BLOG

10/11/2018 - 13:41

“Doidas e Santas” de volta, com Cissa Guimarães e sua vibração

Na primeira foto, Cissa Guimarães entre Marcos Caruso, Renata Ceribellli e Zeca Camargo; na segunda, Giuseppe Oristânio, Ernesto Picccolo e Regiana Antonini; na terceira, Cassia Villas Boas; Ivan Zettel e Ernesto Piccolo; na quarta, Josie Antello, Cissa Guimarães e Giuseppe Oristânio; nesta foto, o casal Andrea e Thomaz Velho com o filhinho José / Fotos: Cristina Granato

“Doidas e Santas” está de volta aos palcos cariocas, no Teatro Vanucci, no Shopping da Gávea. Cissa Guimarães entra em cena com a mesma entrega e energia de quando subiu ao palco pela primeira vez com esse espetáculo, há oito anos. Já se foram mil apresentações sob o aplauso de mais de 300 mil pessoas em mais de 25 cidades. As entonações, as vibrações e o espírito da atriz seguem firmes, sob a direção de Ernesto Piccolo e com o elenco original até hoje, ou seja, ao lado de Josie Antello e Giuseppe Oristânio. O texto, de Regiana Antonini, é inspirado no livro homônimo de Martha Medeiros. Cissa chorou na reestreia; algumas pessoas na plateia também – a maioria se vê em cena, nem que por um momento. 


Enviado por: Lu Lacerda
10/11/2018 - 13:00

De Próprio Punho, por Andréa Pachá: “Mais tempo adiante”

A audiência terminou, e eu não conseguia voltar ao gabinete. Emocionada, tentava lidar com a impotência, diante do esquecimento. Poucos minutos antes, uma senhora muito idosa, olhando para o nada, sentara à minha frente. A filha falava por ela, e explicava-me que a mãe lecionara a vida toda. Poeta e doutora em Letras, aquela mulher, que outrora declamava Fernando Pessoa de trás para frente, não sabia mais quem era, nem o que fazia ali. A filha precisava de uma curatela para receber a aposentadoria. O processo resolveria objetivamente a questão, mas o que fazer para aplacar a dolorosa experiência da família diante da perda da memória e do silêncio da voz?

Acostumada a decidir e sentenciar, depois de quase duas décadas como juíza em uma Vara de Família, fui removida para outro Juízo, com competência para a matéria sucessória, tutelas e curatelas. Não imaginei que a experiência pudesse ser tão intensa e transformadora. Os processos são pouco complexos na perspectiva jurídica. Do ponto de vista humano, no entanto, deparei com conflitos decorrentes do envelhecimento e das limitações da vida com autonomia. A partir de então, além dos inúmeros conflitos envolvendo a velhice, comecei a perceber que estava cercada de velhos por todos os lados – pais, familiares, amigos – e que também eu envelhecia. O contato diário com a ação do tempo inicialmente me paralisou. Aos poucos, a angústia cedeu espaço à escuta cuidadosa, e comecei a escrever histórias, que se transformaram no livro “Velhos são os outros”. O fato a seguir, narrado no prefácio, traduz, com clareza, o que venho sentindo desde então. Durante um café da manhã, curiosa, perguntei à minha mãe:

– Quando é que você se percebeu velha? Aos 77 anos, e surpresa com a pergunta, encerrou a conversa:

– Nunca! Eu ainda não sou velha! Tentando amenizar e fazer com que ela pudesse responder, sem preconceito, à minha inquietação, prossegui:

– Mas mãe… Falo da velhice como idade, não como sentimento. Somos crianças e torcemos para a adolescência chegar. Reconhecemos o tempo da juventude; depois, amadurecemos e nos percebemos adultos e responsáveis. Em seguida, vem a velhice. Não é assim?

– Andréa, ela ponderou, queremos ser adolescentes para experimentar as novidades que a vida traz. Queremos amadurecer para ter autonomia, segurança, liberdade. Mas quem quer envelhecer? Depois que a velhice chega, o que vem?

