Opinião, por Eduardo Affonso: Fantasias pluviais

Moro no Rio há 22 anos. Desde 1998, a mesma ideia me ocorre, e fica ressoando, como um mantra: por que não criam, nesta cidade, um órgão para cuidar do trânsito? Poderia se chamar, sei lá, Departamento de Trânsito, e ter uma sigla do tipo DET, Detran, Detrans (gosto mais de Detrans). Esse Detrans serviria…

“O pior de mim”: sucesso no online durante a pandemia, Maitê Proença, agora ao vivo, no Teatro Prudential

Os dramas familiares da vida de Maitê Proença nunca fizeram dela aquela mulher vitimada, com humor no fundo do poço. Jamais. Talvez Maitê seja um grande exemplo dentre alguns bem conhecidos, que transformam dor em arte. Maitê reflete sobre como sua história familiar repercutiu na vida profissional, e tudo que precisou fazer para se libertar. Você não lembra as…

De Próprio Punho, por Ivan Proença: “Cassado como militar e cassado como professor, foi assim que resolvi criar a OLIP” (oficina literária mais antiga do Brasil, fazendo 50 anos)

Eu era oficial (capitão) do Regimento de Guarda Presidencial em 1964. No 1º de abril, dia do Golpe, não aderi. A seguir, fui preso, isolado, cassado e perseguido por 20 anos. Na minha nova carreira, professor, também fui cassado: eu e minha mulher, a professora Isis Maria Balter Proença, cassados e proibidos de prestar concurso…

Opinião, por Nilton Bonder (rabino): “Risco, Cura, Alegria, Sexo, Afeto, Poder e Ritmo, saí em busca do epicentro de cada um desses tópicos”

Saindo agora o 5º livro da heptalogia (sete livros!), que me propus escrever dois meses antes da pandemia. De arroubo à terapia ocupacional por conta dos lockdowns que se seguiram, este quinto livro e o sexto (por sair), estão prontos! Na verdade, a aventura começa com o desafio de Matthias Varga, o pai europeu das…