BLOG

27/09/2018 - 15:20

Revista americana: “Falta de apoio à ciência reprova o Brasil”

Revista americana Science: artigo com 21 cientistas sobre a falta de suporte aos museus brasileiros /Foto: Reprodução

Alexander Kellner, diretor do Museu Nacional, é um dos autores de um dos artigos da revista americana “Science”, na edição desta sexta-feira (28/09), sobre o descaso do governo brasileiro com os seus museus. No texto, ele critica a “falta de sensibilidade e de investimentos do governo federal. Toda a comunidade científica fica triste ao ver um patrimônio destruído: o Egito está triste porque perdemos as múmias no incêndio; Portugal com os danos ao palácio. Foi uma tragédia com requintes de crueldade. Nem sequer havia água para apagar o fogo”. Além de Kellner, 21 cientistas brasileiros e americanos fazem parte do artigo-protesto, chamado de “Falta de apoio à ciência reprova o Brasil”, destacando que o mundo “assistiu horrorizado” ao incêndio no último dia 2, colocando em risco o acervo de mais de 20 milhões de peças.


Enviado por: Redação
27/09/2018 - 13:40

ArtRio: galeristas animados, artistas excitados e público misturado

“ArtRio”: Emanuel Aragão, Leo Battistelli e Maria Flor /Foto: Murillo Tinoco (AGi9)

“ArtRio”: Claudia Melli e Andrea Dellal /Foto: Murillo Tinoco (AGi9)

“ArtRio”: Luiz Calainho e Brenda Valansi /Foto: Udo Kurt (AGi9)

 

“ArtRio”: Ernesto Neto em suas tramas e a artista plástica Lenora de Barros /Foto: Murillo Tinoco (AGi9)

“ArtRio”: Fiorella Mattheis /Foto: Udo Kurt (AGi9)

“ArtRio”: Marieta Severo e Poliana Abritta /Foto: Murillo Tinoco (AGi9)

“ArtRio”: Anna Caldas e Ricardo Nauenberg – Eduardo Ourívio e Juliana Ourívio /Foto: Murillo Tinoco (AGi9) 

“ArtRio”: Denise Tanus, Andrea Marques, Vitor Maia, Flavia Vatz, Anna Backheuser e Lucca Malta /Foto: Udo Kurt (AGi9)

“ArtRio”: Joana Nolasco e Luciana Novis /Foto: Udo Kurt (AGi9)

“ArtRio”: Constança Basto e Betina de Luca /Fotos: Murillo Tinoco (AGi9)

“ArtRio”: Zanini de Zanine – Tomaz Viana /Fotos: Udo Kurt (AGi9)

“ArtRio”: Jorge Espírito Santo /Foto: Udo Kurt )AGi9)

“ArtRio”: Bárbara Paz, Luiz Pizarro e Adriana Rodrigues /Foto: Murillo Tinoco (AGi9)

“ArtRio”: o produtor de moda Felipe Veloso e o curador Bernardo Mosqueira /Fotos: Murillo Tinoco (AGi9)

“ArtRio”: Cissa Guimarães e José Velho /Foto: Murillo Tinoco (AGi9)

A considerar o clima de abertura da ArtRio, nessa quarta-feira (26/09), a feira deve ser boa: galeristas animados, artistas excitados, público misturado. Alguns como Leo Battistelli, por exemplo (ali representado pela Marcia Barrozo do Amaral), não tinha mais um trabalho disponível, a poucas horas depois da abertura: tudo vendido. Os maiores nomes da área andavam pelos corredores, nem todos compradores, mas que importância isso tem no geral? São personagens tão importantes praticamente quanto os colecionadores – informados, animados, conhecidos e, claro, necessários.

“A agenda de eventos cresce a cada ano e essa integração e encontro de toda a cadeia do mercado da arte é muito enriquecedora para todos”, disse Brenda Valansi, a presidente da feira, que abre para o público nesta quinta-feira (27/09), com 87 galerias no total, divididas em programas como “Panorama” e “Vista”.

Ou seja, para andar por ali, vá com sapatos confortáveis, porque tem muita coisa. Uma das novidades da 8ª edição é o programa Brasil Contemporâneo, que pretende ampliar o catálogo do evento para além do Rio e de São Paulo, sob a curadoria de Bernardo Mosqueira. Tem também muitos debates e as inscrições acontecem por ordem de chegada. Nesta quinta-feira, por exemplo, o curador do Tate Modern, Inti Guerrero, vai falar sobre arte brasileira e latino-americana no museu londrino, além de um papo sobre coleções de arte com Jesus Fuenmayor, curador da XIV Bienal de Cuenca, e Silvio Frota, colecionador e fundador do Museu da Fotografia. A programação completa está no site oficial do evento.


