xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Bruce Gomlesvksy em cena em “Renato Russo, o musical”: “Se eu tocasse bossa nova o som também vazaria” / Foto: Barata Comunicação

O ator Bruce Gomlevsky ficou conversando com o público do espetáculo “Renato Russo, o musical”, no Teatro das Artes, nesse domingo (19/03), por 45 minutos, numa tentativa de atrasar o início da peça e diminuir os transtornos para a produção de “O grande sucesso”, no Teatro Clara Nunes, um andar acima no Shopping da Gávea. No sábado, Bruce foi impedido pelo gerente do teatro, Luís Eduardo Araújo, de fazer a sessão do musical, cujo som tem vazado para a peça protagonizada por Alexandre Nero. Nesse domingo, munido de uma liminar, ele conseguiu se apresentar, mas não sabe até quando. “Os donos dos dois teatros estão se eximindo de responsabilidades, há mais de 30 anos existem reclamações de vazamento de som, processos antigos. O Teatro Clara Nunes está em obras, está cheio de buracos, tem um tapume na frente, o público entra um a um. Quando eu toco só voz e violão, “Eduardo e Mônica”, o som vaza também”, conta Bruce, que diz que já reduziu um terço do volume do show.

“Não tenho patrocínio, tenho 12 pessoas na minha equipe num contrato que vai até o final de abril e pago um aluguel de R$ 13,5 mil por semana. O dono do teatro sabia que não há isolamento acústico. Uma falta total de respeito comigo e com o espetáculo, que está há 11 anos em cartaz e é um dos maiores sucessos do teatro brasileiro”.

Gomlevsky vai propor um ajuste de horário para a produção de “O Grande Sucesso”: ele começa meia hora mais tarde, às 22h, e Alexandre Nero e elenco meia hora mais cedo, às 20h30. “Estamos tentando dialogar, minha produção e a do Nero”.

Share
Enviado por: Marcia Bahia

Os comentários estão fechados.