Foto de:

Patricia Kogut nunca imaginou que, durante o lançamento de “101 atrações de TV que sintonizaram o Brasil”, uma retrospectiva da história da televisão no Brasil, nenhuma das tramas ali contadas seria tão inverossímil quanto a que acontecia na Operação Lava-Jato: um verdadeiro apocalipse no País, com o acordo de delação premiada de Joesley Batista, dono do grupo JBS, que grampeou o presidente Michel Temer e o senador Aécio Neves, com malas e mochilas de dinheiro rastreadas.

No mais, para Patricia foram muitas “queridices” a noite toda. E nada de só coleguinhas, de jeito nenhum! – os perfis mais variados foram pegar seu autógrafo. O número de pessoas era tal, que, a certa hora, algumas delas miraram o começo, meio e fim da fila, saíram, jantaram ou foram ao cinema – depois voltaram a tempo. Meia Rede Globo passou por lá: num vaivém de atores, diretores, produtores, apresentadores, humoristas, autores e os mais variados perfis. O livro, com seleção das 101 atrações feita também pela jornalista Mànya Millen (não temos imagem dela), é da Estação Brasil, selo da Editora Sextante. Veja fotos na Galeria.

Share
Enviado por: Lu Lacerda

1 comentário para "Patricia Kogut: o livro, a fila, a realidade, a ficção e as “queridices”"

  1. 18/05/2017 - 15:34 Enviado por: Lídia Monteiro

    Um escândalo do naipe Temer-Aécio só pode ser “inverossímil” quando seus protagonistas têm certeza da impunidade. Num país que pretende ser passado a limpo, a impunidade é inadmissível. É preciso mais responsabilidade ao escrever notinhas como essa.

Deixe um comentário