caio-blat-a

caio-blat-b

“Grande Sertão: veredas”: na primeira foto, Bia Lessa ao lado de Luisa Arraes, Caio Blat, Cláudia Abreu e parte da equipe e elenco da peça; na segunda, os corpos sem cabeças dos jagunços /Fotos: Reprodução Instagram

Entre as centenas de manifestações pela morte da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes, a equipe e elenco – Caio Blat, Cláudia Abreu e Luisa Arraes – da peça “Grande Sertão: veredas”, baseado no livro de Guimarães Rosa sob a direção de Bia Lessa, fizeram um ensaio em praça pública, nesta quinta-feira (15/04), na parte externa do CCBB, no Centro do Rio. O exército de jagunços sem cabeça que compõe a instalação (60 bonecos de feltro em tamanho humano) foi levado para a rua e ficará exposto em vigília. “Os atores farão sua rotina de ensaio em praça pública. Além disso, nomes de assassinados por causas políticas, como indica ser o caso de Marielle, e de vítimas de ações policiais da cidade do Rio serão fixados nas cadeiras do teatro no espetáculo de hoje (15/03)”, diz o comunicado.

Entre os nomes, Paulo Sérgio Almeida Nascimento, líder comunitário do Pará, morto em 13 de março; Márcio Oliveira Matos, líder do MST na Bahia, assassinado em 26 de janeiro; Leandro Altenir Ribeiro Ribas, líder comunitário no RS, morto em 19 de janeiro; Jefferson Marcelo, líder comunitário no Rio, assassinado em 4 de janeiro; Luís César Santiago da Silva (“cabeça do povo”), líder sindical no Ceará, morto em 15 de abril do ano passado; entre tantos.

Share
Enviado por: Redação

Os comentários estão fechados.