De próprio punho, por Paula Bergamin: musa da Vila Isabel, 58 anos, não pensa em parar tão cedo 

Como gaúcha de nascimento, descendente de alemães, poloneses e portugueses, o carnaval para mim poderia ser uma realidade distante, mas tem sido bem o contrário! Desde criança, eu tinha um amor platônico pelo maior espetáculo da Terra. Assistia a todos os desfiles grudada na TV até de  madrugada e, quando aparecia a cantora Rosemary, eu ficava…

De próprio punho, por Luma de Oliveira: “Amamentei, desfilei, voltei, amamentei. Ser madrinha de bateria, pra mim, não era profissão — era paixão”

“Me lembro de, aos 5 anos, já ficar encantada com a bateria nos blocos em Niterói, onde eu morava. Sempre frequentei lugar de samba; vou à Marquês de Sapucaí desde o tempo que a arquibancada era montada e desmontada. ‘Foi um rio que passou em minha vida’; o primeiro samba que ouvi me deixou fascinada.…

De próprio punho, por Bruno Covas, prefeito de São Paulo (em tratamento contra um câncer): “A gente encontra força para viver”

Em uma quarta-feira, eu me internei para tratar uma erisipela; no dia seguinte, descobri que tinha virado uma trombose; na sexta-feira, que havia uma embolia por conta desse quadro. No sábado, descobri que havia um tumor. No domingo, eu já sabia qual era o tumor e a extensão dele. Na terça-feira, eu comecei a quimioterapia.…

De próprio punho, por Alessandra Colasanti — gravidez aos 45: “Onde estão essas mulheres? Onde estariam os meus espelhos?”

Eu sempre quis e não quis ser mãe. Entre medos, desejos, fantasias e incertezas, o tempo foi passando. Não faltaram oportunidades, mas me sentia em dúvida se seria uma vontade individual ou uma pressão social. E o tempo ia passando. Enquanto eu ponderava, ele gotejava. Crédula, dizia para mim mesma: “Ainda temos tempo”. Contrariando todas as…

De Próprio Punho, por Carlos Ferreirinha, empreendedor: de menino pobre em São Gonçalo ao mais jovem presidente da Louis Vuitton Brasil 

  Eu, menino franzino, de notas médias em todo o percurso escolar, de São Gonçalo, filho de pais imigrantes portugueses, fugidos da pobreza e da guerra, semianalfabetos, com o pai dono de um boteco e a mãe costureira e que tinha vendido laranja em banquinha… consegui não só tornar a MCF Consultoria, minha empresa fundada…

De próprio punho, por Marcus Gasparian (dono da livraria Argumento — 40 anos): algumas lembranças

O ano era 1975. Eu vinha da então longínqua Barra da Tijuca, onde tinha pegado boas ondas com minha prancha de surf. Cheio de fome, entrava em casa no Leblon e dava de cara com um sem-número de amigos do meu pai e de minha mãe, Fernando e Dalva, que estavam lá discutindo o futuro do Brasil. Dali a pouco, haveria mais um daqueles almoços…