Enviado por: Redação
27/09/2018 - 12:00

Yara Figueiredo: a volta aos palcos cariocas

Yara Figueiredo: artista volta aos palcos cariocas com o show “O canto da Iara” /Foto: Marcelo Faustini

Quem conhece Yara Figueiredo sabe bem tanto da sua coragem quanto dos seus talentos: joalheira, poetisa, estilista, cantora e compositora. Esses últimos ficaram meio que silenciados por uns 15 anos, mas agora ela os trouxe de volta, lançando o show “O canto da Iara”(da lenda indígena, Iara, a “Senhora das Águas”, que com suas canções hipnotizantes atrai pescadores), nesta quinta-feira (27/09), na Casa de Cultura Laura Alvim, em Ipanema. “Essa nova Yara é uma cantora, compositora, interpretando suas próprias composições, depois de ter o seu lado musical adormecido por muito tempo, retornando com a força de uma mulher de 51 anos e seu próprio canto. Quero mostrar essa nova música, essa nova luz, essa nova meditação com o som”, diz ela. No repertório, sete músicas autorais, compostas nesses anos longe do palco, além de canções de Rita Lee, Délcio Carvalho e Candeia, acompanhada pelos músicos Patrick Thomazzini (violão), Eber de Freitas (percussão), e Donatinho (teclado), que também foi parceiro de Yara na mixagem de alguns de seus novos singles.


Enviado por: Redação
26/09/2018 - 20:00

Treze perguntas para Eduardo Paes: candidato ao governo do Rio

Ninguém anda indiferente à política, ainda mais nestes tempos de corrupção em decadência (é o que a gente pensa). A chegada de um novo governador sugere novas possibilidades para o meu, o seu, o nosso Rio. Diante da importância do momento, entrevistamos os candidatos mais pontuados: Eduardo Paes (DEM): 24%; Romário (Podemos): 16%; Garotinho (PRP): 16; Indio da Costa (PSD): 6%; Tarcísio Motta (PSOL): 4%; Wilson Witzel (PSC): 4%; Marcia Tiburi (PT): 3%; Marcelo Trindade (Novo): 2% e Pedro Fernandes (PDT): 2% – pela última pesquisa IBOPE de 25/09. Começamos em ordem alfabética, portanto, com o ex-prefeito Eduardo Paes. 

1
Por que se candidatar ao governo do Rio?

Porque eu acredito no estado, eu acredito que não é aceitável o que a gente está vivendo aqui, que as coisas não precisam ser do jeito que estão, que o Rio tem um potencial forte, Acho que tenho experiência e capacidade de fazer as transformações de que o estado precisa, e nós vamos fazer isso.  

2
A fazer aliança com algum dos seus concorrentes, qual seria? Por quê?

Olha, eu sou candidato a governador, disputando contra quem está na disputa, portanto não posso cogitar algo que não está acontecendo. Não faria aliança com eles porque estou disputando a eleição contra eles.   

3
Das tantas tragédias atuais na vida dos cariocas, qual a que mais o comove?

As tragédias são muitas, como você diz na sua pergunta, mas, sem dúvida nenhuma, as duas que mais angustiam são a violência, ou a falta de segurança pública e o drama da saúde pelo qual as pessoas passam.  

4
Qual a ordem de prioridade pro senhor: educação, saúde e segurança?  

É muito difícil você dizer, desses três temas qual é o prioritário, mas o da segurança pública é absolutamente relevante (os outros também são, eu sei). Acho que devolver o mínimo de paz, de tranquilidade pra população, garantir o direito de ir e vir é fundamental, até pra que as outras políticas públicas possam ser desenvolvidas e podermos atrair investimentos pro nosso estado.  

5
Você colocaria um filho numa escola pública no Rio? Por quê?

As escolas públicas da cidade do Rio, eu conheço bem. Existem muitas escolas de muita qualidade. Eu, se tivesse necessidade, colocaria, não teria a menor dúvida de colocar.  

