23/04/2018 - 20:00

Livro com depoimento de Marielle Franco: lançamento na terça

livro

“Tem Saída? Ensaios Críticos sobre o Brasil”: livro com depoimento de Marielle Franco vai ser lançado nesta terça-feira (24/04)

Vai ser lançado nesta terça-feira (24/04), a partir das 6 da tarde, na Leonardo da Vinci, no Centro, o livro “Tem Saída? Ensaios Críticos sobre o Brasil”, organizado por Winnie Bueno, Rosana Pinheiro Machado, Esther Solano e Joana Burigo. Só mulheres participam, entre elas, Márcia Tiburi, Manuela D’Ávila e Marielle Franco, que mandou o texto pouco tempo antes de ser assassinada no Rio.

Enviado por: Lu Lacerda
23/04/2018 - 14:30

Por que o bebê real é um grande sortudo?

william-and-kate-the-duke-and-duchess-of-cambridge-along-with-their-children-prince-george-jpg-pagespeed-ic-vfpusmk7jy

Príncipe George, Príncipe William, Kate Middleton e Princesa Charlotte – faltando o bebê real que nasceu nesta segunda-feira (23/04) / Foto: Johathan Hayward / AP

O filho de William e Kate Middleton, que nasceu nesta segunda-feira (23/04), em Londres, deve ser bonito (a medir pelo talento físico dos pais), rico, com as portas do mundo abertas pra ele (por razões (óbvias), além de uma série de vantagens (deixando por conta de cada um), e, ainda, nascer do dia de São Jorge? Não se pode duvidar da sorte dessa criança – sobrepondo-se a isso ser o santo padroeiro da Inglaterra. E, o melhor, sem precisar da chatice de ser rei um dia na vida, já que é o quinto da linha sucessória. Uma certa desatenção do destino seria a criancinha crescer com a-cara-do-avô, não, claro que não.

Esse é o terceiro filho da duquesa de Cambridge e o terceiro de seu casamento com o príncipe William. Se for alguma coisa na vida, além de ter título de nobreza, ainda pode ser sobreposto a tudo isso. O máximo da obrigação para o futuro do bebê, ainda sem nome, pode ser aprender a pilotar e fazer fotos com aquelas medalhas no peito. Dá pra suportar. É ou não é?

Enviado por: Lu Lacerda
23/04/2018 - 13:00

Lucia: bolsas já começam com vendas no Brasil e no exterior

2018-04-22-photo-00000172

Pau-Brasil: bolsas gigantes criadas por Lucia Guanabara já começam com vendas tanto no Brasil quanto no exterior / Foto: divulgação

Lucia Guanabara criou para si mesma essa bolsa enorme aí da foto. Chegando a Portugal, amigos e desconhecidos se interessaram tanto que ela achou que poderia ser um bom negócio. Voltando ao Rio, fez sociedade com a artista plástica Gisele Litch, formando a LGGL – e começou a produzir em larga escala. O passo seguinte foi fechar com a Pau-Brasil, em Príncipe Real, loja que só têm marcas bacanas, em Lisboa. Vai vender também no Kaula (em Mikonos), restaurante que está passando por uma reforma e terá loja também, a partir do próximo verão. Para os cariocas, o lançamento vai ser na Dona Coisa, na Lopes Quintas, próxima quinta-feira (26/04), a partir das 5 da tarde.

Enviado por: Lu Lacerda
23/04/2018 - 12:00

Secretaria de Segurança quer mudar o “Segurança Presente”: cariocas ficam tensos

seguranca-1

Segurança Presente: Secretaria de Segurança quer que todos os policiais do projeto passem a fazer o patrulhamento fardados. Até aqui, policiais não usam fardas – são identificados pelos coletes. Moradores são contra, descaracterizaria o projeto / Foto: reprodução site Correio do Brasil

Muitos cariocas passaram o fim de semana sob certa tensão, depois de saberem que a Secretaria de Segurança (atualmente sob intervenção federal) decidiu que todos os policiais do projeto “Segurança Presente” vão passar a fazer o patrulhamento fardados pelas ruas dos bairros onde atuam. Até aqui, policiais não usam fardas – são identificados pelos coletes, nas cores de cada bairro, pelo distintivo e pela tarja com o nome. “O uso do uniforme próprio é a marca de um programa que traz segurança a bairros específicos, estabelecendo comunicação própria com os moradores até mesmo pelo WhatsApp. É um programa em que os comandantes estão no terreno, junto com os comandados”, diz um capitão, sob anonimato.

