“Achei alguns figurinos bastante acanhados e, outros, absurdos – como é que se faz uma roupa de samambaia colada no corpo? Nem prestei muita atenção na música, mas diante de tantas críticas, acho uma pena não terem usado músicas brasileiras, nós que somos riquíssimos nesse aspecto. A música não funcionou e a cerimônia foi aquele…

“E você está pensando em quem quando quer me fotografar, em mim?” De Marisa Monte, para jornalista que quis fotografá-la na feira da Gávea, falando que a cantora só pensava em si ao dizer “não”.

“Eu não uso lingerie, só um maiô adaptado ao meu corpitcho” De Isabelita dos Patins, justificando a dificuldade que tem para fazer xixi durante os eventos de que participa.

“São o sinal de uma voz do passado que eu tanto esperava!” De Anna Sharp, nesta terça-feira (20/05),  sobre o fato de o diário de sua avó, Anna de Assis, ter chegado às suas mãos através de um desconhecido.

“Existe algo neste País mais factual do que eu?” De Glória Maria, nessa quinta-feira (14/05), durante o 25º Prêmio da Música Brasileira, no Teatro Municipal, respondendo a uma repórter.

“Popozuda que me desculpe, beijinho no ombro já rola no meu corpo há mais de seis anos, e com pimenta!” De Nega Teresa, uma baiana-carioca, filha de Iansã, sobre o beijo tatuado no ombro há mais de seis anos.

“A aliança está na cabeça”. De Lilibeth Monteiro de Carvalho, esta semana, explicando a razão de não usar aliança, depois do noivado com o francês Vincent Kieffer.

“O dr. Luiz Roberto Londres (dono da clínica) permitiu porque ele é uma pessoa muito humana”. De Narcisa Tamborindeguy, nessa quinta-feira (01/05), explicando como conseguiu levar um bolo e cantar parabéns para a sua mãe, numa CTI.

“Pra me defender de racismo, eu preciso ser macaco? A gente precisa acreditar que é macaco pra se conscientizar sobre o racismo?” De Glória Maria, esta semana, depois de Neymar lançar a campanha ‘Somos todos macacos’.