Comunicação Não Violenta, por Marie Bendelac: “Casa Gucci” — como saber se você está lidando com uma pessoa psicopata?

Depois de dois anos sem ir ao cinema, por causa da pandemia, fui assistir ao filme “Casa Gucci” (“House of Gucci”). Inspirada em fatos reais, essa superprodução de Hollywood retrata a história da família Gucci nas décadas de 80 e 90. Os protagonistas, Lady Gaga e Adam Driver, interpretam, respectivamente, Maurizio Gucci e Patrizia Reggiani.…

Dez perguntas para Isabel Diegues (sobre o documentário da vida de Nara Leão, sua mãe): “Não temos o costume de celebrar nossas próprias riquezas”

Vendo “O canto livre de Nara Leão”, sobre a vida da cantora, a gente pode imaginar, sentir, sorrir, chorar e até fazer o tempo voltar, quando o Rio parecia ser uma cidade tão doce. Nos cinco episódios, vemos a carreira da “Musa da Bossa Nova”, que, na verdade, foi muito além disso, trazendo em si uma personalidade surpreendente:…

Opinião, por Eduardo Affonso: Listas, melhor não fazê-las

Há uma série de motivos para não se fazer listas: Toda lista é incompleta. Por mais que você acrescente tópicos, virá alguém dizendo que falta alguma coisa. Esta lista poderia continuar indefinidamente, mas isso não anularia os dois primeiros itens – então paro por aqui. Experimente postar “10 filmes inesquecíveis” no seu perfil no FB.…

Meio Ambiente, por Mario Moscatelli: “Precisamos sair da nossa zona de conforto suicida, atuando a cada eleição, a cada compra no supermercado”

Faz algum tempo que não tenho a menor dúvida de que representamos a maior ameaça para a biodiversidade do planeta Terra. Até o momento, apesar de estarmos bem no início das pesquisas em busca de formas de vida extraterrenas, oficialmente, não temos ainda a tão esperada e particularmente óbvia conclusão de que nunca estivemos sós.…

Opinião, por Ivanir dos Santos (babalaô), sobre o Dia de Combate à Intolerância Religiosa (21/01): “Ainda vivemos num país que minimiza os casos de intolerância religiosa e de racismo”

Não quero aqui fazer nenhum tipo de proselitismo religioso, mas preciso pontuar que para nós, adeptos das religiões de matrizes africanas, assumir as nossas confissões religiosas em público é um ato político e de resistência cotidiana. Por isso, em memória da Yalorixá Gildásia dos Santos, carinhosamente conhecida como Mãe Gilda de Ogum, morta em 21…