6
Quais as três primeiras providências se eleito?

Eu vou falar que as duas, que são antes da posse, procurar o próximo presidente da República eleito e pedir duas coisas: a primeira é que as forças de segurança públicas, ao terminar a intervenção, as forças do Exército as Forças Armadas permaneçam à nossa disposição, sob o nosso comando, auxiliando na tarefa de combate à violência. E a segunda, discutir também com o próximo Presidente as condições melhores para a recuperação fiscal que possa permitir o que o estado retome o caminho do desenvolvimento, claro, sem deixar de cumprir com as suas obrigações.  

7
A filha do Eduardo Cunha é candidata, o filho do Sérgio Cabral é candidato, o filho do Jorge Picciani é candidato; todos presos – o que existe de tão atraente na política que não intimida esses jovens nem nessas circunstâncias?

Essa pergunta tem que ser feita pra eles.  

8
O que pretende deixar de mais importante ao fim de seu governo?

Quero deixar um estado em paz, e que retome o caminho do desenvolvimento, que olhe pra frente, que as pessoas acreditem na capacidade do Rio de Janeiro de crescer, de avançar, gerar emprego, gerar riqueza, e que as pessoas possam ter qualidade de vida e paz.  

9
Que cidade citaria como exemplo? Por quê? 

Sou candidato a governador, não a prefeito.  

10
Qual o seu apreço ou desapreço com a prefeitura do Crivella?

A eleição de 2016 aconteceu, e o Prefeito Crivella foi eleito, contra o meu candidato, e contra o meu governo, contra o que eu fazia na cidade do Rio, e se eu for eleito governador, o meu papel é me relacionar bem com o Prefeito da cidade e ajudá-lo a governar, a fazer com que as coisas aconteçam, é assim que eu vou trabalhar, em parceria. Não sou comentarista de governo de ninguém, sou candidato a governador e pretendo me eleger Governador e trabalhar em parceria. Acho que a população pode avaliar o governo do Prefeito Crivella.  

11
E a vida cultural como anda? Qual a última peça, o último filme, o último livro?

Vida cultural na época de campanha é sempre mais difícil, peça tem um tempo que eu vejo, filme, estou sempre vendo num espaçozinho de tempo que tem na madrugada, quando chego em casa da pra ver um filminho, e busco sempre ler, estou lendo nesse momento a biografia do Leonardo Da Vinci. Claro, é menos do que eu gostaria mas sempre lendo.  

12
Sabemos que a União retém quase a totalidade dos impostos arrecadados no Estado do Rio, deixando o governador, digamos, de pires na mão. Qual seria sua proposta para evitar essa romaria a Brasília, cada vez que mais dinheiro é necessário?

Eu não acho que seja isso não, há de fato uma concentração de arrecadação de impostos que vão pra Brasília mas esse pires na mão é muito fruto da má gestão, da sonegação, da incapacidade de arrecadar mais impostos. Eu fui prefeito do Rio, e nunca precisei viver de pires na mão organizava as contas e mostrei que a prefeitura podia ter capacidade de fazer o que ela quisesse, ao contrário, a gente já podia ter emprestado dinheiro pro governo estadual, então eu vou recuperar as finanças do estado e, é claro, se puder buscar recursos em Brasília é sempre bom, mas não precisa ficar de pires na mão, não.  

13
O que o senhor acha de políticos que mentem?

O que eu acho de políticos que mentem é que não deveriam mentir.   


Enviado por: Lu Lacerda
26/09/2018 - 18:30

Julio Le Parc: 90 anos muito bem comemorados

Abraham Palatnick entre Julio e Yamil Le Parc /Foto: Marco Rodrigues

Carlito Carvalhosa, Regina Casé e Maria Pia Mendes de Almeida /Foto: Marco Rodrigues

Isabela Feraiolo, Alix Ligni e Cecilia Geyer /Foto: Marco Rodrigues

O casal Pedro e Bia Corrêa do Lago – Leonardo Borges e Adriana Colombo /Fotos: Marco Rodrigues

Julio Le Parc, Yumico Seki e Lavínia Vlasak /Foto: Marco Rodrigues

Van Van Seiler e Fred Von Bulow – Estevão Ciavatta e Rosa Marques Moreira /Fotos: Marco Rodrigues

Alexandre Roesler entre Marcio e Mara Fainziliber /Foto: Marco Rodrigues

Edgar Moura Brasil e Edmar Caetano – Fabiola Ceni e Elisa Byington /Fotos: Marco Rodrigues