A pergunta seguiu-se de silêncio. Sem resposta, diante do desconhecido e sentindo uma certa melancolia, entendi que o tempo nos ignora e deixa marcas e acúmulo de passado. É esse acervo que nos define como “velhos”. Aos poucos – e não sem dor -, constatei que minha grande inquietação era a impossibilidade de compreender um tempo que estará sempre diante de mim. Todos envelhecemos. E sempre haverá mais tempo adiante. Os que estão atrás não nos alcançarão, e nós não alcançaremos os que nos antecedem. Depois da velhice, vem mais vida. E mais vida. E mais vida… Que o tempo nos seja leve, bem-humorado e generoso!

 

Andréa Pachá é juíza e escritora. A série “Segredos de Justiça”, de muito sucesso no “Fantástico”, foi baseada em seus livros “A vida não é justa” e “Segredo de Justiça”. Andréa acaba de lançar “Velhos são os outros” (editora Intrínseca). A foto é de Léo Aversa 


Enviado por: Lu Lacerda
09/11/2018 - 20:00

Programe-se: agenda para o fim de semana

“Segundo Sol”, novela de João Emanuel que termina nesta sexta-feira (09/11), já deixa saudades. Com isso, fica a pergunta: você é do tipo Rosa (Leticia Colin), que troca de amores como troca de calcinha? Ou do tipo Luzia (Giovana Antonelli), que espera a felicidade de um grande amor, mesmo trancafiada na cadeia? Laureta (Adriana Esteves), daquelas predadoras que descartam peguetes depois de uma noite? Ou Maura (Nanda Costa), adepta do poliamor?

A melhor da semana? Crivella ter dito ao programa Jogo do Poder, da CNT, que vai tentar a reeleição. Se, dois anos antes, o prefeito já pensa nisso, que tal começar a cumprir as promessas da primeira gestão? O mais anticarioca dos prefeitos podia botar um sorriso naquela cara, só pra começar. É ou não é? 

Tudo ao mesmo tempo agora: o ColaborAmerica vai apresentar mais de 100 participantes de 17 países em várias áreas, como tecnologia, exposição, música, moda, cinema e gastronomia, na Fundição Progresso, na Lapa, nesta sexta-feira e sábado (09 e 10/11). 

Quem for assistir ao filme “Bohemian Rhapsody”, sobre Freddie Mercury/Queen neste fim de semana, favor levar muitos lenços para secar as lágrimas. Há relatos de emoção explícita da plateia e aplausos efusivos ao fim da exibição. 

Se você viu o desfile da Victoria’s Secret, nessa quinta-feira (08/11), provavelmente vai precisar de apoio moral, químico, etílico ou qualquer outro para sobreviver ao fim de semana. Livros de autoajuda podem ser necessários.

Se você quer abrir um pouco mais essa carteira, pode levar os amigos para um jantarzinho com trufas brancas no Gero, em Ipanema – estão sobrando!  

Mostra este suingue: a banda Black Up faz uma homenagem à black music num show com músicas de Earth, Wind & Fire, Stevie Wonder, George Benson, Djavan e Tim Maia, no Blue Note, neste sábado (10/11), às 22h30.

Caetano Veloso e Filhos chegam ao Km de Vantagens Hall, neste sábado (10/10), com a turnê “Ofertório” – esse programa é uma lindura! 

Do roqueiro Serguei: “Toda vez que o telefone toca, penso que é alguém me convidando pra assumir o Ministério do Desbunde. O Brasil anda muito psicodélico, e nada mais é impossível por aqui.”

Oi, São Pedro! Só queremos dizer que não estamos preparados para tanta água em plena primavera – nem os cariocas, nem as ruas da cidade, nem o prefeito; este, menos ainda!  

O assunto mais comentado do Twitter desta sexta-feira (09/11) é: “Anitta beija várias bocas e dança com cobras em novo clipe”. Tradução: a vida na ficção parece infinitamente mais interessante.