E completa: “Na prática, isto é quase o fim do projeto; resta a esperança de que voltem atrás nessa decisão. O ‘Segurança Presente’ é uma revolução que o Rio iniciou, e que já foi adotado fora da cidade, como em Niterói, Nova Iguaçu, e até em Maceió, Alagoas. No que consiste? Na simplicidade. Não acho que o problema seja eles usarem a farda da qual cada um deles certamente se orgulha. E tem 100% de aprovação por parte da população”, completa. Moradora da Lagoa, área beneficiada, complementa: “O Exército entende como ninguém de aplicação de recursos nos terrenos – e saberá entender o quanto é importante que o projeto continue tendo a gestão com a qual foi criado. O que funciona precisa ser preservado!” Não conseguimos contato com a Secretaria de Segurança.

Enviado por: Lu Lacerda
22/04/2018 - 15:00

Quatro perguntas para: Claudia Melli (artista plástica)

Exposição Cláudia Melli Foto: Gustavo Scatena/Imagem Paulista

A artista plástica Claudia Melli, que já fez exposições individuais no Rio, São Paulo e Suíça, muitas delas, bem elogiadas, inaugurou recentemente nova mostra, “Revoada”, na Galeria Eduardo Fernandes, em São Paulo. São trabalhos inéditos, criados em 2017 e 2018, depois de 10 anos sem expor na capital paulista. Claudia, cujo atelier fica numa casa muito charmosa no Jardim Botânico, dá passos maiores, em direção a Portugal. Leia sua pequena entrevista:

1
Como você resume a exposição que acaba de estrear? Pretende trazê-la ao Rio?

Depois de três anos sem expor em São Paulo e 10 anos desde a primeira vez que expus na Galeria Eduardo Fernandes, chego com essa mostra, que aborda o tema recorrente no meu trabalho, já representado antes pelos mares, árvores, ventos. O voo das aves numa mesma direção é, aqui, a representação dos ciclos naturais que se repetem perfeitamente, como a migração,  a passagem das estações, nossa respiração, o movimento das marés, o dia e a noite… Sendo a Terra um sistema fechado, nosso ar, água e tudo mais não vêm de outro lugar, que não daqui, nem vai para outro lugar; aqui se transforma através dos ciclos do H²0, do carbono etc., mantendo o fluxo da vida contínuo, que faz com que estejamos todos conectados.

2
Algo de ecológico?

Não. Não se trata de uma visão ambiental ou ecológica, mas da perplexidade e êxtase diante de tamanha perfeição e beleza que há no mundo. A exposição “Revoada” é composta por trabalhos inéditos realizados entre 2017 e 2018, desenhos em nanquim, com dimensões variadas, sobre placas vidro.

3
Frequentemente, você vai a Portugal, onde o nome do seu marido, (João) Orleans e Bragança, é muito forte. Tem intenção de levar seus trabalhos pra lá? Ou prefere evitar essas associações, como faz no Brasil?

Meu trabalho estará na Arco Lisboa, feira de arte contemporânea importante no circuito europeu, originário de Madri. A feira está em sua terceira edição por aqui. Quanto ao nome, não se trata de querer evitar a associação – é que não há nenhuma entre o meu nome de casada e o meu trabalho.

4
4- Quais os próximos passos, sonhos, intenções?

Próximo passo: Arco Lisboa. Em seguida, exposição no Rio.

