FotoRio: Milton Guran, fotógrafo e coordenador geral diz que não tem esperança de captação pelas leis de incentivo cultural /Foto: Mirian Fichtner

FotoRio: Milton Guran, fotógrafo e coordenador geral diz que não tem esperança de captação pelas leis de incentivo cultural /Foto: Mirian Fichtner

A crise no Estado afetou mais um evento cultural na cidade, o “FotoRio – Encontro Internacional de Fotografia do Rio de Janeiro”, que acontecia desde 2003. “Neste ano, fizemos um grande esforço para o festival acontecer – praticamente todas as exposições foram bancadas pelos próprios fotógrafos, tudo na base do trabalho voluntário, na raça. Não nos afundamos porque fizemos um crowdfunding”, diz o fotógrafo e antropólogo Milton Guran, coordenador-geral do projeto, que tinha apoio da Prefeitura e da Secretaria Municipal de Cultura até 2016. Este ano, o evento aconteceu entre 18 de maio e 2 de julho, no Centro Cultural da Justiça Federal, Centro Cultural dos Correios, entre outros.

“Temos uma administração municipal que, além de não pagar o edital para os projetos de 2017, reduziu para R$ 8 mil o valor para projetos no próximo ano. Os centros culturais municipais estão à míngua. E o prefeito Marcelo Crivella, pessoalmente, desautorizou e censurou pelas redes sociais o Museu de Arte do Rio. Não temos nenhuma esperança de captação pelas Leis de Incentivo Cultural”, desabafou Milton. O FotoRio é reconhecido como um dos mais importantes eventos de fotografia no País, reunindo exposições de grandes nomes, além de revelar jovens talentos. “Esperamos que, em 2019, a gente possa voltar com nosso festival, que, em dez edições, abrigou 1.030 exposições, projeções, debates, mesas-redondas, palestras, oficinais e outros eventos, com a participação de mais de 500 profissionais.”

Share
Enviado por: Redação

Deixe um comentário