De próprio punho, por Alessandra Colasanti — gravidez aos 45: “Onde estão essas mulheres? Onde estariam os meus espelhos?”

Eu sempre quis e não quis ser mãe. Entre medos, desejos, fantasias e incertezas, o tempo foi passando. Não faltaram oportunidades, mas me sentia em dúvida se seria uma vontade individual ou uma pressão social. E o tempo ia passando. Enquanto eu ponderava, ele gotejava. Crédula, dizia para mim mesma: “Ainda temos tempo”. Contrariando todas as…