Oito perguntas para Luiz Alfredo Taunay, candidato à presidência do Jockey: “O prestígio de todos anda meio abalado, mas vamos recuperar nosso clube”

No dia 20 de setembro, publicamos entrevista com um dos candidatos à presidência do Jockey Clube Brasileiro, na Gávea, o empresário Raul Lima Neto, único concorrente do advogado Luiz Alfredo Taunay, há 12 anos, no cargo. São as primeiras eleições híbridas do tradicional clube — com votos dos mais de quatro mil sócios, nesta quinta (15/10), através…

Opinião, por Eduardo Affonso: ovos estrelados

“Uns tomam éter, outros cocaína. Eu já tomei tristeza, hoje tomo alegria”, escreveu o Manuel Bandeira. Eu já tomei religião. Hoje tomo etimologia. Nos tempos de tomar religião — já lá se vão quase cinco décadas! — me encantava o milagre de a galinha ser subitamente tomada por uma febre (que ela, coitada, interpretava como instinto maternal),…

De próprio punho, por Milton Cunha (carnavalesco): “Aquela gente sem dinheiro, mas cheia de outras coisas que o dinheiro não compra”

Eu queria estudar a arte popular do carnaval e cheguei ao conceito de carnavalização do mundo segundo Mikhail Bakhtin (filósofo russo), uma voz da praça pública não oficial. Sufocado pela voz oficial, a voz hegemônica, fui estudá-la. Cheguei aos conceitos de vozes da “Modernidade Sólida X Modernidade Líquida”, que me levaram ao estudo da “Hipermodernidade e da…

Leilão dos objetos de Lourdes Catão: existe uma certa — como dizer? — excitação social no ar

Tem no ar — como dizer? — uma certa excitação social para o leilão de objetos que pertenceram à decoradora Lourdes Catão, que morreu de Covid-19. Era como se o seu apartamento no edifício Biarritz, no Flamengo, onde morava, tivesse sido transferido para a leiloeira Soraia Cals, na Avenida Atlântica, 1.130. Tudo está aberto para visitação, neste fim…

Regina Martelli: a estética anda desprezada na pandemia?

Numa ida à cardiologista, em  Ipanema, a consultora de moda Regina Martelli não conseguiu tirar o olhar da enorme raiz branca da médica, que, percebendo, justificou-se: “Agora, com a pandemia, me sinto uma mulher livre — mudei muito, desde então”.  A cena não passou indiferente à Regina, que, desapontada, respondeu: “Ao contrário de você, quero morrer acorrentada num tubo…