Tem gente que bate na casa dos outros para pedir açúcar. O cirurgião plástico Dr. Rey bateu na casa de Bolsonaro, nesta sexta-feira (09/11), para pedir o Ministério da Saúde. Porém, segundo ele, pode ser qualquer cargo porque “trago ideias de primeiro mundo para o Brasil. Chega de Brasil na periferia! Tenho licenciamento em Harvard, nos EUA, posso ajudar”, disse ele nas redes sociais. Eita! 

Os cervejeiros podem se arriscar numa experiência diferente na primeira edição do Brew Art Festival, no espaço ExC, no Jardim Botânico, neste sábado e domingo (10 e 11/11). Como o nome sugere, o evento mistura diferentes formas de arte com a degustação de tipos variados da bebida. Na área externa, 10 shows em dois dias, entre eles os de Jesuton e Almas Thomas. Vai ter também uma área infantil para os pais aproveitarem o festival sem preocupações.

A rapper americana Azealia Banks faz show neste sábado (10/10), na Sacadura 154, Saúde, com participação das cantoras Linn da Quebrada e Pepita. Logo depois, lá também, acontece a festa “Batekoo” com show da drag queen Lia Clark. “A proposta é que seja uma festa democrática, livre de preconceitos, e que una os ritmos negros pra todo mundo se divertir muito e descer até o chão, até as pernas dizerem chega”, diz o convite. Aviso: travestis e transexuais são VIPs. 

Quer viajar sem sair do lugar? Rola no Planetário da Gávea, até domingo (11/11), o “Festival Gastro Galáctica”, um mix de gastronomia, música e astronomia, com observações do céu, degustação de cerveja artesanal, visitas guiadas ao Museu do Universo, sessões de projeção de estrelas, shows e DJs dentro da cúpula do Planetário. Um dos destaques é a banda Camisa de Vênus e a Atom, considerada a melhor banda cover de Pink Floyd do Brasil, que vai tocar ao vivo o álbum “The Dark Side of the Moon”.

A fim de uma roda de samba bamba e ainda fazer uma caridade? Tem o “Samba do Bem”, na Casa do Minho, no Cosme Velho, neste sábado (10/10), às 18h, com Casuarina, Cordão do Bola Preta, Dorina, Margarete Mendes, Mariano Maia Busson, Rita Benneditto e Samba das Malandras. A renda vai para as obras sociais da Casa de Francisco de Assis.

Francisco Brennand, o artista plástico pernambucano conhecido pelas cerâmicas, ganha mostra com 44 obras, incluindo 13 desenhos e pinturas, esculturas e 15 ovos cerâmicos, na Galeria Evandro Carneiro Arte, na Gávea, até 15 de dezembro.

Em cartaz no CCBB Rio, no Centro, até janeiro, a mostra “Jean-Michel Basquiat – Obras da Coleção Mugrabi” ganha uma atração especial nesta segunda-feira (12/11): o curador Pieter Tjabbes, responsável pela seleção das mais de 80 peças que compõem a mostra, vai fazer visitas guiadas gratuitas em dois horários: às 15h e 17h.    

Só ficam falando que o Rio “tá fudido” – de um lado, não há como negar; de outro, alguns pontos não são atingidos. Nova-iorquina cinquentinha que gasta-sem-conta veio fazer plástica na cidade carioca e explica o porquê: “A recuperação é chata, então prefiro um hotel com a vista mais bonita do mundo. Rsrsrs!”

Ilustração: Edgar Moura


Enviado por: Lu Lacerda
09/11/2018 - 19:00

Amir Haddad e Viviane Mosé: uma noite sobre Nietzsche

Amir Haddad e Viviane Mosé: juntos para falar sobre Nietzsche /Fotos: Divulgação

Sua segunda-feira (12/11) pode ser diferente de muitas: o diretor e dramaturgo Amir Haddad vai apresentar trechos do espetáculo “Assim falou Zaratustra”, de Nietzsche, que ele vem mostrando em vários teatros. Na sequência, a filósofa Viviane Mosé entra em cena, para reflexões também sobre o alemão, já que escreveu dois livros baseados no filósofo: “Nietzche Hoje” e “Nietzche e a Grande Política da Linguagem”. Vai dar muito o que pensar, ainda mais, ao falar dos desafios do momento presente – aí vai ser phoda! O encontro será no Manouche, às 9 da noite. 


