“Não abro mão do meu pão, não abro mão do meu corpão, não abro mão do meu tesão”. De Susana Vieira, nesta segunda-feira, na academia A! BodyTech!, na Gávea, ao ser perguntada por que malha tanto.

“Feliz dia do sexo! Trepem bastante pois quem não trepa fica amargo!”. Do estilista Carlos Tufvesson, nesta segunda-feira, aproveitando a criação do “Dia do Sexo” (ainda em campanha para ser oficializado no dia 6 de setembro) para dar uma dica bem antiga, porém saudável.

“Tenho medo da quantidade de laquê que usam no cabelo da Dilma! Se alguém fumar perto, pega fogo.” De Narcisa Tamborindeguy, nessa sexta-feira, falando sobre os penteados da candidada do PT.

“Chatterton suicidou-se, Kurt Cobain suicidou-se, Getúlio Vargas suicidou-se, Nietzsche enlouqueceu, Goya enlouqueceu, e eu não vou nada bem…” De Antonia Fontenelle, nessa terça-feira, em desabafo com amigos. A atriz é casada com o diretor Marcos Paulo, mas essas palavras nada têm a ver com a sua vida pessoal, que fique claro.

“Com 70 milhões dá pra comprar até amor sincero”. Do músico Leo Jaime, nesta segunda-feira, usando o conhecido bordão para fazer planos com a fortuna do próximo sorteio da Mega-Sena, que acumulou o montante para o concurso desta quarta-feira.

“Ronaldo tá grande, mas não tá gordo; aquilo é tudo músculo. A idade passa e o corpo muda um pouco. São também ângulos desfavoráveis das fotos”. De Roberto Rezinski, amigo do Fenômeno, ao ouvir uma amiga perguntar se o jogador estaria acima do peso.

“Estou no Afeganistão? Não, sou repórter de guerra na Zona Sul do Rio de Janeiro.” Do cientista político Luiz Eduardo Soares, nesse fim de semana, falando sobre o intenso tiroteio entre polícia e bandidos, em São Conrado.