BLOG - EM CASA, por Marcia Müller

25/06/2013 - 18:30

Em casa, por Marcia Müller: Colorir a casa!

Colorir sempre foi para nós, desde crianças, uma tarefa divertida e alegre. Também é assim quando colorimos uma casa! A princípio, quando se fala em colorir a casa, podemos até pensar em algo infantil ou, até mesmo, exagerado. Porém saiba que, com certeza, uma casa colorida é uma casa alegre. Pode ser até bem discreta e elegante e, ao mesmo tempo, cheia de cor.

Aqui, no nosso país tropical, com o tórrido verão escaldante, determinadas cores ajudam a fazer essa temperatura subir… Socorro!!! Por isso, é muito importante quando se colore uma casa e tem-se noção da sensação que as cores provocam e, é claro, do equilíbrio e elegância em usá-las. Gosto muito de colorir uma casa: nas cortinas, em uma parede, na marcenaria, num poltrona ou sofá… Na hora de usar a cor, o importante é não ultrapassar um limite!

Cores quentes, em lugares como quarto, eu não aconselho, e cores frias, em lugares como cozinha, eu também não gosto. Nos meus projetos, sempre procuro usar a cor apesar de amar materiais neutros e primários, por exemplo, linho, couro e algodão. Acho que a cor sempre traz um ingrediente importante para nossa casa – “a alegria” – e a lembrança de que vivemos num país tropical colorido e luminoso!!!

Mostro dois projetos feitos por mim. Em um, cortinas pintadas pela Mucki deram a cor que desejei para o espaço; no outro, um grande quadro de listras multicoloridas, pintado também pela Mucki, alegra a sala.


Enviado por: Redação
18/06/2013 - 19:30

Em casa, por Marcia Müller: Ainda no inverno…

O acabamento dessa lareira, no encontro com a parede, é de ferro para que o calor do fogo não fique em contato com a madeira do revestimento.

Uma bancada de concreto segue na horizontal, duas chaises na lateral. A coifa ou chaminé fica suspensa; atrás, em uma parede curva, fica o parador para as lenhas

Mesmo ainda que não tão frio assim, sentar em frente à lareira e ver o fogo aceso … Como isso é bom!! Reunir amigos em volta, tomar um vinho, tudo isso combina muito com estar feliz em casa.

A imagem da lareira acesa imediatamente nos faz lembrar de como é bom ficar em casa num dia frio, com os amigos, ou mesmo com um bom livro . Lareira complementa, aquece, agrega, e é também um excelente antimofo natural. Para as nossas casas tropicais e o nosso clima úmido, recomendo uma sempre que posso .

Projetar uma lareira requer, antes de tudo, uma técnica precisa. Aberturas e angulações, altura correta da chaminé – itens superimportantes para que a fumaça não retorne – materiais térmicos e antifogo por motivos óbvios! Mexer com fogo é bem sério; em casa então nem se fala!!

Das duas lareiras que projetei, uma é bem moderna. Uma bancada de concreto segue na horizontal, duas chaises na lateral. A coifa ou chaminé fica suspensa; atrás, em uma parede curva, fica o parador para as lenhas. Eu gosto muito de ver as lenhas de topo, uma visão que possibilita ver o nó das madeiras naturais. Amo madeira e, por isso, valorizo tudo que envolve madeira, e, nesse caso, ver as madeiras assim parece uma escultura.

Na outra mais clássica, o revestimento da parede em madeira de demolição com policromia (madeira vinda de um teto de fazenda antiga demolida) dá o diferencial à lareira. O acabamento dessa lareira, no encontro com a parede, é de ferro para que o calor do fogo não fique em contato com a madeira do revestimento.