Enviado por: Redação
09/11/2018 - 17:40

Dani: cantor e compositor lança novo single

Dani: cantor, compositor e multi-instrumentista lança “No Seu Mundo” em todas as plataformas digitais /Foto: Divulgação

O cantor, compositor e multi-instrumentista Dani, de 18 anos, acaba de lançar a música “No Seu Mundo”, nesta sexta-feira (09/11), em todas as plataformas digitais, parte de um EP com três canções. Dani é um típico garoto da geração Y, sempre ligado nos 220 volts, e com mais de 50 mil seguidores em suas redes sociais. Embora pareça jovem no mercado fonográfico, já é veterano – lançou seu primeiro álbum em 2012, “Mundo Mágico”, produzido por Marcelo Sussekind, com execução em mais de 60 rádios pelo País; também foi jurado de uma competição que escolheu uma banda para entrar no Rock in Rio, ao lado de nomes como Ricardo Amaral e Liminha. Mais maduro, ele parte para nova fase, com aval de grandes nomes da música, como Roberto Menescal, um dos fundadores da bossa nova, além de Paulinho Moska, Cláudio Zoli e George Israel. O texto de apresentação do novo trabalho é assinado por Bruno Gouveia, do Biquíni Cavadão: “Seu novo trabalho apresenta um Dani adolescente, mas totalmente longe do ingênuo estereótipo juvenil. Amante de jazz, soul e R&B, e produzido por Carlos Coelho (Biquíni Cavadão), sua voz é solta e desenvolta. E que ninguém caia na ideia de que Dani merece destaque só porque é tão jovem – sua música é dessas que não têm idade”.


Enviado por: Redação
09/11/2018 - 16:00

Pinturas em bares e botecos do Rio são tombadas

Na primeira foto, o quadro de Nilton Bravo no Bar Jobi, no Leblon; na segunda, na Adega Flor de Coimbra, na Lapa /Fotos: Reprodução

Oito pinturas a óleo de Lino Bravo e Nilton Bravo, em bares do Rio, foram temporariamente tombadas por Marcelo Crivella, nesta sexta-feira (09/11), em decreto já publicado no Diário Oficial. Segundo o texto, o município levou em consideração a importância histórica, artística e cultural das obras dos artistas, além da peculiaridade de enfeitar as paredes de bares e botecos. Muita gente já encheu a cara no Jobi, por exemplo, e nem faz ideia de que o painel a óleo pendurado na parede é de Nilton, agora praticamente um patrimônio carioca. Geralmente, os desenhos da dupla são bucólicos, com um barquinho, uma casinha, garças, uma cascata, uma mulher pescando… Esse tipo de arte já dominou os botecos do Rio, mas, em 2016, restavam apenas 17. Outros trabalhos estão no bar Rio-Brasília, no Cachambi; na Adega Flor de Coimbra, na Lapa; Ponto da Galera, no Bairro de Fátima; Costa do Milho, no Grajaú; Gurilândia, na Tijuca; Lanchonete Rosa de Bairro, em Vasco da Gama; e no Açougue e Distribuidor de Carne Frigobar, na Lapa.


Enviado por: Redação
09/11/2018 - 14:30

Homenagem a cariocas que fazem ação social

Daniela Basilio, Rosa Célia e Rosa Klabin /Foto: Luciana Tancredo/ciadafoto

Cecilia Ligiero, superintendente do Rio Design Leblon Antonia Frering e Joana Nolasco /Foto:Luciana Tancredo / ciadafoto

Cecilia Ligiero com Pedro Werneck e Rosa Célia /Foto: Luciana Tancredo / ciadafoto

Georgia Buffara, Mônica Mendes de Almeida e Gilza Velloso /Foto: Luciana Tancredo / ciadafoto

O diretor artístico Marcelo Misailidis e bailarina Ana Botafogo – Daniella Sarayba e Joana Nolasco /Foto: Luciana Tancredo/ciadafoto

