05/11/2017 - 14:30

‘Meca’: festa na Urca recebe doações de livros para meia-entrada

alinne-moraes-e-mariana-ximenes

fernanda-paes-leme-3

leonarod-marsal-e-nicole-nandes

lu-dangelo

rafael-mambarte-e-victor-roncale

Na primeira, Alinne Moraes e Mariana Ximenes; na segunda, Fernanda Paes Leme; na terceira, Leo Marçal e Nicole Nandes; na quarta, Lu D’angelo; na quinta, Rafel Mambarte e Victor Roncale / Fotos: @terrick__ para @ihateflash

Uma gataria se reuniu no Morro da Urca, nesse sábado (04/11), para a edição carioca da festa Meca. No evento, uma lista de atrações pra todos os gostos: a cantora americana Nomi Ruiz; o grupo canadense Homeshake; o músico americano de eletrônica Washed Out; o duo Balako; Heavy Baile; e muitos outros…

Alinne Moraes, Mariana Ximenes, Jesuíta Barbosa e Fernanda Paes Leme, dentre os convidados ali, tinham a opção de doar um livro e pagar meia entrada – que tal a iniciativa?


Enviado por: Redação
05/11/2017 - 13:31

Manuela d’Ávila: outra mulher pré-candidata à Presidência

manuela

Manuela d’Ávila: o Partido Comunista do Brasil (PCdoB) lançou a deputada estadual, de 36 anos, como pré-candidata à Presidência da República / Foto: Raisa Torterola – divulgação

O Partido Comunista do Brasil (PCdoB) lançou a deputada estadual Manuela d’Ávila, de 36 anos, como pré-candidata à Presidência da República, segundo comunicado neste domingo (05/11), da presidente nacional do Partido Comunista do Brasil (PCdoB), Luciana Santos.
Manuela é jornalista e deputada estadual pelo Rio Grande do Sul, com dois mandatos como deputada federal. É, também, Procuradora Especial da Mulher da Assembleia Legislativa. Fora o prefeito de São Paulo, João Dória, e depois da candidatura avulsa de Valéria Monteiro, vemos que as mulheres estão assumindo posicionamento, nessa frente, mais que os homens.


Enviado por: Lu Lacerda
05/11/2017 - 12:30

‘Festeja’: atores de ‘A Força do Querer’ a toda

Foto de:

A Força do Querer” acabou oficialmente, mas na cabeça das pessoas anda longe disso. Muitos convidados no camarote do Festeja, festival de música, nesse sábado (04/11), no Parque Olímpico da Barra, não deixaram Juliana Paes (a Bibi), Carla Diaz (a Carine) e Jonathan Azevedo (o Sabiá) quietos por muitos minutos. No evento, nove atrações animaram o público até a manhã deste domingo (05/11): Pabllo Vittar, Wanessa Camargo, Paula Fernandes, Marília Mendonça, Maiara e Maraisa, Naiara Azevedo, Paula Mattos, Dennis Dj e João Gabriel. Por lá se via gente de todo tipo: apaixonados por sertanejo, mulheres semi-nuas, e até gente de muletas – coisas bem cariocas. Veja fotos na Galeria.


Enviado por: Redação
05/11/2017 - 12:00

Nove perguntas para Gigliola Cinquetti (sobre show no Municipal)

1234567

Algumas músicas grudam como chiclete; e não são só as atuais repetitivas paradas de sucesso. Há 50 anos, “Dio, Come Ti Amo”, na voz de Gigliola Cinquetti, foi um fenômeno, inclusive no Brasil. À época, a cantora conheceu parte do País e seus “tesouros”, como o Rei Roberto Carlos, que a apresentou à TV, e Chico Buarque, de quem gravou “O Que Será”. Agora, Gigliola está de volta ao Brasil, com a turnê mundial “Una Storia D’Amore”, no palco do Theatro Municipal, dia 11 de novembro.

Embora a música italiana tenha desaparecido por completo da rádio e TV brasileiras, muitos desses artistas permaneceram ativos, caso de Cinquetti. Ela completa 69 anos em 2017, e só parou quando se casou e teve filhos. Desde os anos 1990, trabalha na televisão pública italiana RAI. Em 2008, recebeu o Prêmio Giulietta alla Donna, em reconhecimento pela carreira de sucesso. No fim de 2015, lançou um novo álbum “20.12”, o primeiro de inéditas em 20 anos. A crítica aprovou o tom pop da cantora, que deu uma renovada no repertório: tem até uma releitura de “Lady Jane”, dos Rolling Stones.

1
O que conhece do Brasil?

O Brasil é muito grande, mas vou tentar dar umas voltas da melhor forma possível. Estive no País umas quatro ou cinco vezes. Andei na areia de Copacabana, bebi caipirinha, dancei e ouvi música. Na minha casa, em Roma, há uma estatueta de Iemanjá que trouxe de uma viagem de duas semanas de férias em Salvador, na Bahia. Agora, durante a minha estada no Rio, queria visitar o Bar Castelinho, em Ipanema, mas me disseram que não existe mais…

2
Quais são suas expectativas para cantar no Rio?

Estou ansiosa. Lembro-me de uma noite no Canecão, em que havia mais pessoas do que o local comportava, e todos estavam eufóricos. No final do show, fiquei por quase três horas cumprimentando as pessoas em frente ao meu camarim. Era uma fila interminável, mas todos me abraçaram e me beijaram. Nunca me esqueci.

3
O que o público pode esperar do seu show?

Minha história de amor com a música, que também significa meu afeto pelo público e minha paixão pela vida.

4
Você acredita que ainda há espaço para a música romântica?

Sim, desde que não signifique nada fantasioso e falso; mas uma experiência que produza a doçura a que todos têm direito.

5
Quais são seus ídolos na música e na vida?

Eu amo a voz de Maria Callas e a de meu marido.

6
Você consegue alcançar a nova geração? Conhece o funk carioca?

Até agora, tenho conseguido isso. Funk? Espere, vou procurar na Internet. Pronto! Minha ideia do funk é o zumbido da minha bicicleta descendo uma ladeira.

7
O que conhece da música brasileira?

Tive a sorte e honra de conhecer pessoalmente e ouvir os melhores artistas brasileiros vivos: Roberto Carlos, que me apresentou da televisão brasileira, Vinicius de Moraes, Toquinho, Tom Jobim, Simone, Maria Bethânia, Gal Costa… Todos eles conheci no Rio, e depois Chico Barque de Holanda, de quem gravei a mítica composição “O Que Será”. Eu poderia ter cantado com cada um deles! Ahhh, e Elis Regina (que não está viva, infelizmente), que conheci em Roma.

8
O que mudou em sua vida depois do sucesso?

Tudo, exceto eu.

9
Em dezembro você completa 69 anos. Como lida com a idade?

Melhor não pensar e nem enfrentar isso. Manter-se sempre em forma é uma dureza……


Enviado por: Redação