Existem lareiras prontas em ferro para serem revestidas, já quase prontas, mas ,ainda assim, o olhar do arquiteto faz toda a diferença na composição no ambiente e no estilo. Nada, porém, se compara à sua forma pessoal e intransferível de usar e abusar desse elemento tão lúdico e confortável nesses dias de inverno tropical …


Enviado por: Redação
11/06/2013 - 19:00

Em casa, por Marcia Müller: Jantando em casa

"Poder jantar com a natureza do seu lado é um prazer e um privilégio. Nesse caso, iluminação é tudo, pois o resto, a natureza se encarrega"

"Arrumação da mesa do craque Ovidio Cavalleiro, sempre elegante, usando folhas naturais como jogo americano – o azul traz alegria e luz para os móveis clássicos"

" Jantar é estar acompanhado de obras de artes; não dá pra se sentir sozinho"

Jantar fora é supergostoso, mas jantar em casa, quando tudo está conspirando para seu conforto e bem-estar, é um show! Sala de jantar sempre foi, através da história da casa, um lugar importante. A alma da casa está lá!

A maneira como você utiliza a sala de jantar reflete o seu modo de viver a casa. Atualmente, com a casa multifuncional, sala de jantar não precisa ser um lugar reservado, isolado, um espaço específico, mas um lugar que seja relacionado com o seu estilo de vida.

Adoro sala de jantar, da clássica à moderna – integrada à cozinha ou, mesmo, ao escritório, como nos lofts. O importante é que seja muito usada – isso faz toda diferença. Por isso, nós, arquitetos precisamos entender o estilo do vida do cliente para que essa sala seja realmente usada. Sala de jantar tem que ser alegre, iluminada e, de preferência, superventilada; aliás, não ha nada melhor que ventilação!

Mostro três salas projetadas por mim, em diferentes situações. Uma, com quadros lindos – jantar é estar acompanhado de obras de artes; não dá pra se sentir sozinho… Olhar para as paredes já aquece o coração! A outra é uma sala de jantar externa. Poder jantar com a natureza do seu lado é um prazer e um privilégio. Nesse caso, iluminação é tudo, pois o resto, a natureza se encarrega. Mostro também uma bem clássica, arrumação da mesa do craque Ovidio Cavalleiro, sempre elegante, usando folhas naturais como jogo americano – o azul traz alegria e luz para os móveis clássicos.

Jantar em casa pode ser o melhor programa do mundo , principalmente se sua sala de jantar for convidativa. E, pra você, um prazer estar lá !!!


Enviado por: Redação
04/06/2013 - 19:00

Em casa, por Marcia Müller: Sauna tropical

Mesmo que o nosso inverno dure apenas alguns dias, ainda assim, a sauna faz o maior sucesso em todas as casas. Raras são as pessoas que não gostam…

Mas ela tem que ser tropicalizada e, para isso, algumas soluções podem ser adotadas. Neste projeto em Angra, coloquei  a sauna toda de vidro, voltada para a piscina e  o mar.

O revestimento da piscina também é o mesmo da sauna: cerâmica jatobá azul-piscina. Com isso, ela fica menos claustrofóbica, e mais leve com a continuidade  da cor da piscina.

Mesmo quando a sauna é de madeira, por ser seca, as aberturas são sempre muito charmosas. No Brasil, vemos o mar como natureza, enquanto, nos países onde a sauna foi inventada, a neve etc…

Agora, com certeza, mesmo que o nosso inverno seja de poucos dias chuvosos e úmidos, sauna cai sempre muito bem. Fazer sauna no Brasil é bem diferente de fazer sauna na Suécia … Entretanto, é igualmente bom e relaxante!


Enviado por: Redação
28/05/2013 - 19:30

Em casa, por Marcia Müller: Uma boa noite de sono…

Uma boa noite de sono – só essa frase já faz a gente se sentir melhor…
Dormir bem é tudo !

Nos meus projetos, quando termino um quarto, gosto de mostrar ao cliente todos os luxos e a novas tecnologias a favor do sono: camas com colchão que fazem massagem (Colunex), camas separadas mas juntas, camas com sistemas de inclinação de vários ângulos, colchões feitos sob medida e para o seu peso e tamanho … uma infinita quantidade de itens para lhe trazer todo o conforto nesse momento tão especial!! E travesseiros feitos com materiais que não deformam e que não têm mofo, que são anatomicamente recomendáveis para o conforto da coluna…

Costumo ficar algum tempo elaborando o quarto num projeto, pois sei a importância desse incrível espaço vital para o cliente.
Além do conforto visual, o físico é superimportante!!!
Mostro três camas que fiz, e as três, apesar dos diferentes estilos, buscam o mesmo bem- estar.
O denominador comum são os maravilhosos lençóis de algodão egípcio da Trusseau. Isso faz a diferença!!!

