“A partir dos 40, uma mulher deve deixar de querer ser gata e começar a pensar em ser chique”. De Aparecida Marinho, em entrevista ao “site”, nesse fim de semana.

“Para nós, mulheres, é bom mudar o visual, evitando que nossos namorados cansem da gente. De Flávia Sampaio, nesta quinta-feira (25/07), sobre a mudança de loira pra morena!

“Campanha, para muitos, é uma dureza; para mim, é uma moleza: quero transformar a vida das pessoas!” Da linda Ana Paula Junqueira, candidata pela quarta vez a vereadora pelo estado de São Paulo.

“Tenho a síndrome da intolerância a racistas e reacionários de todos os gêneros.” Da apresentadora Astrid Fontenelle em entrevista ao “saite” neste fim de semana.

“Conseguiu aliar, na mesma pessoa, a autenticidade do sertão e a sofisticação de Londres”. Do ex-ministro Marcílio Marques Moreira em seu discurso, durante a Missa de Sétimo Dia do Embaixador Edmundo Barbosa da Silva, na noite dessa segunda-feira, na igreja da PUC, na Gávea.

“Muitos gays, mesmo casados, querem aparecer como solteiros. Isso mostra o preconceito que ainda existe na sociedade.” De Carlos Tufvesson, sobre o número ínfimo de casais gays na próxima edição do livro “Sociedade Brasileira”.

“Ela canta lá e eu morro aqui”. De Bruno Faria que, mesmo de casado há anos com Marília Pêra, continua se emocionando quando a mulher está no palco, nessa quinta-feira (06/07).

“Fiz 58 anos. Não é a coisa mais fácil do mundo. O day after é pior do que o inferno astral”. De Gerald Thomas, nesta segunda-feira (02/07), falando do seu aniversário.

“É para batizar o teatro.” Do diretor José Celso Martinez Corrêa, explicando o porquê de algumas tragadas num cigarro de maconha, no Teatro Ipanema, nessa quarta-feira (27/06).

“Não tiro onda de menina virgem, mas fiquei tenso pela primeira vez dando uma entrevista, talvez por Marília Gabriela ter rompido vários preconceitos como mulher no jornalismo.” Do estilista Carlos Tufvesson, nesse domingo (24/06), depois de ir ao ar sua entrevista com Marília Gabriela, no GNT.