03/05/2018 - 15:00

Lulu Santos comemora 65 anos “como uma onda” de números

lulu-palco

Lulu Santos: cantor comemora 65 com números impressionantes no Ecad /Foto: Arquivo site Lu Lacerda

Lulu Santos completa 65 anos – e 45 de carreira – nesta sexta-feira (04/05). Entre os fatos diversos sobre o músico, uma curiosidade: ele ocupa a 17ª posição no ranking de autores com maior rendimento em direitos autorais em shows de 2017 pelo Ecad. Além disso, os versos de “Apenas mais uma de amor” são os preferidos de outros cantores – é a mais gravada do compositor com 69 versões diferentes cadastradas no Ecad. E claro, Lulu vai comemorar a semana do aniversário em cima do palco – a turnê “Canta Lulu”, que teve ingressos esgotados no início de abril no Rio, chega ao Espaço das Américas, em São Paulo, neste sábado (05/05). A turnê vai passar por mais de 20 cidades brasileiras.


Enviado por: Redação
12/04/2018 - 17:30

Olivetto: “Resolvi contar as minhas próprias mentiras…”

[nggallery id=8602]

Washington Olivetto está fazendo uma maratona aérea para lançar “Direto de Washington – W. Olivetto por ele mesmo”. O publicitário chegou há poucos dias de Londres, onde mora desde 2016, começou a divulgar o livro por São Paulo e aterrissou no Rio, nessa quarta-feira (11/04), para assinar as dedicatórias – foram muitas para uma fila bem grande que lotou a Livraria da Travessa: é cheio de amigos cariocas. Mantendo a cara-de-mau para as fotos, ao ver a amiga Gabriela Duarte, não resistiu. Mas rolaram algumas piadinhas ao pé do ouvido, com Jorge Benjor, Regina Casé, Ricardo Amaral e Lulu Santos. Quando alguém ali perguntou o motivo de ter escrito uma autobiografia, ele disse: “Minha mulher (Patricia) me perguntou por que eu finalmente tinha decidido aceitar o convite para escrever essas histórias. Respondi com uma frase de efeito: ‘Cansei de ler inverdades a meu respeito; agora resolvi contar as minhas próprias mentiras.’ A frase é divertida – parece do Grouxo Marx, mas é minha. E não é verdade“, brinca.

A biografia tem 21 capítulos, e não existe uma ordem cronológica – ele pôs nas páginas o que foi lembrando, entre outubro de 2016 e dezembro de 2017. A foto da capa, que estava em tamanho considerável na Travessa, é de Sebastião Salgado, e o texto de orelha, do jornalista Luis Fernando Silva Pinto.


Enviado por: Redação