Linho e algodão são grandes aliados para esse bem dormir!!!
Eu, pessoalmente, amo branco – combina com qualquer estilo; além de prático, proporciona manutenção impecável e é elegante sempre!!!
Mas elegante mesmo é dormir bem e acordar feliz, de preferência, num quarto e numa cama linda feitos para você!!!!


Enviado por: Redação
21/05/2013 - 19:00

Em casa, por Marcia Müller: Papel de parede… voltando às origens!

Acima, banheiro com cimento e papel de parede da Orlean / Foto: Denise Leão. Abaixo, quarto com o moderno Ikat da Entreposto/Orlean / Foto: André Nazareth

Desde o tempo das cavernas, tentamos imprimir nas paredes a nossa personalidade, nossos gostos e nossa vida, pintando cenas do cotidiano de cada grupo que ali habitava. Por isso, papel de parede e tudo que personaliza esse tão antigo muro que nos rodeia têm um incrível valor!

Adoro papel de parede que se assemelha a tecido ou palha – porque tecido é muito elegante, palha e couro também, mas os preços acompanham essa elegância…rs

Costumo utilizar materiais fáceis de manutenção, sempre lembrando que vivemos num país tropical e em uma cidade, infelizmente, poluída. Então, um material difícil de limpar e que armazene poeira… não aconselho mesmo!!!

Atualmente, as variedades são incríveis. Adoro as coleções de mapas, de Ikat e couros vegetais da Orlean, palhas lindas da Covering e couros maravilhosos da Beraldine

Nas fotos, mostro um banheiro com cimento e papel de parede da Orlean supersofisticado, dois materiais bem diferentes, mas que se harmonizam, high and low (um termo usado na moda) by Manu Müller. Em outra, um quarto superclássico com o moderno Ikat da Entreposto/Orlean, duas épocas diferentes, marcadas na arquitetura e na estampa, mas que também se complementam.

Escolha o seu estilo, personalize sua parede e lembre que essa é uma prática pré-histórica!!!!


Enviado por: Redação
14/05/2013 - 19:00

Em casa, com Marcia Müller: Conforto x espaços pequenos

A cama com ferragens especiais se recolhe na parede, transformando-se num painel ripado de madeira. O espaço, quando não é usado como quarto, transforma-se numa sala de ginástica

Uma luta digna de UFC: desse ringue ninguém sai muito bem, mas existe um empate em nome do conforto e do bem-estar.

Tecnologias e muita criatividade trabalhando juntas dão lugar a novas soluções, fazendo com que pequenos espaços se transformem em espaços multifuncionais.

Na foto, mostro um exemplo de um quarto onde a cama com ferragens especiais “Haffele” se recolhe na parede, transformando-se num painel ripado de madeira. Nesse pequeno espaço, quando não é utilizado como quarto, transforma-se na sala de ginástica da casa.

Outro bom exemplo de aproveitamento de espaço é uma gaveta refrigerada da “Sub-Zero ” colocada na circulação da casa. Quando fechada, faz parte do armário e, quando aberta, uma pequena copa para os quartos.

Com a diminuição dos espaços, chegam as novas tecnologias do conforto adaptadas a essa nova casa, pequena e multifuncional – ainda assim, supercharmosa e agradável.

Todo o seu conforto ao alcance da mão. Literalmente!


Enviado por: Redação
07/05/2013 - 19:00

“Em casa”, por Marcia Müller: Festa da cumieira!

Na sala de estar de uma casa em Araras, a estrutura aparente das vigas que sustentam o telhado / Foto: Patricia Thompson

Até hoje quando terminamos um telhado ainda comemoramos a festa da cumieira. Uma prática antiga trazida pelos portugueses que festejavam a casa quase pronta!!!

O telhado é isso: o fechamento da casa, a moldura do projeto!!!! Um volume errado, uma inclinação desproporcional e a casa fica desarmônica. Sabe quando uma pessoa “bonita mas o cabelo estraga tudo”… Ou “um lindo quadro com a moldura medonha”… É por ai … Telhado tem que ser espetacular. Ele pode ser tudo de bom e tudo de ruim em um projeto.

Aqui no Brasil aprendemos muito com os nossos colonizadores portugueses e seus telhados coloniais. Lindos e com o famoso cachorro, um beiral embutido, as cidades de Paraty e Tiradentes estão ai para provar a harmonia desses telhados. Um telhado tropical não precisa de tanta inclinação, mas se você optar por fazer sua casa quase sem nenhuma inclinação, como nos telhados modernistas, também lindos, não esqueça de usar uma telha térmica, geralmente um sanduíche de alumínio e isolante térmico.

Não se esqueça nunca que nosso sol é intenso e que a temperatura, quando ele incide direto, “torra ” a superfície exposta, literalmente, se você estiver perto da praia ou mesmo na serra. Gosto muito de telhados com um prolongamento em pérgula, ou varanda, isso torna a temperatura bem agradável.

Mas o mas importante, com certeza, é o volume que ele faz na fachada projetada, suave ou mesmo nenhum, esse acabamento é fundamental. Telha precisa sempre de um ângulo especifico para cada tipo, canal, francesa etc…

Eu, particularmente, adoro deixar à mostra a estrutura das vigas que sustentam o telhado no interior da casa, além de serem lindas, formam um balé de estruturas.

Telhado é mais do que uma proteção para sua casa, telhado emoldura o volume arquitetônico!!!


Enviado por: Redação
30/04/2013 - 19:00

“Em casa”, por Marcia Müller: Subindo…

Escadas que se transformam, numa poesia geométrica se bem colocadas e posicionadas no conceito da arquitetura

Considero escada a escultura mais importante num projeto de arquitetura. Falo escultura porque realmente ela se transforma, numa poesia geométrica se bem colocada e bem posicionada no conceito da arquitetura. Ou pode ser um verdadeiro desastre, transformando-se num obstáculo sem proporção, um elemento que tem um volume sem coerência.

Nós, arquitetos, estudamos muito, na faculdade, as medidas dos degraus: altura, largura e quantidade a serem vencidos sem muito esforço para a colocação exata do patamar etc…

Mas a forma e o volume da escada são também importantes na arquitetura projetada.

Aprendemos que a altura do degrau não deve passar de 18cm, que a largura não deve ser menor que 27cm, e que subir sem patamar, no máximo, de 10 a 15 degraus…

Porém nada é igual ao sentimento único de proporção que um arquiteto vai ter ao posicionar essa escada dentro do conceito elegante e criativo de um projeto.

A coerência dessa associação com o contexto e volume arquitetônico é fundamental para isso.

Subir escada é muito mais complicado do que parece, pelo menos para nós, arquitetos…


Enviado por: Redação
16/04/2013 - 19:00

“Em Casa”, por Márcia Müller: Sombra e água fresca!

Piscinas com borda infinita - elas se prolongam na paisagem, continuando no horizonte quando a vista é de água, mar ou lago

Na civilização oriental, água significa calma , tranquilidade… Na nossa ocidental e tropical, significa o oposto do calor!! Num dia de sol, água é tudo!!

Nós, cariocas, adoramos a praia, dar um mergulho no mar; ainda assim, sucumbimos a uma piscina sempre que podemos.

Além de tudo isso, água é um excelente refletor de calor, portanto, um importante isolante térmico na arquitetura. Um exemplo disso, quando colocada em tetos que têm piscina ou espelho d ‘água como cobertura.

Considero a piscina um complemento altamente lúdico e prático (isolante térmico ) dentro do projeto. Amo projetar piscinas e posicioná-las no terreno. Importante quando se posiciona é a direção do sol para se obter a insolação o tempo todo, tendo pouca ou nenhuma sombra .

Adoro piscinas com borda infinita – elas se prolongam na paisagem, continuando no horizonte quando a vista é de água, mar ou lago. Gosto também das que se misturam na natureza, utilizando a inclinação e pedras do terreno.

Muito boa num dia de calor, a piscina é, sem dúvida, a imagem de sombra e água fresca…


Enviado por: Redação
Página 24 de 25« Primeira102122232425