Teatro, por Claudia Chaves: À Beira do Abismo me Cresceram Asas

Duas mulheres velhas, totalmente solitárias, fechadas em um quarto e em seus próprios segredos. Esse é o eixo da peça “À Beira do Abismo me Cresceram Asas”, de Maitê Proença (baseado em pesquisa e ideia de Fernando Duarte), dirigido por Clarice Niskier e Maitê Proença, com supervisão de Amir Haddad. As histórias apresentadas, os conflitos, os casos, as piadas, as tristezas…