“A partir dos 40, uma mulher deve deixar de querer ser gata e começar a pensar em ser chique”. De Aparecida Marinho, em entrevista ao “site”, nesse fim de semana.

“Para nós, mulheres, é bom mudar o visual, evitando que nossos namorados cansem da gente. De Flávia Sampaio, nesta quinta-feira (25/07), sobre a mudança de loira pra morena!

“Campanha, para muitos, é uma dureza; para mim, é uma moleza: quero transformar a vida das pessoas!” Da linda Ana Paula Junqueira, candidata pela quarta vez a vereadora pelo estado de São Paulo.

“Tenho a síndrome da intolerância a racistas e reacionários de todos os gêneros.” Da apresentadora Astrid Fontenelle em entrevista ao “saite” neste fim de semana.

“Conseguiu aliar, na mesma pessoa, a autenticidade do sertão e a sofisticação de Londres”. Do ex-ministro Marcílio Marques Moreira em seu discurso, durante a Missa de Sétimo Dia do Embaixador Edmundo Barbosa da Silva, na noite dessa segunda-feira, na igreja da PUC, na Gávea.

“Muitos gays, mesmo casados, querem aparecer como solteiros. Isso mostra o preconceito que ainda existe na sociedade.” De Carlos Tufvesson, sobre o número ínfimo de casais gays na próxima edição do livro “Sociedade Brasileira”.

“Ela canta lá e eu morro aqui”. De Bruno Faria que, mesmo de casado há anos com Marília Pêra, continua se emocionando quando a mulher está no palco, nessa quinta-feira (06/07).

“Fiz 58 anos. Não é a coisa mais fácil do mundo. O day after é pior do que o inferno astral”. De Gerald Thomas, nesta segunda-feira (02/07), falando do seu aniversário.

“É para batizar o teatro.” Do diretor José Celso Martinez Corrêa, explicando o porquê de algumas tragadas num cigarro de maconha, no Teatro Ipanema, nessa quarta-feira (27/06).