Piscou, chegou o Natal. O Rio Design Leblon homenageou cariocas que fizeram ou fazem ações sociais para homenagear, como Ana Botafogo, Antônia Frering, Daniella Sarahyba, Georgia Buffara, Pedro Werneck, Rosa Célia…. dando um prêmio a cada um deles, nessa quinta-feira (08/11). O shopping ganhou enfeites inspirados no tema de “O Quebra-Nozes”, de Tchaikovsky, tradicionalmente encenado na época natalina. Depois de plaquinhas entregues, dançarinas da Cia. Brasileira de Ballet apresentaram trechos do “Quebra-Nozes” ao som da Orquestra Ornamentus, com coreografia de Marcelo Misailidis. Quem passeava desavisado pelo shopping teve uma surpresa e tanto. 


Enviado por: Redação
09/11/2018 - 12:30

“O Sétimo Guardião”: a festa da nova novela

“O Sétimo Guardião”: Tony Ramos, Giulia Figueiredo, Lilia Cabral e Aguinaldo Silva /Foto: Isabela Pinheiro/GShow/Divulgação

“O Sétimo Guardião”: Marina Ruy Barbosa e Bruno Gagliasso serão o casal protagonista, Luz e Gabrie / Foto: Fabrício Battaglin/Gshow/Divulgação

“O Sétimo Guardião”: Carolina Dieckmann e Vanessa Giácomo /Fotos: Fabrício Battaglin/Gshow/Divulgação

“O Sétimo Guardião”: Leopoldo Pacheco e Dan Stulbach /Fotos: Fabrício Battaglin/Gshow/Divulgação

“O Sétimo Guardião”: Luisa Sonza e Letícia Spiller /Fotos: Fabrício Battaglin/Gshow/Divulgação

“O Sétimo Guardião”: Flavia Alessandra e Viviane Araújo abusaram do decote /GShow/Divulgação

“O Sétimo Guardião”: Paulo Rocha e Marcelo Novaes /Fotos: Estévão Avelar/TV Globo

“O Sétimo Guardião”: Elizabeth Savalla e Isabela Garcia /Fotos: Fabrício Battaglin/Gshow/Divulgação

“O Sétimo Guardião”: Carol Duarte e Theodoro Cochrane /Fotos: Fabrício Battaglin/Gshow/Divulgação

“O Sétimo Guardião”: Bruna Linzmayer e Nany People /Fotos: Fabrício Battaglin/Gshow/Divulgação

“O Sétimo Guardião”: o diretor artístico Rogério Gomes, o Papinha, ao lado de Aguinaldo Silva, e Paolla Oliveira /Foto: Isabela Pinheiro/GShow/Divulgação

“O Sétimo Guardião”: José Loreto e Débora Nascimento /Foto: Estevão Avelar/TV Globo/Divulgação

Foi um desfile de mulherões e decotes, assim como de talentos, no lançamento de “O Sétimo Guardião”, nova novela das nove, de Aguinaldo Silva, nessa quinta-feira (08/11), no espaço EXC, no Jockey Clube, na Lagoa. O espaço foi todo decorado como uma cidade do interior – a história se passa na fictícia Serro Azul – e, claro, tudo em tons de azul, remetendo à água da fonte misteriosa na história de realismo fantástico. “O público precisa de leveza. A novela não deve ser uma extensão do noticiário policial. Temos uma trama muito forte que remete a séries, como Game of Thrones; só não tem dragões”, avisou Aguinaldo.

Tony Ramos, que interpreta o vilão milionário Olavo, também está só na expectativa: “Essa novela é um espetáculo, e estou ansioso, mesmo depois de 55 anos de carreira”. Novidade da trama (Aguinaldo adora lançar talentos) é a estreia de Giulia Figueiredo, filha de Lilia Cabral, que vai interpretar a mãe na fase jovem. “Vivi em sets, mas sempre do lado de fora. Começar ao lado da minha mãe é maravilhoso”, disse ela, que vai ter também a sorte de estrear na maior vitrine e no mais nobre horário da TV. Depois da apresentação do clipe, aplaudidíssimo, sete bailarinos subiram em “queijos” iluminados, em referência aos personagens principais, com a música  “Problema seu”, de Pabllo Vitttar.