Julio Le Parc e Gabriela Moraes /Foto: Marco Rodrigues

Os 90 anos do artista argentino Julio Le Parc foram muito bem comemorados com a abertura da exposição “Jiulio Le Parc: obras recentes”, nessa terça-feira (25/09), na Galeria Nara Roesler, em Ipanema, seguido  de jantar na casa de Paula Marinho e Miguel Pinto Guimarães, no Jardim Pernambuco. Como diz o título, o artista, muito em alta no desejo dos colecionadores brasileiros, um dos fundadores do movimento cinético, está em plena forma ao produzir coisas novas, como as pinturas inéditas da série “Alchimie”, além de uma escultura “Torsion” (2004) e “Alchimie Virtuel”, com tecnologia que permite ao espectador a sensação de entrar na obra – tudo criado pelo filho de Júlio, Juan Le Parc, os convidados usavam óculos 3D. Atualmente, Le Parc vive e trabalha em Cachan, na França.

Enviado por: Redação
26/09/2018 - 17:50

John Flynn e Richard Gilmore: sintonia com os cariocas

Anna Lima – Samuel Rosa /Foto: Daniel Delmiro/Divulgação

Sidney Chreem, John Flynn, Mauricio Saade e Richard Gilmore /Foto: Daniel Delmiro/Divulgação

Eriberto Leão e Ike Cruz /Foto: Daniel Delmiro/Divulgação

DJ Memê e Evandro Mesquita /Foto: Daniel Delmiro/Divulgação

Paulo Mesquita, Leco Biagonne, Rafael Camarano e Roger Khoury /Foto: Daniel Delmiro/Divulgação

Mauricio Saade e Eriberto Leão – André Ramos e Gabriel Monteiro /Foto: Daniel Delmiro/Divulgação

Tom Leão e Jackie Sperandio /Foto: Daniel Delmiro/Divulgação

John Flynn e Richard Gilmore, diretores da marca Fred Perry, estão visitando as lojas brasileiras Rio e São Paulo, 12 showrooms (além de mais de 100 multimarcas revendedoras). Nessa terça-feira (25/09), foi a vez do encontro com os empresários cariocas Mauricio Saade e Sidney Chreem, donos da loja do Fashion Mall. Mauricio convidou alguns artistas, como Eriberto Leão, Evandro Mesquita, Samuel Rosa e Anna Lima: foi sintonia imediata entre todos. Os ingleses adoraram a passagem pela cidade, também, com esses cicerones – foram à churrascaria, ao Mirante do Leblon e já em São Paulo, vão assistir ao clássico do Brasileirão Corinthians X Flamengo, nesta quarta-feira (26/09). 


Enviado por: Redação
26/09/2018 - 16:30

Maria Rita: homenagem aos 60 anos de Arlindo Cruz

Maria Rita será uma das convidadas da noite em homenagem aos 60 anos de Arlindo Cruz /Foto: Reprodução

Depois de passar por São Paulo, a turnê “60 anos de vida, 40 anos de samba”, em homenagem aos 60 anos de Arlindo Cruz (completados no dia 14 de setembro), chega ao Rio, no Km de Vantagens Hall, na Barra, no dia 6 de outubro. O cantor e compositor Arlindinho, filho do sambista, será o mestre de cerimônias do evento que vai receber Maria Rita, Sombrinha (fundador do Fundo de Quintal), Thiago Martins, Bom Gosto, a Escola de Samba Império Serrano e um convidado surpresa. “A nossa proposta é homenagear o nosso guerreiro cercado de amigos e pelo público. Há uma grande expectativa com a recuperação do meu pai e essa foi a forma de demonstrarmos nossa gratidão por essa vibração positiva, amor e todas as formas de orações que temos recebido ao longo do último ano e meio”, conta Arlindinho, que teve uma dificuldade danada para escolher o repertório – são mais de 750 músicas gravadas por diversos artistas – e combinar as músicas nas vozes dos convidados.


Enviado por: Redação
26/09/2018 - 15:40

Sergio Rodrigues: homenagem em livros e exposição

Patricia Marinho, João Caetano e Bel Lobo /Foto: Marco Rodrigues

Flávia Marcolini e Eduardo Machado /Foto: Marco Rodrigues

Roberto Rodrigues, filho de Sergio, entre os arquitetos Lia Siqueira e Ivan Rezende, que fizeram a vitrine da loja /Foto: Marco Rodrigues

Carlos Alberto Grabowsky e Viviane Grabowsky – Cristina Ferraz e Juliana Veiga /Fotos: Marco Rodrigues