Enviado por: Lu Lacerda
21/04/2018 - 19:25

“Um baile de máscaras” – a surpresa de Bicudo e Maestrini

Fernando Bicudo e Pier Francesco Maestrini: o diretor do Municipal e o diretor da ópera "O baile de máscaras" deram de cara com esse cartaz no metrô

Fernando Bicudo e Pier Francesco Maestrini: o diretor do Municipal e o diretor da ópera “O baile de máscaras” deram de cara com esse cartaz no metrô

Fernando Bicudo, diretor do Theatro Municipal, saiu do ensaio de Um Baile de Máscaras, de Giuseppe Verdi, com o diretor Pier Francesco Maestrini, e deram de cara no metrô com esse anúncio da estreia da ópera – no próximo dia 27. Um Baile de Máscaras foi encenada pela primeira vez, naquele teatro, há 100 anos; desta temporada, em coprodução local com o Kiel Theater, da Alemanha, ganha um clima, digamos, futurista, pela visão de Maestrini, com muita projeção de imagens. Deve surpreender a plateia tanto quanto os dois quando depararam com o cartaz, como mostra a foto.

Enviado por: Lu Lacerda
21/04/2018 - 18:18

Festa de André Ramos, na Gávea, com muitos “Ahs” e “Ohs”

2018-04-21-photo-00000305

2018-04-21-photo-00000406

bruno-chateaubriand-marina-caruso-e-andre-ramos-1349-1

2018-04-21-photo-00000286

narcisa-tamborindeguy-e-aroldo-costa-1300

Na primeira foto, André Ramos com Bernardo Cantuária e Baby do Brasil; na segunda, Pinha Mello Franco, André Ramos, Vanessa de Oliveira, Leninha Pinto, Márcia Veríssimo, Madeleine Saade e Bruno Chateaubriand; na terceira, a jornalista Marina Caruso entre Bruno e André; na quarta, André Ramos e Gabriel Monteiro de Castro entre o casal Stênio Garcia e Marilene Saade; nesta foto, Narcisa Tamborindeguy perfumando Haroldo Costa – Fotos: Reginaldo Teixeira e celular

Como publicado aqui, nada daquelas separações com mágoas irreparáveis entre Bruno Chateaubriand e André Ramos, depois de um casamento de 18 anos. Civilidade essa, que foi percebida pela maioria durante o aniversário de André, nessa sexta-feira (21/04), na Gávea – a festa foi presente de Bruno. Tudo como a vida toda acontece na família do aniversariante: bebida ótima, comidinhas incríveis, cenário impecável – animada como sempre, perfumada como nunca. Foi ali que Narcisa Tamborindeguy aproveitou para lançar o “Ai, que loucura” – seu bordão que virou perfume. E quase todos recebiam uma “espreizada” da mais animada das cariocas. E os parabéns por Baby do Brasil, com “Ahs!” e “Ohs!” dentro da piscina. Um empresário adorou, achando que a voz da cantora tinha uma energia incrível para esse tipo de data: “Qual o cachê pra você cantar nos meus 50 anos?” – na barulheira, continuou sem saber. Fica pra próxima, amiguinho! A festa acabou às 6:30 da manhã – sem alguns lembrarem o próprio sobrenome. E precisava?

Enviado por: Lu Lacerda
20/04/2018 - 19:00

Programe-se: agenda para o fim de semana

agenda-12

Observadora carioca diz que existe uma “vantagem” em sabermos claramente quem são os políticos depois de vazado esse mar de corrupção: nos feriadões, como agora, fala-se menos da amiga gostosa que você odeia; da vagabunda com olhar sensual pra cima do seu marido (tão ingênuo!), da sogra, da cunhada, de qualquer ex…. e mete o pau nos corruptos, até ser quase envenenada pela bílis.

Para começar o fim de semana de feriados no Rio, que tal bons drinques e uma seleção de filmes para assistir em casa? Abra mão de qualquer namoradinho ou uma companhia mala – fique apenas com você. Só não corra o risco de parar no seu telão “Deixe a luz do sol entrar”, com a linda Juliete Binoche (a não ser que seja só pra olhar pra ela). Qualquer outro pode ser melhor….  

E que tal a declaração de Yoweri Museveni, presidente de Uganda, de 73 anos, que quer proibir o sexo oral naquele país e diz que “boca é pra comer”?

Para quem gosta de dança e boa cultura, o grupo goiano da Companhia Ateliê do Gesto, apresenta o espetáculo “O Crivo”, no Festival Palco Giratório, no Sesc Ginástico, no Centro. A montagem é inspirada no livro “Primeiras Estórias”, de Guimarães Rosa, e estreia neste sábado (21/04). Quem doar 1kg de alimento não paga meia-entrada. Não precisa dizer que é não perecível, só um idiota não saberia. Só falta chegar com um filé de linguado….

