Opinião, por Eduardo Affonso: Quando eu crescer…

O filósofo e escritor Luiz Felipe Pondé disse uma vez que, quando crescesse, queria ser Paulo Francis. Elis Regina um dia quis ser Ângela Maria. Roberto Carlos andou querendo, lá nos primórdios, ser João Gilberto. O Destino, entretanto, costuma ter outros planos e nos deixa crescendo ao léu, e nos tornando nós mesmos. Eu quis…

Suspiro forte quase dá em briga em Ipanema

Quase deu em briga, na tarde desta terça (08/06), a entrada de um homem do elevador do Ipanema 2000, prédio principalmente de médicos, soltando um suspiro profundo. Jornalista embarcada não gostou e pediu autocontrole com a respiração intensa, pela covid-10 aí no calcanhar de todo mundo: “Respiro quando, onde e com a força que eu quiser”,…

Sobre o livro autobiográfico deixado por Camilla Amado, cuja mãe foi torturada na Ditadura

Sobre o livro autobiográfico que a artista Camilla Amado, que morreu nesse domingo (06/06), deixou  nas mãos do editor José Mário Pereira, da Topbooks: há tempos, Camilla considerava esse livro pronto, mas sempre adiava a publicação, apesar de esse ser seu grande desejo, principalmente pelas histórias ali contidas com pessoas, principalmente artistas, em sua maioria,…

De Próprio Punho, por Maria Vasco (poeta e artista plástica): “Sou artista de antes, durante e, se sobreviver, de depois da pandemia” 

Faço sempre alguma coisa errada. Tento me acertar mesmo que desencontrada. Sou artista de antes, durante e, se sobreviver, de depois da pandemia. Sou artista de todo dia. Ah, como podemos estar, como estou depois de um ano e meio de desamparo, de estupor por tanta dor causada por uma pandemia, o despreparo e o…

Opinião, por Raphaella Bahia (micropigmentadora): “Com a pandemia, pude entender como contribuo para a autoestima das pessoas; agora, o que nos resta é o olhar”

Quando exercemos uma profissão há muito tempo, acabamos esquecendo a sua real importância. Com a pandemia, pude entender como contribuo para a autoestima das pessoas, mais ainda agora, com nariz e lábios cobertos. O que nos resta, é o olhar, nosso pedacinho de ousadia, composto pelos olhos e sobrancelhas. Estamos experimentando um pouco de como algumas mulheres árabes…