“Chamo de aeroporto do Galeão; me recuso a associar o nome do Tom Jobim àquilo. Tenho vergonha, não está à altura do maestro.” Do artista plástico José Bechara, esta semana, falando sobre o aeroporto do Rio.

“Me assustei na chegada, ao ver um médico, e imaginei: a esta hora já tem gente passando mal?” De Vera Fischer, esta semana, ao chegar em festa na Lagoa e dar de cara com Bell Bilys, vestido de médico, que arrecadava dinheiro para a ONG Médicos sem Fronteiras.

“Com esses cabelos, me transformei praticamente na Carmem Mayrink Veiga“. Da atriz  Susana Vieira, nesta quinta-feira, falando dos novos cabelos morenos.

“Acho ótimo esse atraso: os meus amigos, incluindo os jornalistas, vêm também pelo social, se veem, se falam e ficam conversando”. De Oskar Metsavaht, nesta terça-feira (22/05), no Fashion Rio, com o povo todo exausto depois de duas horas de espera.

“É insuportável viver com essa moral em que a mulher do bicheiro diz que ninguém está livre de ser preso”. De Narciza Tamborindeguy, nessa segunda-feira, comentando declaração de Andressa Mendonça, mulher de Carlinhos Cachoeira, à imprensa.

“Só tive jatinho desses que todo mundo tem.” De Carmem Mayrink Veiga, em entrevista ao “saite” nesse fim de semana, falando de sua preferência pelo jato Gulfstream, que nunca teve.

“Meu cabelo está caindo, mas minha cuca está fresca!”. Do prefeito do Rio, Eduardo Paes, nesta quarta-feira (09/05), desmentindo a boataria de que estaria fazendo análise.

“É muito bom chegar aos 70 anos e saber que ainda tenho um longo caminho a percorrer”. De Ney Matogrosso, animado com a carreira de ator, depois de assistir sua atuação no filme O bandido da luz vermelha.

“Tenho 1.70m. Quanto a falar de peso, é coisa do passado”. De Narciza Tamborindeguy, no último fim de semana, ao ser perguntada sobre sua altura e seu peso.