“Sou contra criança vestida de adultinho, tipo a Suri, filha de Tom Cruise, que parece uma mulherzinha”. De Glória Maria, esta semana, ao ouvir elogios sobre os figurinos das filhas Laura e Maria.

“Em Nova York, ando a pé, como os americanos; em Paris, de Mercedes com a mamãe; no Rio, de van, como muitos cariocas populares.” Da socialite Vera Bocayuva, esta semana, ao chegar ao Hotel Fasano, onde tinha um almoço, contando seu novo meio de transporte: as tão faladas vans.

“Acordei com uma dor inexplicável – deve ser tensão do Código Florestal”. De Marina da Silva, no lançamento do livro “O Efeito Marina”, de Alfredo Sirkis, nessa segunda-feira (06/06)

“O quilo do homem no mercado mundial está valendo mais que o quilo do ouro”. Da estilista e empresária Adriana Andrade, nesse fim de semana, depois de sair, sair, sair e não enxergar homens interessantes na noite do Rio.

“O semblante de muitas mulheres caiu”. De Luciano Szafir, nessa terça-feira (25/05) ao observar a reação feminina, quando Antonio Banderas disse, em discurso no Palácio da Cidade, que quer voltar ao Rio com sua mulher, Melanie Griffith.

“Meus seios estão fartos porque continuo amamentando. Vou amamentar até quando tiver leitinho”. De Daniella Sarahyba, nessa segunda-feira (23/05), no Copacabana Palace, em sua volta às passarelas, depois da gravidez.

“Quero vir sempre mulher nas outras encarnações – uma boa produção deixa a gente incrível!” Da modesta Flávia Sampaio, em recente festa, onde estava no maior romance com o namorado, Eike Batista, ao ser elogiada por uma convidada, que não a conhecia pessoalmente.

“Se não eu, quem? Se não agora, quando?” De Eloysa Simão, diretora do Senac Rio Fashion Business, nesta terça-feira (17/05), na coletiva de imprensa do evento.