De próprio punho, por Renata Vázquez (escritora e bruxa): “Há muitas bruxas se reconhecendo em 2020. Viramos tendência de hashtags”

Há muitas bruxas se reconhecendo em 2020. Viramos tendência de hashtags, mas, na essência, percorremos longa via para que o sagrado feminino possa ser agora um tema abordado pelo senso comum. E mesmo o mais católico, quando acende uma vela com alguma  intenção na Lua Nova, está, na verdade, honrando a magia ancestral.  A fogueira…

Opinião, por Gilberto Ururahy (especialista em Medicina Preventiva): “As doenças crônicas tendem a ser a nova pandemia dentro da pandemia” 

Com o surgimento da Covid-19, de uma hora para outra, as pessoas ficaram confinadas em suas casas, tornaram-se sedentárias e passaram a se alimentar mais e pior, além de beber mais. As doenças crônicas começam a emergir. Se a pandemia gerada pelo novo coronavírus matou mais de 1 milhão de pessoas no mundo até esse…

Os músicos Nilson Chaves e Felipe Cerquize lançam o álbum “O Silêncio do Infinito”, na quinta (05/11), às 19h, no Facebook (/nilsonchavesoficial). Nilson é legítimo representante da música amazônica e Felipe é um requisitado compositor carioca, com mais de 500 parcerias com nomes como Antonio Adolfo, George Israel, Philippe Baden Powell, Roberto Menescal, entre outros.

A artista plástica Pietrina Checcacci, que completa 60 anos de carreira, inaugura a mostra “Pietrina Checcacci — 60 anos de Arte”, na terça (03/11), no Centro Cultural Correios, no Centro. São 100 trabalhos entre pinturas, desenhos, esculturas, aquarelas e serigrafias, além de trabalhos inéditos feitos especialmente para a exposição. A curadoria é de Carlos Bertão e Alê Teixeira.

Teatro, por Claudia Chaves: “Helena Blavatsky, a voz do silêncio” — Um grito que vem da interioridade

Em nossa sociedade, as pessoas vivem, feito  baratas tontas, procurando encontrar sua verdadeira essência. A procura  em religiões, seitas, rituais, princípios filosóficos, dietas, caminhos, relacionamentos nem sempre produz qualquer resultado. A angústia aumenta, diminui, mas nem sempre se resolve. E  podemos imaginar como é interessante, a trajetória de uma mulher, que, há 150 anos,  procura…

“O preconceito racial, os embates do feminismo, a obsessão pelas aparências, a superficialidade das relações e a desigualdade social caracterizam a contemporaneidade, para além da pandemia. Essas questões, contudo, já eram assuntos palpitantes há um século”. 

Da historiadora Marissa Gorberg, que acaba de lançar o livro “Belmonte: caricatura dos anos 1920” (Editora Fundação Getúlio Vargas), finalista do Prêmio Jabuti 2020, na categoria de Ciências Humanas.