Seis perguntas para Mário Gomes, de galã do horário nobre da TV à licença de ambulante no ‘X do Gomes’: “Oferecer alimento é um gesto generoso”

O ator Mário Gomes, um dos maiores galãs da TV brasileira nas décadas de 80 e 90, começou a semana comemorando sua licença de “Ambulante Legal”, recebida de Marcelo Crivella, junto a outros 150 camelôs cariocas, no Palácio da Cidade, em Botafogo. “É importante estar dentro da lei, e ninguém vai poder falar nada”, diz…

Sete perguntas para Carolina Monnerat, produtora do doc “A Rainha da Lapa”, com Luana Muniz, dona do bordão “travesti não é bagunça!”: “Ela era uma artista, uma filósofa”

A história de Luana Muniz, a dona do bordão “tá achando que travesti é bagunça?”, que morreu em 2017, aos 59 anos, vai estar nos telões de Nova York, no dia 26 de outubro, no “NewFest”, festival de cinema LGBTQ da cidade americana, com o documentário “A Rainha da Lapa”, do casal Carolina Monnerat, produtora…

Dez perguntas para Carlos Lowndes Dale sobre os chips hormonais, cada vez mais usados por mulheres de todas as idades

Fique de olhos e ouvidos atentos nas festas, academias, praias e nas salas de espera dos consultórios cariocas, principalmente entre as mulheres de corpo muito definido para ouvir: “Você também usa os chips?!” O assunto do momento são os chips hormonais: um bastonete, entre 3 e 5 centímetros, que já é uma realidade no corpo…

Seis perguntas para Gerald Thomas: “Não acredito em políticos ou em política de países que não têm historia”

Qual a cara do homem do pós-após? Gerald Thomas, polêmico e, muitas vezes, visionário — sempre em toda a sua doce desordem — tem o esboço final. Ele chega através de “Desenho para amanhã e depois”, título para lá de premonitório do segundo livro de ilustrações do diretor de teatro e desenhista lançado recentemente pela Galileu Edições…

Sete perguntas para “o feiticeiro carioca” Eloi Nascimento, sobre bruxaria, políticos e rituais mágicos

Quando acenderem a fogueira, além de Fernanda Montenegro, lembrem-se de convocar Eloi Nascimento, de 30 anos, que se autointitula o “feiticeiro do povo”. Na família, a avó era uma maga iorubá e a bisavó, bruxa indígena. A palavra “abracadabra” tatuada na nuca deixa evidente a aura mágica que habita nesse Harry Potter dos trópicos que…