como na noite desse domingo (20/05), quando um grupo se reuniu para a “Vigília D’Armas Velada”, solenidade – e não existe outro nome – que precede a “Investidura de novos Cavaleiros e Damas na Ordem Equestre do Santo Sepulcro de Jerusalém”, que vai acontecer nesta segunda-feira (21/05), na capela do Palácio São Joaquim, casa do cardeal Dom Orani Tempesta, na Glória. Para o evento desta noite, serão nomeados seis homens e seis mulheres, entre eles os padres Omar (reitor do Santuário Cristo Redentor) e Jorjão (da Paróquia Nossa Senhora da Paz, em Ipanema). No evento desse domingo também foi lançado o livro “Ordem Equestre do Santo Sepulcro de Jerusalém – origem, história e missão”, do Monsenhor André Sampaio, Prior da Ordem Equestre do Santo Sepulcro de Jerusalém.

A “Ordem dos Cavaleiros e Damas” existe há mais de mil anos e está em 30 países, nomeando pessoas para propagar a fé e fazer trabalhos de caridade. A instituição também comemora os 30 anos no Brasil tendo pela primeira vez no País a visita de um Grão Mestre – na função atualmente o americano Edwin Frederick O’Brien, também arcebispo-emérito de Baltimore. A “Ordem” é uma das duas únicas no mundo reconhecidas pelo Papa, a outra é a Ordem Soberana e Militar de Malta.

Enviado por: Redação
21/05/2018 - 15:00

País da bunda, do carnaval e do futebol está mudando

bunda-carnaval-futebol

Pesquisa aponta que a maior preocupação atualmente do brasileiro é a Operação Lava-Jato e apenas 10% pensam mais na Copa do Mundo /Foto: Reprodução

Pesquisa do Instituto Paraná mostra que, para quase 80% dos entrevistados (exatos 77,7), a maior preocupação atualmente é a Operação Lava-Jato e que 10% pensam mais na Copa do Mundo. Foram ouvidas 2.170 pessoas em 26 estados e no Distrito Federal, entre os dias 16 e 19 de maio. Isso demonstra desinteresse pela Copa da Rússia? Antes de tudo, o que se vê é que a maioria pensa muito mais na corrupção – seria tentar curar a dor antes de pensar no prazer? O Brasil, país da bunda, carnaval e futebol, parece estar mudando sua lista de prioridades.

Enviado por: Lu Lacerda
21/05/2018 - 13:40

Carioquices: a criatividade do vendedor de rua

cena-carioca-b

Carioquices: a criatividade do ambulante de sinal de trânsito nas ruas /Foto: Reprodução Facebook Alerta Leblon

Que o carioca tem criatividade e bom humor, estamos cansados de saber. Um desses ambulantes que colocam pacotinhos de petiscos, balas e afins no retrovisor dos carros quando o sinal está no vermelho, soube muito bem aproveitar o momento atual do País para fazer o seu apelo: “Não ganho três refeições diárias como o Lula; então, vendo balas”, diz o bilhete grampeado ao saquinho, com uma caricatura do ex-presidente preso. O bilhetinho está conquistando os motoristas da Zona Sul. Preso na Superintendência da PF (Polícia Federal) em Curitiba, desde abril, Lula tem três refeições por dia e, coincidentemente, o político foi o criador do programa Fome Zero, lançado em 2003, cujo lema era que toda pessoa em seu país pudesse ter acesso a três refeições diárias.

Enviado por: Redação
21/05/2018 - 12:30

Compositores de “Sá Marina” ganham homenagem em livro

tiberio

Tibério Gaspar (1943-2017) e Antônio Adolfo em 1970, ano em que já tinham sucessos como “Sá Marina” e “Teletema”. A foto vai estar no “Songbook Antônio Adolfo & Tibério Gaspar” /Foto: Divulgação

Na imagem, os compositores Tibério Gaspar (1943-2017) e Antônio Adolfo em 1970, ano em que já tinham sucessos como “Sá Marina” e “Teletema”. A foto é uma das 42 imagens – todas que ilustram o “Songbook Antônio Adolfo & Tibério Gaspar” (Irmãos Vitale). O livro, com as 53 parcerias da dupla, é apresentado pelo jornalista Nelson Motta e traz texto historiográfico assinado pelo escritor Lula Moura. Na apresentação, Nelsinho conta que “Teletema” foi composto especialmente para “Véu de noiva”, da TV Globo, cuja trilha foi a primeira produzida especialmente para uma novela. E destaca a “levadinha deliciosa e contagiante” da canção, “como se Burt Bacharach tivesse nascido em Copacabana”. O songbook vai ser lançado nesta segunda-feira 21/05), na Travessa de Ipanema.