Fernando Mendes, Sergio Harouche e Roberto Rodrigues /Foto: Marco Rodrigues

João Caetano, Patricia Carvalho, Adriana Valle e Fernando Peregrino /Foto: Marco Rodrigues

Sergio Rodrigues, considerado o grande mestre do design brasileiro, completaria 91 anos no dia 22 de setembro. Em homenagem ao legado do artista, famoso por peças como a poltrona Mole e o banco Mocho, a Arquivo Contemporâneo, de João Caetano e Ivo Wanderley, no CasaShopping, comemorou a data com um evento múltiplo, nessa terça-feira (25/09): lançamento do livro “Sergio Rodrigues/Designer”, com textos do crítico Afonso Luz e dos designers Fernando Mendes, Claudia Moreira Salles e Baba Vacaro; relançamento de “Fortuna Crítica” (lançado em abril deste ano pelo Instituto Sergio Rodrigues); exposição das peças mais icônicas do artista, incluindo alguns protótipos originais cedidos pelo Instituto Sergio Rodrigues, como a poltrona Diz e a poltrona Tetê; e vitrines assinadas pelos arquitetos Lia Siqueira e Ivan Rezende, que conviveram de perto com Sergio, especialmente quando escreveram juntos o livro “Conversas Ilustradas – Sergio Rodrigues”, lançado em 2013 (um ano antes de sua morte), que foi  vencedor da 52ª Premiação Anual do IAB-RJ na categoria produção teórica. 


Enviado por: Redação
26/09/2018 - 14:20

Agora pode: apresentações artísticas em transportes no Rio

Artistas no metrô: agora é liberado fazer apresentações em meios de transporte no Rio /Foto: Reprodução

Pra você que tem verdadeiro pavor daquele número musical dentro do ônibus, trem, barcas ou metrô, melhor se habituar. O governador Luiz Fernando Pezão sancionou, nesta quarta-feira (26/09), uma lei que permite apresentações artísticas dentro desses transportes. Ou seja, passe livre para aqueles sujeitos que declamam poesias enquanto você tenta dar aquele cochilo, ou aqueles que tocam instrumentos – antes era coibido pelas empresas, mas agora a lei permite. Continua proibido cobrar cachê, mas aceitar doações espontâneas pode. A lei também determina que as empresas de transporte criem um cadastro de artistas que já trabalham ou queiram se apresentar para organizar o horário das apresentações.

No entanto, o MetrôRio enviou um comunicado através de sua assessoria de imprensa, dizendo que os vagões não são locais apropriados para apresentações artísticas. “Nos vagões devem ser observadas, em primeiro lugar, as condições de segurança dos clientes, inclusive dos próprios artistas. Em todos os principais metrôs do mundo, as apresentações dentro dos trens são proibidas, para evitar acidentes e problemas na operação”, diz o texto. A empresa também citou o projeto “Palco Carioca”, criado em 2016, para artistas que se apresentam nas estações, em espaços “adequados”. 


Enviado por: Redação
26/09/2018 - 13:50

Talitha Rossi: uma homenagem ao amor

O casal Marcos Prado e Thalita Rossi /Foto: Paulo Jabur

João de Orleans e Bragança e Claudia Melli /Foto: Paulo Jabur

Andréa Prado e Dudu Garcia /Foto: Paulo Jabur

Michelle Costa e Clara Santhana – Maria João Bastos /Fotos: Paulo Jabur

Marcos Prado, Ana Quintella e Rick Nogueira /Foto: Paulo Jabur

Anna Carolina Kruel e Flávia Curvello /Foto: Paulo Jabur

Talitha Rossi usou um espaço de 120 metros quadrados na Casa de Cultura Laura Alvim, em Ipanema, para falar sobre o amor: “Só de amor, só do amor”, mostra inaugurada nessa terça-feira (25/09). Com curadoria de Isabel Sanson Portella, são 40 trabalhos recentes e inéditos entre instalações, esculturas e fotografias. A artista plástica usa materiais diversos encontrados por aí, como brinquedos, ossos de animais, bordados, retalhos, tecidos, fios exóticos, cristais brutos, peles, escamas, conchas etc. para fazer suas texturas, brilhos, cores, além de emprestar o próprio corpo para fotoperformances. “São sentimentos produzidos em série que se transformaram em objetos, que comunicam sobre mim e tantas mulheres”, explica Talitha. No espaço, todas as formas de amor criando um circuito que passa pelas diversas fases do sentimento – incluindo a sala do amor carnal, do fetiche, sexo, traição e autossabotagem. 


Enviado por: Redação

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline