Agenda para o fim de semana - BLOG

16/11/2018 - 20:00

Programe-se: agenda para o fim de semana

Estamos confusas. Esta semana, quarta foi sexta, quinta foi feriado e sexta é sexta mesmo?

Tá entediado, deprimido, de saco cheio, revoltado com nada? Faça como a Lady Gaga (brilhando nos cinemas com “Nasce uma estrela” ao lado de um dos homens mais lindos do mundo, Bradley Cooper): a cantora levou presentes a desabrigados na Califórnia, sofrendo com o incêndio. Ajude alguém de maneira anônima e sinta-se bem, além do fim de semana.   

Falando em cinema, é preciso lembrar a estreia de “O grande circo místico”, de Cacá Diegues: quem já viu diz que nunca vai esquecer! 

Você quer mais detalhes da vida do ex-governador mais falado do Rio? Acaba de ser lançado “Sérgio Cabral – o homem que queria ser rei”, de Hudson Corrêa (editora Primeira Pessoa). Leitura diurna, para não perder o sono.

Que mulher, em algum dia, não se sente incomível, principalmente depois de um fora do namorado-namorada? Qual? Uma boa saída, digamos assim, pode ser ligada à vaidade, depois de sacar uma lupa em frente ao espelho, achar-se linda e ter certeza que o outro é que é louco; outra é ir a umas comprinhas, aproveitando que, até terça, os shoppings podem estar vazios com o feriadão. 

Por falar em livros, o presidente eleito Jair Bolsonaro pode até pensar em abrir uma biblioteca de um livro só. Fazendo as contas, ele foi ao encontro de Michel Temer e ganhou um exemplar da Constituição Federal; foi ao Congresso, ganhou outro; encontrou-se com o ministro Dias Toffoli, presidente do STF, que mostrou o livro, indicando que o novo mandatário deve seguir as páginas da CF; Rosa Weber, a presidente do Tribunal Superior Eleitora, também o presenteou com a leitura em recente encontro. Que tal? 

Eita! O Morro da Urca vai tremer neste sábado (17/11), a partir das 21h, com a segunda edição do “#MECAUrca”. Vai ser até difícil enumerar as atrações: Elza Soares, o britânico Dan Shake e seu funk marcante, o jovem cantor paraense Jaloo, a cantora e artista multimídia Lia Paris, a festa feminista e performática Transpira, idealizada pelas atrizes Amanda Grimaldi e Camilla Molica;  o cantor Qinho e seus sucessos regravados de Marina Lima, além de DJs e muitas surpresinhas. Capricha no Engov porque vai até as 5h.

Festa dupla no MAM carioca: um ano do Candybloco e os iluminados do bloco Minha Luz é de Led – e ainda nem é carnaval -, neste sábado (17/11), a partir de 19h. 

Já estamos em meados de novembro, mas o Halloween ainda é tema de festa: “E eu que era Emo?” convida para uma noitada à fantasia, no Teatro Odisseia, no Centro, com muito emo, pop punk, hardcore e outras nostalgias no som: “Para usar franja, não parar de bater e sua fantasia não ficar no lugar”, diz o convite. Decoração temática, pirulito, adesivo, concurso de melhor fantasia e shots de catuaba. “Fez Enem este ano? Como você estudou muito, leve o comprovante do concurso e pague R$ 20 a noite toda”. 

Os “oitentistas” vão pirar: em dois shows completos na mesma noite, Blitz interpreta músicas do álbum “As aventuras da Blitz 2”, enquanto a banda Biquini Cavadão relembra sucessos como “Vento ventania”, “Quando eu te encontrar”, “Tédio” e “Quando um rio beija o mar”, neste sábado (17/11), na Ribalta, na Barra.  

Mas tem jazz também na voz de Lilian Valeska cantando sucessos da diva Billie Holiday, neste sábado (17/11), no Blue Note, na Lagoa, a partir das 22h30.

E também nessa pegada, o saxofonista Raul Mascarenhas se junta ao grupo Conexão Rio para um delicioso mix das músicas brasileira, americana e francesa, no clube Manouche, na Casa Camolese, neste sábado (17/11), às 21h. Participação especial de Marcelo Costa na bateria, músico  que acompanhou Caetano Veloso, Lulu Santos e Maria Betânia e atualmente em turnê com “Os tribalistas”, além de André Cechinel (piano), Fernando Barroso (baixo) e Fernando Clark (guitarra).

A Orquestra Tabajara, regida por Francisco Araújo, convida a cantora Zezé Motta para um show dançante no Teatro Rival Petrobras, neste sábado (17/11), às 19h30. 

“Mulheres na coleção MAR” – o nome da mostra já é pura poesia: são trabalhos de 150 mulheres brasileiras e estrangeiras, entre elas Tarsila do Amaral, Tomie Ohtake, Beatriz Milhazes, Güler Ates, Marie Nivouliès de Pierrefort, Abigail de Andrade e Louise Borgeois, no Museu de Arte do Rio, na Praça Mauá, com abertura nesta sexta-feira (16/11). A curadoria foi feita de maneira colaborativa, com a participação de 30 mulheres que trabalham no museu, como seguranças, recepcionistas, produtoras, auxiliares administrativas e advogadas.

O Instituto Moreira Salles, na Gávea, está com duas mostras para quem ama fotografia: “Letizia Battaglia: Palermo”, com 60 imagens; e “Seydou Keïta: A exposição”, com 130 imagens do fotógrafo maliano feitas entre 1948 e 1962.

Um espetáculo diferente, o “Art & Quartet” leva 25 bailarinos do Theatro Municipal ao palco para interpretar coreografias embaladas por Shostakovich, Villa-Lobos e um pout-pourri com músicas de Led Zeppelin, Eagles e Guns N’ Roses , tocadas pelo Quarteto Atlas, no Municipal, sábado e domingo (17 e 18/11), às 19h30 e às 11h30, respectivamente.

Em homenagem ao escritor português José Saramago, que faria 96 anos nesta sexta-feira (16/11): “O que as vitórias têm de mau é que não são definitivas. O que as derrotas têm de bom é que também não são definitivas” ou “A única maneira de liquidar o dragão é cortar-lhe a cabeça, aparar-lhe as unhas não serve de nada” ou “A literatura não muda o mundo, mas cada vez mais estou tendo razões para acreditar que a vida de uma pessoa pode ser transformada por um simples livro”. 

Ilustração: Edgar Moura


Enviado por: Lu Lacerda
16/11/2018 - 19:00

Claudia Melli: que “Revoada” é essa?

Claudia Melli: artista plástica leva 90 desenhos em nanquim sobre vidro para a Galeria Anita Schwartz, na Gávea, na mostra “Revoada”, a partir da próxima quinta-feira (22/11) /Foto: Tomas Rangel

Claudia Melli vai levar 90 desenhos em nanquim sobre vidro, para a Galeria Anita Schwartz, na Gávea, na mostra “Revoada”, a partir da próxima quinta-feira (22/11). Os novos trabalhos da artista plástica são inspirados na passagem do tempo e nos ciclos da natureza – a andorinha do ártico é a personagem principal. A ave é conhecida por fazer a maior migração entre todas as espécies de pássaros, ao sair da costa Ártica no fim do verão para a costa Antártica, onde passa o inverno para se alimentar, retornando na primavera. “O voo dessas aves numa mesma direção é a representação dos ciclos naturais que se repetem perfeitamente, a passagem das estações, o movimento das marés, o dia e a noite e a nossa respiração”, explica Melli.

Casada com o fotógrafo João de Orleans e Bragança, Claudia diz que seu trabalho sempre foi muito influenciado pela fotografia, e as trocas com o marido são constantes (como você vê, além de cama e mesa – rsrsrs): “Conversamos muito, quase nunca concordamos, mas é sempre enriquecedor o exercício de defender o seu ponto de vista e, às vezes, descobrir que o olhar do outro foi mais longe que o seu”. A artista também vai levar a instalação “Lugar de abrigo” para a “Monumental 2018 – A arte delas”, evento com curadoria de Marc Poltier, que ocupa os espaços ao ar livre da Marina da Glória, a partir de 26 de novembro. São três balanços pendurados em estrutura de ferro e correntes com assentos de madeira, que vão ficar em uma estrutura flutuante, na Baía de Guanabara.


Enviado por: Redação
16/11/2018 - 18:00

Marielle Franco: mãe da vereadora é personagem de série

Marielle Franco: vereadora assassinada no Rio é um dos temas da série “Sob Trançantes”, do Canal Futura /Foto: Reprodução

Marinete da Silva, mãe de Marielle Franco, vereadora assassinada no Rio, em março (crime até agora sem solução), é a personagem do primeiro episódio da série “Sob Traçantes”, do Canal Futura, a ser lançado na próxima terça-feira (20/11), no LapaCine. Ela vai estar assistindo com a plateia. Na tela, a vida de moradores de favelas e periferias contando como superam a violência. A série, produzida pela Jabuti Filmes, tem 13 episódios de 15 minutos, retratando o dia a dia de personagens cuja vida é ou foi atingida pela violência. Nos próximos episódios, também estão Luís Penca, ex-assaltante que se tornou cuidador de idosos; Júlio Barroso, o Julinho da Glória, que foi preso injustamente e condenado a 12 anos de prisão, cumpriu oito e hoje é produtor cultural; Renato Ferreira (Topetão), nascido em Vigário Geral, que, aos 14, era drogado, revoltado e armado, mas conseguiu mudar de vida, formou-se em palhaço e hoje produz espetáculos no Brasil e Europa. E assim vai… 


Enviado por: Redação
16/11/2018 - 16:00

Parque Lage: essas festas não deveriam sair de cena

Ney Matogrosso e Fabio Szwarcwald: mais uma noite beneficente no Parque Lage com ótima música e jantar de Pedro Artagão /Foto: Diana Sandes

As festas beneficentes do Parque Lage não deveriam nunca sair de cena – têm sido ótimas: cenário lindo, gente bacana, um clima assim quando-vai-ser-a-próxima? A próxima é na quarta-feira (21/11), com outro show de Ney Matogrosso, como aconteceu no encerramento da exposição “Queermuseu”. O diretor Fábio Szwarcwald quer dinheiro para a Escola de Artes Visuais. A renda com os ingressos (R$ 1.500 por pessoa) vai ser investida em debates,  seminários, melhoria nas salas de aula e, ainda, em bolsas de estudo para estudantes de baixa renda. Durante o evento, Fábio vai mostrar as conquistas deste ano, que foram muitas, mas ele precisa ser breve, ou fica com cara de Pessoa Jurídica – festa é festa. E o próximo capítulo é o jantar do Pedro Artagão; sem erros, portanto! Esse Ney é bem solidário – canta sem cachê! 


Enviado por: Lu Lacerda
16/11/2018 - 14:20

Edifício Lellis, em Copa: a “marcação” da discórdia

O Edifício Lellis, o mais antigo de Copacabana, conseguiu da Prefeitura o direito de duas vagas em frente à portaria para “embarque e desembarque” de passageiros. Vizinhos da redondeza acreditam que a vaga cativa é do Jaguar da terceira imagem acima /Fotos: Reprodução redes sociais

Os moradores de Copacabana ficaram intrigados com uma nova marcação no asfalto em frente ao Edifício Lellis, na Barão de Ipanema, desde essa quinta-feira (15/11), onde está escrito “embarque e desembarque” com cones reservando as vagas. É que o condomínio do prédio conseguiu da Prefeitura o direito a duas vagas exclusivas. “Moradores ou visitantes que vem com frequência agora têm vagas exclusivas para embarque e desembarque. Como nosso edifício tem muitos moradores idosos e com deficiência, além do alto fluxo de visitantes com estas características, conseguimos este espaço para facilitar entregas, visitas e mesmo a aproximação de táxis, assim como um ponto de espera para carros com chofer. Agradecimentos às autoridades municipais”, diz o texto publicado no Facebook do Lellis, o mais antigo da Avenida Atlântica, construído em 1928, com apenas 18 apartamentos.

Mas mesmo assim, alguns moradores da redondeza estão inconformados, já que frequentemente postam fotos de um Jaguar ocupando o espaço. Segundo um dos porteiros, que não quis se identificar, o carro fica parado sempre com o pisca-alerta ligado e com o motorista à espera de um dos moradores. E também tem gente achando que as abreviações “Emb.” e “Desemb.” significam “embaixador” e “desembargador”. Que tal?