E uma do Churchill neste momento em que todos vão embora do Rio: “Se estiver passando pelo inferno, continue caminhando.”

Aos que preferem passar o feriado no Rio, que tal alguns shows? Nesta sexta-feira (20/04), João Bosco se apresenta no Teatro Carlos Gomes, no Centro; o grupo Radiohead faz show no Jeunesse Arena. No sábado (21/04), Maria Bethânia e Zeca Pagodinho trazem a turnê “De Santo Amaro a Xerém” para o KM de Vantagens Hall, na Barra, e, ainda no mesmo dia, no Palco Aberto, no Centro, Elza Soares divide os holofotes com Larissa Luz. No domingo (22/04), uma mistura de diversos tipos de música toma conta do Palco Aberto, na Praça Mauá. Tom Zé se une ao BaianaSystem. Tom Zé só pode ser, no mínimo, engraçado. 

Muitos dos shows que sugerimos fazem parte do Festival Toda Canção, de música brasileira, que ocupa espaços do Centro, Praça Mauá e teatros da região, com ingressos a partir de R$ 15. Na programação, desta sexta (20/04) até segunda-feira (23/04), ainda, performances, debates etc. Programação no site

Anda entediada? Faça como Marcelo Odebrecht fazia na prisão: treinava quase 24 horas por dia; assim, pode vir muita endorfina pra você. E o melhor: essa sua bunda flácida mudar de configuração. Hein!?

O 1º “Seminário Internacional de Ayurveda Brasil” (SIAB) acontece no Clube Sociedade Germânia, na Gávea, nesta sexta-feira (20/04) até segunda-feira (23/04). Se você não sair de lá com outra cabeça, pode aproveitar as dicas das comidinhas leves e impressionar na cozinha. Informações no site do evento.

Segunda-feira é dia do querido São Jorge. Deixo esta pra você: “Eu andarei vestido e armado com as armas de Jorge para que meus inimigos, tendo pés não me alcancem, tendo mãos não me peguem, tendo olhos não me vejam e, nem em pensamentos, eles possam me fazer mal.” 

Ilustração: Edgar Moura

Enviado por: Lu Lacerda
20/04/2018 - 17:00

Passagem de Avicci pelo BR: DJ achado morto tocou em Búzios

mario-bulhoes-e-avicii

mario-e-avicii-a

mario-avicii-pista

Avicii: em passagem pelo Brasil, o DJ tocou na Pacha Búzios em 2011, ensinou Mário Bulhões a “beber como um sueco” e animou a pista até de manhã /Fotos: Arquivo Pessoal

O povo da música eletrônica está completamente de luto com a morte do DJ sueco Avicii (Tim Bergling), de 28 anos. O corpo foi achado em Mascate, capital de Omã, nesta sexta-feira (20/04). A única vez que Avicci veio ao Rio foi contratado por Mário Bulhões, ex-dono da Pacha Búzios (que durou de 2007 a 2015): “A noite de Avicci foi a mais marcante nesses oito anos de Pacha. Ele era uma pessoa animada, carismática, simples e doce. Ficamos em contato, mas acabamos nos perdendo. O cachê – bem alto à época – foi de R$ 80 mil. Sempre fui seu fã; era o mais promissor da música eletrônica”, diz Mário. E completa: “Naquele noite, ficamos bebendo até de manhã, ele querendo me ensinar a beber como um sueco” – como mostram as fotos. Ainda segundo Mário, atualmente, o cachê do DJ, que trabalhou com artistas como Madonna, ficava em torno de 300 mil dólares (quase R$ 1 milhão) por apresentação. Ele foi apontado pela revista “DJ magazine” como o terceiro melhor do mundo em 2012 e 2013, entre 100. Chegou a ser indicado duas vezes ao Grammy.

