Dez perguntas para Leonardo Rezende (dono de cinco restaurantes): “Nada é mais a cara do Rio que mesas na calçada”

Leonardo Rezende tem cinco restaurantes em Ipanema, todos quase sempre com espera: Spicy Fish (recém- inaugurado), Pici, Oia, L’ Atelier Mimolette e Posì. Ele praticamente ocupou o bairro — rsrsrs! Muitos ficam curiosos por todos darem certo, digamos assim. Recentemente um frequentador que atua na mesma área brincou ao ver a fila na porta de um deles: ele faz tudo que eu queria fazer. Que tal?  Leonardo participa…

Onze perguntas para Ana Botafogo (bailarina, sobre livro da sua vida): “A carreira da bailarina não é uma carreira muito longa e eu tive sorte”

A carioca Ana Botafogo, nome destacado da dança clássica brasileira, comemora 45 anos de carreira em 2021, dos quais 40 como primeira bailarina do Theatro Municipal. Para contar essa história, ela vai ganhar um dos melhores presentes: um livro. Muito mais que uma publicação comum, “Ana Botafogo: palco e vida” tem mais de 900 páginas e foi amorosamente…

Oito perguntas para Jorge Farjalla (diretor de teatro e cinema), sobre “Clara Nunes — A Tal Guerreira”: “Vejo o musical como uma luz, como se Clara viesse para nos livrar da escuridão em que vivemos hoje”

Conversar com o diretor de teatro e cinema Jorge Farjalla é praticamente se transportar para um daqueles filmes de linha do tempo, que viajam para a década passada, presente e futura na velocidade da luz. O raciocínio é borbulhante e criativo sem limite. Nascido em Catalão, interior de Goiás, vive no Rio desde 2007, onde…

Quinze perguntas para Mauricio Santoro (cientista político): “Para a oposição é mais interessante deixar que Bolsonaro se desgaste mais”

Supõe-se que os cientistas políticos andem mais estressados que os outros brasileiros, sem incluir aqui os 14,8 milhões de desempregados ou alguém de luto pela covid-19 (quando gente morta parece ser uma questão matemática) — esses certamente estão ainda pior. Os cientistas políticos são praticamente mais consultados que o Google em tempos de tanta instabilidade,…

Dez perguntas para Elia Schramm (chef): “Me prometi que quando abrisse meu próprio restaurante faria as coisas diferentes, de dar mais oportunidade para mulher, gay, negro”

As memórias afetivas são capítulos muito importantes para o chef Elia Schramm, 37, nascido na Suíça, criado no Rio. E vão estar o tempo todo em seu primeiro restaurante, em Ipanema (um prédio de quatro andares onde funcionou o Salitre, com adega subterrânea), a Osteria Babbo, em homenagem ao seu pai, Roland Schramm, que não tem nada…

Nove perguntas para Maria Francisca Mauro (psiquiatra), sobre Olimpíadas, pandemia, saúde emocional: “Não somos super-heróis — somos falíveis e frágeis”

O que as Olimpíadas têm mostrado ao mundo sobre o comportamento no pós-pandemia? Segundo Maria Francisca Mauro, mestre em Psiquiatria pela UFRJ, uma das “descobertas” do século é que o ser humano é humano e não super-herói. Um dos exemplos de fragilidade emocional que muitos compartilham foi a desistência da americana Simone Biles, de 24…

Nove perguntas para Franco Noriega (chef e modelo): “Jamais pensei em lucrar com uma tragédia, mas investir no Rio estava nos meus planos antes da pandemia”

Peruano, com endereço em Nova York e no Rio, o chef Franco Noriega iniciou pelo solo carioca a expansão global de sua marca, Baby Brasa, nome do seu restaurante em Manhattan. Em maio, ele abriu o Baby Brasa Sports Club, academia ao ar livre na praia de Ipanema, e já está à procura de um ponto…

Sete perguntas para Regina Navarro Lins (psicanalista, dedicada a relacionamento amoroso): depois de “Sex/Life”, é preciso saber, o tamanho do pênis importa tanto?

  Você certamente ouviu falar na série recente de maior sucesso na Netflix: “Sex/Life”. E tudo puxado, digamos assim, principalmente pela cena de nu frontal de um dos protagonistas de pênis enorme, o que deve ter rendido milhares de novos assinantes para a plataforma de streaming num marketing espontâneo que só o sexo pode garantir.…

Seis perguntas para Luiza Figueira de Mello: empreendedora de 18 anos cria marca clássica na pandemia e vira sucesso

A notícia de que seria aceita na UAL (University of the Arts London), para estudar moda, chegou praticamente junto com a pandemia, ou seja, sonho adiado. Em vez de ficar chorando de frustração, Luíza Figueira de Mello, 18 anos, mudou de planos. Sabendo do tamanho de seu amor pela moda, resolveu virar estilista autodidata, digamos assim. Tudo…