Enviado por: Redação
16/11/2018 - 13:20

“O que é que ele tem?”, de Olivia Byington, vira peça

João Byington, Louise Cardoso e Olivia Byington /Foto: Cristina Granato

Renata Mizrahi, Fernando Philbert e Natália do Vale /Foto: Cristina Granato

Diogo Vilela, Analu Prestes , Gilberto Gawronski e Clarice Derzié Luz /Foto: Cristina Granato

Dedina Bernadelli e Daniel filho /Foto: Cristina Granato

Rose Verçosa, Alessandra Reis e Marcia Rubim /Foto: Cristina Granato 

A cantora, violinista e escritora Olivia Byington tinha apenas 22 anos quando percebeu que havia algo errado durante o parto do seu primeiro filho, João. Ele era portador da rara Síndrome de Apert, mutação genética que gera anormalidade no desenvolvimento do crânio, das mãos e dos pés. Ela conseguiu transformar o choque em aprendizado e a história — publicada no livro “O que é que ele tem?”, há dois anos — ganhou os palcos e estreou no Teatro Sesi Firjan, no Centro, nessa quinta-feira (15/11), em monólogo encenado por Louise Cardoso, sob direção de Fernando Philbert e dramaturgia de Renata Mizrahi.

“Eu já estava planejando fazer outro espetáculo e comecei a ler o livro da Olivia por indicação do (dramaturgo) Flávio Marinho. Antes mesmo de terminar, já tinha mudado de ideia e queria encenar aquela história de superação, de amor, que nos faz refletir sobre conviver em sociedade e lidar com as diferenças”, diz a atriz, que completa 42 anos de carreira e também assumiu a produção da peça. Em cena, músicas da cantora embalam o texto com cenários de Natália Lana e projeções de desenhos feitos por Olivia para o livro. 


Enviado por: Redação
16/11/2018 - 12:20

Diego Cosac: aniversário em clima dos anos 70

Narcisa Tamborindeguy e Diego Cosac /Foto: Marco Rodrigues

Alice Tamborideguy e Horácio Ernani – Rawlson de Thuin e Marjorie Arias /Fotos: Marco Rodrigues

Thamires Fernandes e Guga Studart – Mariano Marcondes Ferraz e Lourdes Catão /Fotos: Marco Rodrigues

Daniela Dondo, Pedro Henrique de Sousa e Raquel Rezende /Foto: Marco Rodrigues

Ana de Paula, Renato Santana e Alicinha Silveira /Foto: Marco Rodrigues

Myriam Gagliardi e Madeleine Saade /Foto: Marco Rodrigues

O empresário Diego Cosac comemorou aniversário nessa quinta-feira (15/11) de feriadão com cara de fim de semana, no apartamento dos pais, no Leme. A mistura de gerações deu o tom da noite e, para agradar a todos, o DJ Vitor Medina mandou ver no som da década de 70.   


Enviado por: Redação
16/11/2018 - 11:00

Teatro, por Claudia Chaves: “As Brasas”

Amizades fortes ultrapassam tudo. Um laço que não se desfaz. A distância, o tempo aumentam o afeto, mesmo com a ausência. E a alegria do reencontro. Continuar de onde se parou. Retomar. Mas e as diferenças, o que se perdeu de convívio? É essa dicotomia que está em “As Brasas, a partir da  consagrada obra do escritor húngaro Sándor Márai.

As Brasas marca a estreia da consagrada autora de novelas Duca Rachid – autora conhecida por diversos sucessos na televisão brasileira – na dramaturgia teatral. Participam do texto Julio Fisher e do também  diretor da montagem Pedro BrícioHerson Capri e Genézio de Barros vivem, respectivamente, Henrik e Konrad, protagonistas de uma história visceral de amor e amizade, marcada pelo rancor e o ressentimento.

Idealizador da montagem,  o ator e produtor Felipe Lima já conhecia a obra de Márai quando foi convidado por Duca para participar do projeto e ficou encantado com a ideia de transpor para os palcos a história de Henrik e Konrad. “É uma história que fala de algo muito forte na minha vida: a relação de amor e de amizade. Por isso, esse livro me toca profundamente”.