O gato León – gato de quatro patas mesmo, ocupando o posto que muito gato de duas pernas sonha -, protagonista da história, não estava lá, por razões óbvias, mas foi representado com um drinque de vodka, hibisco e gotas de limão com o rosto do felino estampado. A mulherada caiu na pista: Marina Ruy Barbosa descia até o chão, ao lado de Viviane Araújo, Flávia Alessandra, Carolina Dieckmann, Bruna Linzmeyer, Carol Duarte, Vanessa Giácomo…. Foi uma festa ao estilo “tem um sábado na minha quinta” – rsrsrs! 


Enviado por: Redação
09/11/2018 - 11:00

Teatro, por Claudia Chaves: “Zilda Arns – A dona dos lírios”

Quando conseguem juntar o espírito de compaixão e o trabalho ao conhecimento e “expertise” profissionais, vemos que pessoas especiais são capazes de brilhar. A história da pediatra, três vezes indicada ao Prêmio Nobel da Paz e fundadora da Pastoral da Criança, cuja vida dedicada aos outros contribuiu decisivamente para a redução da mortalidade infantil no País, é o que conta a peça Zilda Arns – A dona dos lírios, em cartaz no Teatro Candido Mendes. Uma vida extraordinária nos é apresentada no desempenho excepcional de Simone Kalil, autora do texto, junto com Luiz Antônio Rocha, também diretor do espetáculo. No cenário de lírios de material reciclável, Simone entroniza a personagem de Doutora Zilda, com dois níveis diferentes de utilização da voz e do corpo.

Em todo o tempo, o que se vê é força, brasilidade, empatia, preocupação com o outro, delicadeza e perseverança na peça, produzida pela parceria entre Simone e Luis Antônio – um resultado muito bem-sucedido. É linda a trilha sonora, desenvolvida por Beá, na qual canções e sons de instrumentos brasileiros são o reforço perfeito para contar uma história que, com fortes doses de total sofrimento, poderia ser mais um monólogo biográfico piegas.

Há, nessa parceria de ambos, a capacidade de fazer aquilo a que o público vai assistir: uma história bem contada, uma atriz capaz de nos emocionar – rir, chorar, aplaudir. A escolha da Doutora Zilda segue a doutrina da Igreja: cuidar dos que mais precisam. A escolha de Simone Kalil e de Luiz Antônio Rocha é de fazer o melhor teatro, aquele do qual mais precisamos.

Serviço:
Teatro Candido Mendes
Sexta a domingo, às 20h.

Fotos: Dalton Valério


Enviado por: Redação
08/11/2018 - 18:32

Antonia Galdeano: Yoga Trapézio – repara no corpinho

Antonia Galdeano: depois de fazer formação em Yoga Trapézio em Barcelona, abertura de estúdio no Rio / Foto: divulgação

Antonia Galdeano, que já é filósofa e psicóloga, tem uma nova paixão na vida: acaba de fazer formação em Yoga Trapézio em Barcelona, para onde volta nesta sexta-feira (09/11); desta vez, a  estada será mais curta. “Os professores e os alunos achavam que eu era trapezista de circo”, diz ela, que se formou em Artes Cênicas na Academia Real de Londres e já fez também curso de palhaço em Paris. E completa: “Cheguei ao Rio, postei uma prática minha e, no dia seguinte, eu estava com 50.000 seguidores e muita gente me pedindo aula”. Esta semana, Antonia se apresentou no Copacabana Palace, em evento da Amsterdã Sauer; alguns convidados foram à loucura, pela apresentação e pelo seu corpinho atual. Alguém observou: “Sabe a cara de alguém quando está fazendo o que ama? É ela”. Galdeano vai abrir um estúdio no Leblon, nos próximos dias, mas já está dando aulas para alguns mais ansiosos. “Trouxe os trapézios de Barcelona, e o estúdio vai ser todo para alongar, emagrecer, tonificar e brincar. Quero trazer bem-estar, alegria e autoestima para os cariocas!” Quem não quer? 


Enviado por: Lu Lacerda

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline