“Isso é discriminação? Por que você, Roberto, não fez foto comigo?” De Glória Maria para Roberto Carlos, depois do show no Forte de Copacabana, reivindicando uma foto com o “Rei”.

“Antes de lutar pela minha inocência, preciso lutar pela minha vida”. De Marc Beauchamps, produtor de cinema que passou 29 dias preso, acusado de tráfico internacional de drogas, e que luta contra um câncer.

“Você prefere deixar a garrafa pertinho ou trazer uma gueixa para ficar aqui colada na mesa?” De Ivo Pitanguy, em tom de brincadeira para o garçom no jantar de aniversário do neto, Antonio Paulo, ao perceber o tamanho bem reduzido dos copinhos de saquê.

“Não quero vender nada – eles é que querem comprar”. Do empresário Carlos Werneck, rebatendo comentários sobre a venda do Hotel Marina Palace, no Leblon.

“Vamos mandar uma flechada para a Dilma, pra ver se a Presidente acorda”. De Wilson Czaia, padre de Curitiba, assessor litúrgico da Pastoral dos Surdos no Brasil, neste sábado (27/07).

“Se o bebê real George Alexander Louis virar drag,  já pode ensaiar ‘Meu nome é GAL’”. Do jornalista carioca Rinaldo Zirrah, do tipo que não perde uma, sobre as iniciais do filho recém-nascido de William e Kate.

“Não concordo com vandalismo, mas tenho certeza de que é um reflexo dessa necessidade absurda de um mundo que está dando errado”. De Eriberto Leão, na “Invertida” desta semana, sobre os protestos nas ruas do Rio.

“Era pra ser em julho, mas eu bati o pé: durante a Copa? Nem morta e de pés juntos!” De Aguinaldo Silva, esta semana, contando que negociou a mudança da estreia de sua próxima novela, de julho para agosto de 2014.

“Sou fã das cariocas: são bonitas, gostosas, sensuais.” Da estilista e empresária Jacqueline de Biasi, dona da marca Salinas, na entrevista para a coluna #Ficaadica.