Enviado por: Redação
21/05/2018 - 11:30

Thomas Olde Heuvelt: autor de terror holandês vem ao Brasil

thomasoldeheuvelt

Thomas Olde Heuvelt: escritor holandês vem ao Brasil para lançar livro de terror /Foto: Reprodução

Além do terror do dia a dia, os brasileiros adoram, também, o da ficção: o premiado autor holandês Thomas Olde Heuvelt vem ao País lançar “Hex”, entre 4 e 13 de junho, no Rio, São Paulo e Porto Alegre. A história, traduzida para 26 países, fez tanto sucesso que vai ser adaptada para uma série produzida pela Warner, com roteiro de Gary Daruberman, o mesmo de “It: A Coisa” e “Annabelle”. A publicação conta a história de uma bruxa que foi condenada à fogueira, mas sobreviveu e continua assombrando o pacato vilarejo de Black Srping, nos Estados Unidos, mais de 300 anos depois. “Mal posso esperar para ouvir os leitores brasileiros sobre a trama – se ficaram arrepiados ou se tiveram pesadelos”, diz o autor, fã de Roald Dahl e Stephen King.

Enviado por: Redação
20/05/2018 - 19:30

Arquitetura carioca de luto: morre Pedro Paranaguá

pedro-paranagua

Pedro Paranaguá: grande nome da arquitetura carioca morreu neste domingo (20/05), na Casa de Saúde São José – Foto: Miguel Sá (arquivo Site Lu Lacerda)

Arquitetura carioca completamente de luto: morreu neste domingo (20/05), aos 65 anos, o arquiteto Pedro Paranaguá, na Casa de Saúde São José, em Botafogo, onde foi internado há uma semana, numa crise violenta de falta de ar – sofria de fibrose e câncer no pulmão. O lado profissional era apenas um dos talentos desse arquiteto, formado pela Universidade Gama Filho, tendo aprendido muito do que sabia com Sérgio Bernardes, de quem foi estagiário. Era criativo, inteligente, gentil, espirituoso e muito sociável, homem de muitos amigos das mais variadas áreas de atuação, junto à sua mulher, a estilista Naná Paranaguá, com quem foi casado a vida inteira. Os espaços assinados por ele estavam sempre entre os mais esperados do CasaCorRio, a cada edição. Por ser filho do diplomata Paulo Henrique de Paranaguá e da designer Glorinha Paranaguá, Pedro morou em vários países. Deixa dois filhos e dois netos. O corpo vai ser cremado nesta segunda-feira (21/05), no Memorial do Carmo, às 14:30 – velório a partir das 12:30.

As opiniões dos amigos falam por si:
Ana Maria Indio da Costa (decoradora): “Pedro era excelente profissional e amigo, só tenho elogios. É uma grande perda tanto para a decoração quanto para a arquitetura carioca.”

Erick Figueira de Mello (arquiteto): “Tinha muito carinho por ele, dono de um gosto refinadíssimo. Era um arquiteto muito culto, talvez até por ser filho de embaixadores. Teve uma vida de cultura muito rica e, sobretudo, sempre acolhia os colegas, era gentil e generoso”.

Marcia Müller (arquiteta): “O Pedro era talento e bom gosto na mesma pessoa. Ela tropicalizava sua cultura internacional e traduzia tudo no seu trabalho. Sem falar no senso de humor e na simpatia. Assinou projetos muito bacanas em casas particulares.”

Patricia Mayer (diretora da CasaCorRio) – “Passamos muitos anos de nossas vidas juntos. O Pedro amava a profissão, a arquitetura era muito forte nele. Sempre trazia para os projetos a vivência de ter morado no Marrocos, na França ou na Espanha, além de ser muito atento às novidades. Está todo mundo arrasado, era amigo e parceiro, além de um homem bonito e sempre de sorriso largo”.

