“Cheguei ao lançamento depois de sair de uma gravação externa, com chuva, pra receber a malcriação de um homem tenso”. De Maitê Proença, nesta quarta-feira (19/06), comentando sobre a acusação de ter furado fila no lançamento do livro de Joaquim Ferreira dos Santos.

“Tudo na vida do Gianecchini é uma onda grande”. De Guilherme Fiúza – jornalista que está escrevendo um livro sobre a vida de Reynaldo Gianecchini – nessa quarta-feira (13/06).

“No Brasil, são homens de preto matando homens pretos.” De Marcelo Freixo, candidato à Prefeitura do Rio, falando sobre o sistema carcerário brasileiro, nessa segunda-feira (11/06), no Midrash Centro Cultural, no Leblon.

“Eu e minha amiga Beth Winston em sua casa de Los Angeles, que fica na Barra.” De Narciza Tamborindeguy, na legenda  de uma foto no Facebook, onde estava em almoço na casa de Beth Winston, nesse fim de semana.

“Chamo de aeroporto do Galeão; me recuso a associar o nome do Tom Jobim àquilo. Tenho vergonha, não está à altura do maestro.” Do artista plástico José Bechara, esta semana, falando sobre o aeroporto do Rio.

“Me assustei na chegada, ao ver um médico, e imaginei: a esta hora já tem gente passando mal?” De Vera Fischer, esta semana, ao chegar em festa na Lagoa e dar de cara com Bell Bilys, vestido de médico, que arrecadava dinheiro para a ONG Médicos sem Fronteiras.

“Com esses cabelos, me transformei praticamente na Carmem Mayrink Veiga“. Da atriz  Susana Vieira, nesta quinta-feira, falando dos novos cabelos morenos.

“Acho ótimo esse atraso: os meus amigos, incluindo os jornalistas, vêm também pelo social, se veem, se falam e ficam conversando”. De Oskar Metsavaht, nesta terça-feira (22/05), no Fashion Rio, com o povo todo exausto depois de duas horas de espera.

“É insuportável viver com essa moral em que a mulher do bicheiro diz que ninguém está livre de ser preso”. De Narciza Tamborindeguy, nessa segunda-feira, comentando declaração de Andressa Mendonça, mulher de Carlinhos Cachoeira, à imprensa.