Enviado por: Lu Lacerda
20/04/2018 - 15:50

Musical ao ar livre para convidados de Gabriela Lobato

Foto de:

Os convidados de Gabriela Lobato, presidente da maior rede de estruturas de apoio náutico no País, a BR Marinas, adoraram a ideia da empresária de levar o musical “Romeu e Julieta” (em cartaz no Teatro Riachuelo) para se apresentar só pra eles. Foi a primeira vez que os atores Thiago Machado e Barbara Sut e a banda do musical fizeram uma performance ao vivo, fora do teatro – e com brisa no rosto. Na semana em que a Marina da Glória recebe evento mais importante de seu calendário, o Rio Boat Show, com circulação diária de milhares de pessoas, Gabriela achou que seria uma ótima ideia, até para quem não é carioca: ali está um dos maiores cartões-postais do Rio.

Enviado por: Redação
20/04/2018 - 14:00

Joaquim Falcão: coquetel depois de eleição na ABL

Foto de:

Depois de ser indicado para a Academia Brasileira de Letras (ABL), nessa quinta-feira (19/04), Joaquim Falcão chamou os amigos para um coquetel – com cara de festa – em sua casa, no Morro da Viúva, entre Botafogo e Flamengo. O jurista, educador e intelectual é o novo ocupante da cadeira de número 3, que foi do escritor e jornalista Carlos Heitor Cony, morto em janeiro deste ano. Joaquim, de 74 anos, é Doutor pela Universidade de Genebra e pela Harvard Law School, professor-titular da FGV Direito Rio (foi diretor de 2002 a 2017) e um dos maiores conhecedores do Supremo Tribunal Federal. “Joaquim é um grande intelectual, dono de um pensamento crítico apurado e a Academia fez justiça o elegendo”, Carlos Ayres Britto, ex-ministro do STF. “A Academia é um conjunto de pluralidades sincréticas, assim como o Brasil. Ela representa a autoestima do brasileiro que pensa sobre si mesmo, que interpreta sobre si mesmo, a liberdade de expressão e a independência dos intelectuais, muito necessária nos dias de hoje”, disse Falcão. Confira quem passou por lá.

Enviado por: Redação
20/04/2018 - 13:00

Martha Medeiros: filas inacabáveis e fãs incansáveis

martha-ivan-pinheiro-machadoceo-editora-e-fernanda-scherer

martha-medeiros-e-roberto-birindelliator

martha-medeirosricardo-freire-e-nik-santiago

martha-medeiros-e-kika-gama-lobo

“Quem diria que viver ia dar nisso”: na primeira foto, Martha com os editores Ivan Pinheiro e Machado e Fernanda Scherer; na segunda, Martha com o ator Roberto Berindelli; na terceira com Ricardo Freire e Nik Santiago; na quarta, ao lado de Kika Gama Lobo /Fotos: Vera Donato

Martha Medeiros lançou “Quem diria que viver ia dar nisso” (Editora L&PM), nessa quinta-feira (19/04), na livraria da Travessa de Ipanema. Algumas pessoas carregavam os livros anteriores para a articulista de O Globo fazer autógrafos coletivos. Na publicação, uma espécie de diário poético, a cronista gaúcha faz um balanço da vida, reunindo mais de 100 textos com memórias e histórias – reais e ficcionais. Filas inacabáveis e fãs incansáveis, de todas as idades e perfis. Martha, cuja bolsa foi roubada em 2016, na mesma livraria, desta vez, estava bem atenta.

Enviado por: Redação
20/04/2018 - 12:00

We Work: rede de escritório colaborativo abre em Ipanema

celina-palhares-larissa-nuzman-e-carol-sampaio-0418

carol-perez-pato-fuks-e-camila-weber-0246

lara-davila-0536

diogenes-queiroz-e-zaza-piereck-0261

dudu-garcia-e-rogerio-randolph-0373

ricardo-nauenberg-adriana-socci-barbosa-e-eduardo-aranha-0272

Na primeira foto, Celina Palhares, Larissa Nuzman e Carol Sampaio; na segunda, Carol Perez, Pato Fucks e Camila Weber; na terceira, Lara D’Avila; na quarta, Diogenes Queiroz e Zazá Piereck; na quinta, Dudu Garcia e Rogerio Randolph; na sexta, Ricardo Nauemberg, Adriana Socci Barbosa e Eduardo Aranha / Fotos: Bruno Ryfer

A We Work inaugurou seu segundo espaço no Rio nessa quinta-feira (19/04), com festinha, em Ipanema. A rede tem espaços de escritório colaborativo no mundo todo. Nela, você paga um valor mensal por um escritório privado ou por mesas num lugar livre, todos decorados, com secretária, e tudo o mais que é precisa no ambiente de trabalho. Pato Fuks, CEO da empresa para a América Latina, deu um rasante e sumiu. A empresa vai bem no Rio: tem programada uma próxima unidade em Botafogo.

