foto-92

Anton Tchekhov, um dos maiores escritores da história do Teatro, contava histórias pesadas. Famílias que se desintegram junto com um status quo da Rússia czarista que se decompunha. Carreiras fracassadas, artistas com um certo talento juvenil que não vão adiante. Em A Gaivota, sua peça que resume toda a sua temática acaba em morta. Em A Produtora e A Gaivota, espetáculo no Teatro Candido Mendes, apesar de inspirada em A Gaivota, o que acontece é outra temática.

Na comédia escrita e interpretada por Jefferson Schroeder, a produtora Meire se encontra sozinha com a plateia, pois o elenco da Gaivota está preso e não consegue chegar ao teatro. Jefferson, dirigido com muito acerto por João Fonseca, vai desfiando as mazelas do cotidiano difícil de se produzir teatro no Brasil.

“Espero que as pessoas se divirtam, riam, enquanto pensam naturalmente sobre a importância, aparentemente subjetiva, da arte, do teatro. Que pensem nos sonhos seguidos e nos deixados para trás, no poder evolutivo do amor infinito pelos filhos, pais, trabalho, e no quanto somos felizes quando podemos voar nossas gaivotas”, destaca o ator e autor Jefferson Schroeder.

Enquanto tem esperanças de o elenco chegar, Meire mistura o profissional com o particular, resolve problemas com a filha, reclama da profissão que não gosta. Mas não se lamenta. Apenas de forma cândida e com o fino humor dos resignados mostra a que veio a metáfora, importante no momento em que vivemos: Brasileiro, profissão esperança.

Serviço:
Teatro Candido Mendes
Terças, Quartas e Quintas às 20h

tarja-claudiachaves

Serviço:

Teatro Cândido Mendes

Terças, Quartas e Quintas às 20h

Share
Enviado por: Redação

Os comentários estão fechados.