Sete perguntas para Sérgio Romay (cirurgião plástico): “Os exageros levaram à ‘desarmonização facial’”

Franz Kafka (1883-1924), o escritor tcheco, costumava se referir a sua aparência de maneira depreciativa. Eram comuns, em seus diários, adjetivos como “miserável” e “desprezível”, além de “ombros caídos”, “braços desajeitados” ou “postura encurvada”. Certa vez, escreveu: “Tinha pavor de espelhos porque eles refletiam uma feiura inescapável.” Se vivo estivesse, Kafka faria uma harmonização facial?…

De Próprio Punho, por Christina Oiticica (artista plástica): “Nossa vida de antes, minha e do Paulo, continua quase a mesma; o que mudou foram os nossos sentimentos e a maneira de olhar o mundo”

  Como falar da pandemia, como falar das pessoas, como falar deste momento? Muito difícil, pois temos que falar de dentro e fora de nós. Penso que eu gostaria de ter crescido mais espiritualmente.  Será  que aprendi alguma coisa? Não sei — esse aprendizado é lento e difícil de medir. Como eu e o Paulo começamos…

De próprio punho, por Francisco Vieira (historiador): “Curioso como príncipes, reis e rainhas povoam a imaginação de parte significativa da humanidade”  

  O mundo está transtornado, uma epidemia devasta o Planeta, e a morte de um homem que não tinha nenhum papel político, artístico ou científico enche páginas de jornais e os noticiários. Era príncipe, um príncipe consorte, marido da rainha da Inglaterra. Aos 99 anos, morreu S.A.R., o príncipe Philip, duque de Edimburgo. Curioso como…