Enviado por: Redação
20/04/2018 - 11:00

Teatro, por Claudia Chaves: “O olho de vidro”

alis_o-olho-de-vidro-23

A vida é feita de memórias. Singelezas selecionadas. Fatos aqui acolá. Coisas sem total importância. Um cheiro. Um sabor. Uma risada. Uma enorme tristeza. Lembranças vão se enfileirando, acumulando e viram novos fatos. Novas memórias de que jamais vivemos.  Uma ficção de nós mesmos. Um olhar que  colocamos e retiramos. É desse tema que se compõe o O olho de vidro, em cartaz no Teatro Cândido Mendes.

O monólogo “O olho de vidro”, com Charles  Asevedo,  é um projeto do ator  a partir do  seu encontro com o livro “O olho de vidro do meu avô”, de Bartolomeu  Campos de Queirós.  Vera Holtz , Guilherme Leme Garcia  e Flávia Pucci   dão vida ao texto, reconstruído de forma brilhante por Renata Mizrah  em uma dramaturgia na qual a plateia se torna coadjuvante, pois a linha é uma conversa, uma contação de histórias que exige ouvidos.

“Uma das características da narrativa que me tocaram foi justamente essa evocação das  minhas próprias memórias – a infância passada na Baixada Fluminense, onde cresci; a relação com  minha  própria família e a descoberta da homossexualidade. E por que não misturar as memórias do personagem às minhas? Essa proposta partiu de Guilherme Leme Garcia e imediatamente aceitei,” diz Charles.

Reconstruir em espelho a história de vida poderia parecer ousado, mas Charles Asevedo utiliza-se da prosódia mineira para transformar os impasses de um menino, seu primeiro amor, a difícil relação com o pai, a trajetória de professor, as dificuldades de ser ator em uma cadência na qual quem escuta chega à frente da cadeira, não tira os olhos, emociona-se – talvez pensando se aquela memória também não é a sua. É só colocá-la lá, como num olho de vidro.

SERVIÇO:
Teatro Candido Mendes 
Sextas e sábados às 20h
Domingos, às 19h

tarja-claudiachaves

Enviado por: Redação
19/04/2018 - 18:30

Flávio Canto: comemoração de 15 anos de ONG

flavio-canto-site

Flávio Canto: comemoração de 15 anos do Instituto Reação no Copacabana Palace /Foto: Raphael Medeiros Divulgação

O Instituto Reação, criado pelo medalhista olímpico Flávio Canto, seu técnico, Geraldo Bernardes, e amigos, em 2003, vai fazer o 2º “Jantar Solidário” em comemoração aos 15 anos da ONG, no dia 25 de abril, no Copacabana Palace. Com apresentação de Lúcio Mauro Filho e Rafa Brites, o jantar vai ter show de Thiago Abravanel, sorteios variados, como um camarote no UFC 224, dia 12 de maio, com entrada na cabine de transmissão da SporTV. O ingresso custa R$ 600.

O instituto mantém polos na Rocinha (São Conrado), Cidade de Deus (Jacarepaguá), Pequena Cruzada (Lagoa) e Tupiabanga (Ilha do Governador). “Em 2000, quando não me classifiquei para as Olimpíadas, me frustrei, mas vi que o mundo não acaba. Comecei a dar aulas em um projeto com apoio da Prefeitura, mas o patrocínio acabou, e eu fiquei sozinho. Percebi que precisava de ajuda; foi quando me reuni com 30 amigos e cada um se comprometeu com um boleto fixo para criar o instituto. Batizamos a ideia de ‘Reação’”, relembra Canto, cujos nomes que destaca da ONG são das irmãs Rafaela e Raquel Silva. A primeira foi a judoca que conquistou o ouro no Mundial de Judô em 2013.

Enviado por: Redação