É no balanço do que viveram, do que os separam, do que ficou, do que falta pontuado pela trilha musical Marcelo Alonso Neves e interpretada com doçura pela violoncelista Nana Carneiro da Cunha, que os embates vão crescendo, se acirrando, duelos imaginários que se transformam em choque real. As belas interpretações  de Herson e Genézio dão o tom que a vida  mesmo que partida é vida que segue, apesar de tudo. 

SERVIÇO
Teatro das Artes
Quartas e Quintas às 20h
Sexta às 21h

Fotos: Caio Galluci


Enviado por: Redação
15/11/2018 - 18:00

Gato Rubinho: campanha para ajudar creche em Copacabana

Gato Rubinho, ilustre morador do Shopping dos Antiquários, em Copa, através de moradores e vizinhos, começou uma campanha para o padre Enrico Arrigoni, da Paróquia Santa Cruz, com cartaz de doação para a Creche Cantinho da Natureza, numa caixa instalada na loja onde fica (Arte Palha)/Fotos: Reprodução

O gato Rubinho, ilustre morador do Shopping dos Antiquários, em Copacabana (na loja Arte Palha, de Pedro Duarte Correia), em nome dos vizinhos e moradores do bairro, começou uma campanha para arrecadar doações para o padre Enrico Arrigoni, da Paróquia Santa Cruz. É que o pároco, através das obras sociais da igreja, ajuda as 150 crianças da Creche Cantinho da Natureza, também em Copa, e desde que a administração do shopping  derrubou a churrasqueira, retirou 50 mesas e cadeiras, além da estrela de Natal – segundo o padre, “sem nos comunicar ou com qualquer justificativa” – ele ficou sem espaço para fazer quermesses, almoços e lanches para conseguir donativos. “Somos uma creche particular, mas temos uma parceria com a prefeitura; 70% do dinheiro dos pagamentos vêm de lá e não estamos recebendo esse repasse, com isso corremos o risco de fechar”, diz Enrico, há 24 na paróquia. A propósito, o Rubinho também sofreu com a administração do shopping, que o impediu de circular pelos corredores em meados de julho. Os moradores se mobilizaram e o caso foi parar na Justiça – e ele ganhou o direito de ir e vir.


Enviado por: Redação
15/11/2018 - 15:30

Azealia Banks: rapper americana cancela show em Fortaleza

Azealia Banks: rapper americana cancela show em Fortaleza e culpa produção /Fotos: Reprodução redes sociais

Depois de se apresentar no Rio, no último dia 10, a rapper americana Azealia Banks cancelou o show em Fortaleza, na noite dessa quarta-feira (14/11), no Festival Pisa Menos, no Marina Park Hotel, para revolta dos fãs. Segundo ela, a culpa seria da produção do festival, em que também cantaram Pabllo Vittar e Kaya Conky. O produtor, no entanto, acusa Azealia de ter não ter subido ao palco por não querer se apresentar antes de Pabllo. “Nós da Planner Eventos nos isentamos da culpa pela ausência da cantora Azealia Banks (avisada pela produção da mesma em cima da hora). A artista, além de fazer exigências fora da nossa realidade, não aceitou que Pabllo vittar, se apresentasse antes dela, uma vez que a maioria do público presente estava lá para ver a Pabllo”, diz o comunicado da produtora.

Desde que chegou ao Brasil, a cantora posta fotos dos lugares por onde passa e frases em português, fazendo declarações de amor ao País, e chegou a publicar que a desistência acontecera “inesperadamente”, prometendo retornar em breve à capital cearense. “O promotor tratou minha equipe de maneira não profissional. Eles tentaram mudar meu hotel, não alugaram nenhum dos equipamentos que eu precisava para fazer e continuaram cortando os elementos de produção do meu set”, escreveu ela para, minutos depois, apagar a mensagem. Ainda nas redes sociais, ela avisou que sua agenda continua como planejada, com shows nesta quinta-feira (15/11), em Recife, e no dia seguinte, em São Paulo. 


Enviado por: Redação
Página 2 de 2.93512345102030Última »