Enviado por: Lu Lacerda
20/05/2018 - 13:30

Os 90 anos de Luiz Carlos Barreto

Foto de:

Em seu convite de aniversário, o cineasta Luiz Carlos Barreto, o Barretão, aparece numa montagem vestindo a camisa da Seleção Brasileira com o número 90 abaixo do escudo e uma das mãos no ouvido, como se tivesse acabado de marcar um golaço. Nesse clima elevadíssimo, ele reuniu muitos amigos para comemorar nove décadas, nesse sábado (19/05), no Itanhangá. “Não importa se faço 20, 40, 60 ou 90! O que importa é a idade que eu sinto. Tenho os anos de que preciso para viver livre e sem medos. Para seguir sem medo pelo caminho, pois levo comigo a experiência adquirida e a força de meus anseios”, dizia o convite, com frase atribuída a José Saramago.

Entre um pratos de feijoada, muito champanhe e caipirinhas, um mix de gerações – entre crianças, jovens e amigos da vida inteira. Lucy Barreto, mulher do aniversariante e parceira de trabalho há 64 anos, produziu um vídeo com depoimentos carinhosos de pessoas que acompanham os 73 anos de carreira de um dos nomes mais importantes do cinema brasileiro. Fernanda Montenegro fez sucesso com a criançada, que pediu uma foto coletiva com a atriz. “Você não pode imaginar: agora, os velhos é que estão com tudo, cheios de novos fãs”, disse ela à fotógrafa. Flamenguista doente, o bolo era uma homenagem ao seu time do coração, com um bonequinho vestindo a camisa rubro-negra. E assim seguiu o almoço, que começou às 14h e foi até altas horas. Veja as fotos.

Enviado por: Redação
20/05/2018 - 13:00

Ivens Machado: abertura de primeira mostra depois de sua morte

Foto de:

A turma das artes já estava com altas expectativas para a inauguração da exposição “Corpo e Construção”, a primeira de Ivens Machado depois da sua morte, em 2015, aos 72 anos, na Carpintaria, espaço da Fortes D’Aloia & Gabriel, no Jardim Botânico, nesse sábado (20/05). São cinco esculturas em materiais como concreto, ferro e entulho de obra, feitas entre 1991 e 2006, além de um tríptico fotográfico com o registro da sua “Performance com bandagem cirúrgica”, de 1973. O trabalho de catalogação e conservação das obras foi feito pela designer Mônica Grandchamp, assistente de Ivens por muitos anos, e pela galerista Márcia Fortes, que espera que a mostra seja um passo para divulgar ainda mais o trabalho de Machado, inclusive no exterior – ela levou uma de suas esculturas para a feira Frieze de Nova York, no início do mês. Confira quem passou por lá na Galeria.

Enviado por: Redação
20/05/2018 - 12:00

Seis perguntas para Eduardo Faveret (sobre canabidiol)

eduardo-faveret-d

Eduardo Faveret é o nome quando se fala em tratamentos à base de canabidiol, uma das 113 substâncias químicas encontradas na cannabis (substância extraída da maconha). O neurologista, do Instituto Estadual do Cérebro (IEC) e diretor da Associação de Apoio à Pesquisa a Pacientes de Cannabis Medicinal (Apapi), acaba de participar do seminário internacional sobre o assunto no Museu do Amanhã, neste fim de semana, ainda envolto em muita polêmica esbarrando em burocracias, preconceitos e falta de conhecimento. Faveret acompanha mais de 300 pacientes que fazem uso do remédio, liberado para importação em 2014 pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

1
Quando o canabidiol produzido no Brasil terá qualidade comparável ao americano?  

As alternativas estão se multiplicando. Antes, era só nos Estados Unidos, onde é vendido como suplemento alimentar; então, o controle é menos rigoroso. Aqui, já existe uma cooperativa, a Abrace Esperança, na Paraíba, que já tem uma autorização para o cultivo coletivo. Existem várias outras em funcionamento no País, produzindo óleo com qualidade, mas que não são reguladas – daí o risco de ter pessoas que fraudam, exatamente porque não é uma coisa totalmente oficial.

2
Quais as mudanças que seus pacientes tiveram com o canabidiol?  

Mudanças no controle das crises epiléticas (entre 10% e 20% ficaram completamente controladas), no tratamento de câncer, esclerose múltipla, ansiedade, depressão, dor etc. E estamos falando de pacientes que eram resistentes a todos os outros tipos de tratamento. Cerca de 45% tiveram uma melhora muito grande, e 80% tem alguma melhora. Também percebi uma melhora na ansiedade, sono, humor, tensão, doenças inflamatórias em geral, melhora do colesterol, obesidade, depressão, lúpus, diabetes, parte cognitiva e motivacional.

3
Que medicamentos podem ser substituídos pelo canabidiol?  

Tem pessoas que estão tomando vários medicamentos para uma doença só. O canabidiol age de forma conjunta, ajudando nas diabetes, doenças inflamatórias, como as autoimunes; na psiquiatria, ele é um medicamento revolucionário por ter o menor perfil de efeitos colaterais e atuar de forma ampla; pode substituir vários anticonvulsivantes, anti-inflamatórios, que fazem mal para os rins, e os corticoides, que causam imunossupressão, e ajuda a combater a osteoporose. O canabidiol também substitui remédios para dor, como os opiáceos (derivados do ópio), o que já aconteceu em países com acesso liberado ao medicamento, que diminuiu em seis vezes o consumo de morfina e derivados, além de remédios de quimioterapia.

4
Pela sua intimidade com o assunto, sendo médico, falta muito para ser liberado, sem a burocracia atual com a Anvisa?  

Eu acredito que não falta muito para ser liberado. Deve acontecer ainda neste governo, mas, se não for agora, só depois das eleições; aí também vai depender muito de quem entrar e de qual rumo o País vai tomar. Mas, sem dúvida, pelo avanço em todos os países em termos de ciência e que não há explosão de consumo, que há a redução de mortes por conta da diminuição dos efeitos colaterais, a gente tem que batalhar pra isso acontecer rápido. Do contrário, vamos ficar só comprando coisas de outras nações.

5
Qual a melhor administração do remédio?  

Uma delas seria a via oral, a de menor aproveitamento porque, ao cair no estômago, ele vai ser transformado no fígado, e você vai ter uma perda grande dos fitocanabinoides. Então, melhor que ingerir, seria colocar as gotinhas na mucosa da boca para deixar absorvendo por alguns minutos. Tem pessoas que fazem nasal, por spray ou sublingual. Existe também a administração transcutânea, usada na pele da nuca; e o fumo ou vaporização – na primeira tem a fumaça que contém outras substâncias, não sendo a ideal; já a vaporização do óleo (como naquele cigarro eletrônico) dá resultado em 10 minutos – muito interessante em casos de dor e ansiedade. O problema é que, na vaporização ou no fumo, o efeito dura menos, de quatro a cinco horas, enquanto, na mucosa, você pode tomar só duas vezes ao dia.

6
Acredita que existe um preconceito, uma confusão no uso da substância como remédio e o uso recreativo?  

Ainda existe bastante preconceito da população geral, mas principalmente dos médicos, que ainda estão muito pouco informados. É preciso trabalhar isso na grade curricular do profissional de saúde. Os próprios médicos ainda confundem o canabidiol com o THC, uma substância psicoativa que tem algum risco psiquiátrico e cognitivo para uma população específica. Podemos dizer que o uso social ou recreativo também é um uso medicinal, até certo ponto, porque, da mesma forma que algumas pessoas tomam uma taça de vinho para relaxar, usam a canabis para dormir melhor, para aumentar a libido; então, muitas vezes, é uma necessidade, mesmo que ainda não seja claro que ela é uma pessoa doente, mas usa para o seu bem-estar. Existe, claro, a situação do abuso: a pessoa que tem uma tendência às drogas e que vai passar a fazer uso regular de forma pesada, diária, que vai comprometer o dia a dia.

Enviado por: Lu Lacerda
19/05/2018 - 18:00

Marqueteiro de Crivella vai trabalhar com Flávio Rocha

daniel-braga

Daniel Braga: gestor da comunicação digital da Prefeitura do Rio, vai ser o marqueteiro de Flávio Rocha, candidato à Presidência da República / Foto: reprodução

Flávio Rocha, presidente da Riachuelo, candidato à Presidência da República pelo PRB, já tem o seu marqueteiro: Daniel Braga – tudo foi definido na casa de Flávio, no Jardim América, em São Paulo, nessa sexta-feira (18/05). Com talento especial para as redes sociais, Daniel já trabalhou, por exemplo, com o presidente Michel Temer e com o prefeito João Doria e é atualmente gestor da comunicação digital da Prefeitura do Rio. Os cariocas em geral não têm percebido grandes mudanças na imagem de Crivella nos últimos meses, não. Espera-se, com o presidente da Riachuelo, que os resultados sejam mais imediatos visto que as eleições são dia 7 de outubro. Ele vai acumular os dois cargos.

Enviado por: Lu Lacerda
19/05/2018 - 16:30

Lagoa ganha novos moradores: 120 caranguejos

lagoa-voluntaiors

“Movimento Conhecer para Conservar”: ação com 250 voluntários solta 120 caranguejos na Lagoa, além da limpeza e replantio de vegetação /Foto: Divulgação

Na tarde deste sábado (19/05), antes da ventania na cidade, 250 voluntários divididos em nove grupos se uniram para a ação “Movimento Conhecer para Conservar”, criado pelo AquaRio em parceria com o Instituto Manguezal, do biólogo Mário Moscatelli, na Lagoa. Um dos grupos soltou 120 caranguejos da espécie guaiamum, trazidos de Guaratiba, na vegetação de mangue, além de fazerem a limpeza e o replantio de 100 mudas típicas das margens da Lagoa. Moscatelli já plantou mais de 4,5 mil mudas de mangue nas margens da Lagoa, recuperando 75% do ecossistema do local.

Enviado por: Redação
19/05/2018 - 15:00

Peça “Contracapa” estreia no Rio

postar-roberto-frota-priscila-vidca-e-rocio-duran

postar-heitor-martinez-e-saulo-rodrigues

postar-norma-thire-e-sergio-fonta

“Contracapa”: na primeira foto, Roberto Frota, Priscila Vidca e Rocio Durán; na segunda, Heitor Martinez e Saulo Fernandes; na terceira, Norma Thiré e Sérgio Fonta /Fotos: Cristina Granato

Estreou, nessa sexta-feira (18/05), o espetáculo “Contracapa”, com texto inédito de Suzana Nascimento e direção de Priscila Vidca, na Casa de Cultura Laura Alvim, sobre as escolhas que as pessoas fazem ao longo da vida e suas respectivas consequências. No palco, José Karini, Rocio Durán, Saulo Rodrigues e Roberto Frota, feliz da vida, comemorando seus 50 anos de carreira, depois de ter lançado seu primeiro livro, o romance policial “Mão de flor”.

Enviado por: Redação
19/05/2018 - 13:00

De Próprio Punho, por Claudia Matarazzo: Meghan X Harry

harry-e-meghan-2

“O que percebi do casamento real foi a emoção: das músicas escolhidas, o coral gospel, o discurso dramático do pastor americano e a troca de olhares entre os noivos – nunca antes na história da Inglaterra, a monarquia divertiu-se de verdade em uma cerimônia de casamento. Era visível no olhar de todos os convidados e, principalmente, nos sorrisos espontâneos do irmão do noivo, William, e do pai, Charles, o quanto se divertiam e se emocionavam a cada etapa. Harry derretia-se literalmente de amor: seu olhar para Meghan e o beijo fora do protocolo assim que saíram da igreja disseram tudo. Ela, por sua vez, mostrava-se devidamente encantada, porém no controle: ciente dos olhos do mundo e da mídia sobre sua pessoa, exibiu uma compostura de dar inveja à própria Rainha Elizabeth II, que tem mais de 60 anos de tarimba.

O vestido da Maison Givenchy (mas de uma estilista inglesa diretora da marca na Inglaterra) prova que ela saberá ceder sempre que necessário: prestigiou os ingleses em detrimento, entre outros, da amiga canadense Jessica Mulroney, com quem provavelmente tinha mais afinidade, e deu aos filhos dela o privilégio de acompanhá-la no carro e levarem seu véu. Diplomacia é isso. E, de quebra, entrou com um lindo vestido elegante, simples e com metros e metros de véu em delicada renda, pra princesa nenhuma botar defeito. Finalmente, se alguém ainda duvida da aprovação da avó de Harry a Meghan, basta ver a tiara de diamantes escolhida por Elizabeth II para a noiva: nada menos do que a de sua própria mãe; a peça é uma das mais lindas e importantes da fabulosa coleção da Torre de Londres.

Eu acho que “felizes para sempre” talvez seja um exagero romântico, mas que o casamento começou muito bem, cheio de emoção e beleza, não resta dúvida! Meghan Markle não é, nem de longe, a primeira plebeia a se casar com um príncipe: a argentina Máxima Zorreguieta casou-se com o príncipe Willem-Alexander e virou uma rainha; Rania da Jordânia, idem; Letízia da Espanha, também…. No entanto, Meghan traz uma carga extra de encanto, aliás, carga dupla de diversidade: afrodescendente e americana (que, para os ingleses, exerce um fascínio quase como se fosse de outro planeta). E mais: as plebeias que se casaram com outros príncipes não suscitam esse clamor global.

Qual a diferença desses príncipes da Casa de Windsor!? Para começar, essa é uma monarquia que, desde sempre, se orgulhou de ser monarquia e jamais pediu desculpas por sua nobreza. Isso faz diferença. As outras casas reais insistem em levar uma vida discretíssima, perto do normal. A Rainha Elizabeth (e seus ancestrais) nunca fizeram isso; ao contrário: saem de carruagem em meio ao trânsito, comparecem com coroa e cetro em atos públicos oficiais, o que é tradição, e – principalmente – mantêm uma relação de amor-ódio-respeito com a mídia, que está sempre pronta a divulgar exatamente o que eles querem. Só que, como boa filha de italianos, acho que a rainha podia liberar para os convidados dos jardins (cerca de 2 mil) um “fish and chips” básico; afinal, é uma das mulheres mais ricas do mundo.”

Claudia Matarazzo é jornalista, cerimonialista e palestrante.  

Enviado por: Lu Lacerda
19/05/2018 - 12:00

“Shell Open Air”: noite de festa na Marina da Glória

postar-tais-araujo-e-lazaro

martnalia-e-cinara-leal

isabel-fillardis-e-samantha

jonathan-e-marcello-melo

iza-tony-e-pretinho

“Shell Open Air”: na primeira foto, o casal Taís Araújo e Lázaro Ramos; na segunda, Mart’Nália e Cinara Leal fazendo o símbolo do Pantera Negra; na terceira, Isabel Fillardis e Samantha Schmütz; na quarta, Jonathan Azevedo e Marcelo Melo; na quarta, Iza todo-poderosa, Tony Tornado e Pretinho da Serrinha /Fotos: Felipe Panfili

A Marina da Glória ficou lotada nessa sexta-feira (18/05), no evento Shell Open Air, com a exibição de “Pantera Negra”, o 10º filme de maior bilheteria de todos os tempos. Gente que já assistiu ao longa, não estava nem aí para o repeteco no enorme telão à beira da Baía de Guanabara, com o Pão de Açúcar ao fundo e o Corcovado lá atrás. A noite foi uma festa à cultura negra e um desfile de estilos – roupas, cabelos e atitude. O casal Taís Araújo e Lázaro Ramos estava lá no meio da plateia, atentos à história do rei-guerreiro da nação africana fictícia de Wakanda. Mas a exibição pode ter sido apenas uma desculpa para assistir aos shows do evento: no palco, Pretinho da Serrinha ao lado da Big Black Band com convidados como Iza, a cantora da vez, Jonathan Azevedo e Tony Tornado. Foi um bailão real, daqueles que ninguém conseguia ficar parado: a atriz Samantha Schmutz sambava ao som de “Sorriso Negro”; Isabel Fillardis fazendo a passista ao som de clássicos do samba; Mart’nália chegou atrasada, toda esbaforida, achando que o evento ainda acontecesse no Jockey – deu de cara com os cavalos. Mas ela chegou a tempo de conferir a noitada boa. O evento segue até 3 de junho, de quarta a domingo.

Enviado por: Redação
18/05/2018 - 19:50

Gisele Bündchen: lançamento de livro e bate-papo em SP

gisele-bunchen-sp

pedro-paulo-diniz-paul-gi-e-outro

Gisele Bündchen lança livro em São Paulo e participa de bate-papo com Pedro Paulo Diniz, Paul Hawken e Carlos Nobre /Foto: AG.News

Se tem Gisele Bündchen, tem frisson: a modelo esteve nesta sexta-feira (18/05), no MAM-SP, para lançar o seu livro “Drawdown – 100 iniciativas poderosas para resolver a crise climática”. Espaço lotado, a maioria, fotógrafos e jornalistas, além dos fãs, que a seguem como novela. Gisele esteve com o empresário Pedro Paulo Diniz, que a apresentou ao projeto Believe.Earth e, desde então, virou porta-voz da causa; do editor da publicação, Paul Hawken, e do cientista Carlos Nobre. “Paul fez um trabalho incrível, mostrando soluções criativas e eficazes para cuidar do nosso meio ambiente. E adivinha quem é a chave para toda essa mudança? Nós!”, escreveu ela nas redes sociais, momento antes do evento. Natureba, ela bateu um papo sobre sua rotina sem consumismo, o uso de marcas ecologicamente corretas, consciência ambiental etc. Ano passado, ela abriu o Rock in Rio, falando sobre o Believe.Earth e também ganhou o prêmio Eco Laureate durante o Green Carpet Fashion Awards, evento que encerrou a Semana de Moda de Milão.

Enviado por: Redação