17/06/2018 - 18:00

Arraial da Arara: começou cedo e acabou cedo: das 8 às 8

Foto de:

Foi o primeiro Arraial da Arara, mas certamente não será o último: tanto para o deleite dos organizadores (Malu Barreto e Pedro Igor Alcântara) quanto dos convidados. A noite foi uma loucura, com chuva, com lama, com frio – quem disse que isso desanimou? Pilha geral, todos-todas-todes: quadrilha, comidinhas típicas e, claro, os casamentos: o ‘padre’ foi Paula Lavigne e tava inspirada: “Casamento que eu faço dá sorte, dinheiro, foda, dá tudo”, disse de entrada – o público (800 convidados) foi ao delírio.

Desde damas-da-melhor-hierarquia-local até as mais incríveis atrizes do momento, como Alice Wegman (chamada ali no salão de irresistível, em todos os sentidos); Reynaldo Giannechini (um dos melhores figurinos, como Estevâo Ciavatta e outros tantos); Dudu Bertholini (por si, um show dentro da festa); enfim, uma gente ótima, figurinos incríveis, que poderiam tudo, menos passar indiferentes.

Todo mundo caiu no forró pela voz Mariana Aydar, Moraes Moreira, Mart’nalia, Maria Gadú, Mestrinho, Maíra Freitas e Duani, sob a decoração de fotos de São João enormes nas paredes e cenografia de Gringo Cardia. Segundo Pedro Igor, criador junto à Malu do Baile da Arara (sucesso no carnaval) amigos pediram mais uma festa anual; e aí está, na mesma condição da outra, esperada por todo mundo. A festa começou cedo (às 8 da noite) e acabou cedo (às 8 da manhã) – rsrsrs. Mariana Ximenes conseguiu chegar antes do fim, sempre trazendo consigo duas coisas que muitos desejam antes de tudo na vida: beleza e magreza. Veja fotos.


Enviado por: Lu Lacerda
17/06/2018 - 14:42

“Casamento que eu faço dá sorte, dinheiro, foda, dá tudo”

 

 

De Paula Lavigne, no papel de padre, durante o Arraial da Arara, na Gávea 


Enviado por: Lu Lacerda
17/06/2018 - 12:00

Seis perguntas para David Brazil (a paixão da Seleção)

david-brazil-e-camisas

Recentemente, David Brazil ficou hospedado por duas semanas, na casa de Neymar Jr., em Paris, enquanto o craque da Seleção Brasileira e do Paris Saint-Germain já estava no Brasil para os treinos da Copa do Mundo. O produtor foi mimado pelo mordomo, Marcos, e funcionários do jogador. “Me senti a própria Bruna Marquezine, a primeira-dama da mansão”, diz ele. David ficou íntimo de Juninho (apelido carinhoso) há 9 anos, através de um amigo em comum, Timotinho Silva, sobrinho de Agnaldo Timóteo. “A gente firmou na amizade, e ele é meu fechamento até hoje”. Mas Neymar é apenas um na enorme lista de íntimos do futebol: Daniel Alves, Marcelo Silva, David Luiz, Thiago Silva, Douglas Costa. Brazil, inclusive, é o único que tem livre acesso, além das famílias, à Granja Comary, QG dos meninos do Brasil, em Teresópolis, e detalhe: convidado pelos próprios jogadores. Em 2014, foi eleito o muso dos craques da Seleção. “E sou muso eleito por um só não: pelo Neymar, Daniel Alves e Thiago Silva. Também sou a titia de todos, das mães, mulheres, irmãos, sobrinhos e filhos.”

A admiração aos jogadores – e não ao futebol, que fique claro – vem de 1993, quando trabalhava como promotor de eventos num restaurante carioca e ganhou a simpatia de dois deles, que abriram as portas para várias outras amizades: Renato Gaúcho e Romário. Desde então, David coleciona não só amigos como também camisetas autografadas; são 50, entre assinaturas de Lionel Messi, Kaká, Cristiano Ronaldo, Léo Moura e Alexandre Pato. Mesmo com uma agenda de dar inveja a qualquer “Maria Chuteira”, David não vai à Rússia e prefere não assistir aos jogos pela TV, porque fica “muito nervoso”.

1
Por que não vai à Rússia?  

Li a notícia de que o Itamaraty (Ministério das Relações Exteriores do Governo Brasileiro) recomendou discrição dos gays brasileiros (a lei russa proíbe qualquer manifestação pública que tenha ligação com a causa LGBTQI+). Lá, a bicha tem que ficar bem durinha, quietinha, e eu não consigo – sou pintosa e espalhafatosa. Eu seria deportada ou presa. E tem mais: fui à África do Sul, em 2010, e deu ruim, fui à final de 2014 e deu ruim; então nem vou para esta para ver se eu sou mesmo o pé-frio da Seleção.  

2
Nestas épocas de Copa, as pessoas invejam essa ligação com os jogadores?  

Ihh, meu amor, muita! Quando posto foto só com Neymar, então, tem sempre uns comentários babacas nas redes sociais, dizendo que sou ‘babão’ e ‘puxa-saco’. A coisa que os jogadores mais detestam são os puxa-sacos. O segredo é que sou assim mesmo, do meu jeito, vou à casa deles e trato o caseiro do mesmo jeito. Isso são pessoas infelizes que, com certeza, queriam ter amigos como Neymar, que me dá a maior moral. E as amigas ficam dizendo ‘desgraçado, que inveja’. Eu digo para elas morrerem e nascerem de novo como uma bicha gaga, paraíba e divertida. 

3
Qual o segredo para ficar amigo dos jogadores?  

Eu acho que é uma questão de caráter, de confiança e respeito. Sei o meu lugar e não fico de mimimi. Eles caem na brincadeira porque sabem que eu tenho limite.  

4
Já sofreu preconceito nesse meio tão machista?  

Nunca, e olha que isso vem lá de 1993, com o Romário e o Renato, numa época em que era muito difícil um gay ter acesso e moral com algum jogador. Mas vejo que ainda existe muito preconceito com as mensagens nas redes sociais quando Thiago Silva, o Marcelo ou Neymar postam fotos comigo – xingando, dizendo ‘pô, tu tá pegando esse viado?’, entre as mais leves. A gente não pode se abalar. Eu enfrento esses filhos da mãe de cabeça erguida e com spray de purpurina.  

5
Aliás, você gosta de futebol?  

Gosto dos jogadores; não entendo nada de futebol, nada. Gosto mesmo é de torcer e babar por eles. Para ser sincero, eu até prefiro não assistir aos jogos porque eu sofro; só gosto de saber o resultado.  

6
Tem um predileto?

Amizade é Neymar, Marcelo e Thiago Silva; tesão é o Douglas Costa, um negão que é meu tipo, com cara de homem, pernão, coxão, bundão, tudo ão. E tem jogador de um time africano, bocudo, estiloso, forte, um negão foda. Com esse eu até deixaria de ser piranha na hora e casava.

 


Enviado por: Redação