Nove perguntas para Ana Carolina Souza (neurocientista comportamental): “Pessoas que têm depressão, ansiedade e estresse não são mais frágeis; isso não faz o menor sentido”

Já deu aquela surtada sem saber direito de onde surgiu? Mas, se o pico de estresse é recorrente, principalmente no trabalho, melhor acender a luz amarela — não é mi-mi-mi. A síndrome de burnout passou a ser considerada doença ocupacional no primeiro dia de 2022, depois de incluída na Classificação Internacional de Doenças (CID) da Organização Mundial…

Sete perguntas para Cristiano Chame (diretor do Miguel Couto), sobre emergência, covid, ômicron: “Nunca vivi um período tão difícil”

Para o Hospital Municipal Miguel Couto, no Leblon, que completou 85 anos em 2021, um dos hospitais-referência no Rio, convergem as mais variadas dores, digamos assim: do físico ao espírito, acentuado na pandemia. Conversamos com o  diretor-geral, o ortopedista Cristiano Cúrcio Chame, de 42 anos, para saber a quantas anda a emergência de um grande hospital público como o…

Dez perguntas para Beatriz Breves (psicanalista): “O que vai determinar se um sentimento terá efeito negativo ou positivo será o uso que a pessoa fará dele”

O ano de 2021 foi dolorido para a maioria: inflação alta, renda média no menor nível da década, segundo o IBGE, 13 milhões de desempregados, insegurança alimentar, luto pelas perdas com a covid, o surgimento da cepa ômicron, que fez cidades do País inteiro cancelarem as festas de fim de ano, assim como vários países e…

Dez perguntas para Luiz Guilherme Niemeyer (produtor cultural): “Existe uma demanda reprimida, mas o cenário de eventos ainda é de incerteza”

“Administrar crises” é passado para a nova geração de produtores de eventos. Assim como a extinção da tríade sexo, drogas e rock’n’roll nos bastidores do mundo do entretenimento, os nomes por trás de grandes shows e festas preferem a discrição e pensam muito mais em sustentabilidade do que qualquer ministro do Meio Ambiente, se é que…

Dez perguntas para Carlos Prazeres (maestro da OSBA): “A Bahia sempre foi vanguarda. Basta lembrar que foi aqui que nasceu a Tropicália”

Gostar de música clássica deixou de ser uma caretice para gerações mais novas. Isso, pelos maestros de vanguarda, como o carioca Carlos Prazeres, 47 anos, o Kiko, regente titular e diretor artístico da Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA). Essa democratização da música de concerto vem de família: o irmão Felipe Prazeres, spalla da OPES, também…

Oito perguntas para Adriana Mattar (banqueteira): “As pessoas perceberam o prazer de fazer eventos menores”

  O Cooking Buffet, em Botafogo, de Adriana Mattar e Ana Cecília Gross, com 22 anos de alto conceito no mercado carioca, passou por recentes adaptações, como todos que atuam nessa área. Conversamos com Adriana sobre as mudanças, as quais a empresa já se adaptou muito bem: “Expandimos o nosso delivery Cooking to Go, permanecemos sempre bastante ocupados…

Doze perguntas para Alessandra Gelio (atriz, que vai lançar a peça “AlcoóliKa”): “Alcoolismo é uma doença que mata, não só pelo uso abusivo como também pela inabilidade com as emoções” 

  Alcoolismo é assunto dramático, sabemos, e pode virar de estigma a piada em conversas sociais, principalmente quando se trata de mulheres. E elas foram as que mais procuraram ajuda na pandemia, em redes de apoio mútuo, como, por exemplo, nos Alcoólicos Anônimos (AA): foram, mais ou menos, 1.000 novos integrantes no País, de março…

Nove perguntas para Sônia Rodrigues (produtora): “A única maneira de fazer cultura hoje é na raça. Eu só não desanimo porque sou filha do meu pai (Nelson Rodrigues)”

Você sabe o que se passa na sua cabeça? Não no sentido figurado, mas no científico? Depois de ler “No labirinto do cérebro” (Objetiva, 2020), do neurocirurgião Paulo Niemeyer Filho, a escritora e produtora Sônia Rodrigues, filha do dramaturgo Nelson Rodrigues, ficou fascinada, ligou para o médico e comprou os direitos da publicação para o…

Nove perguntas para Carlos Burle (surfista e empresário): “Temos que tomar cuidado com o ego senão a gente vive o personagem, e não o ser humano”

  Enquanto o mundo embarcava numa onda quase 100% digital, Carlos Burle, 54, resolveu fazer o contrário. Pouco antes de o coronavírus chegar pra mexer com tudo, e depois da aposentadoria das competições (aos 50 anos), o bicampeão mundial de ondas gigantes ficou à deriva, com uma expertise dos 40 anos de carreira e sem…